O adax: espécie de mamífero artiodátilo

08 Julho, 2020
Vamos falar sobre o adax, um antílope que vive nas regiões áridas da África e que atualmente está ameaçado.
 

O animal do qual vamos falar hoje é um dos antílopes mais representativos da África. Estamos falando do adax, um mamífero que, infelizmente, está seriamente ameaçado hoje em dia. Se você quiser saber mais sobre ele, não perca o que vamos apresentar a seguir.

Características gerais

O adax (Addax nasomaculatus) foi descrito pelo zoólogo francês Henri de Blainville em 1816. Esse mamífero artiodátilo faz parte da família dos bovídeos e durante muito tempo foi conhecido pelo apelido de ‘antílope branco’, por causa da cor de sua pelagem.

Os animais dessa espécie têm uma altura média de um metro e pesam entre 80 e 120 kg. Assim como seu parente, o órix, o adax é um antílope com corpo arredondado e patas longas.

A pelagem desses animais varia de acordo com a estação, sendo mais amarronzada no inverno e bem mais clara no verão. Além disso, possui uma inconfundível máscara facial branca em forma de X.

Mas, sem dúvida, o que mais chama a atenção ao ver o adax são seus chifres. Ele possui um par de chifres anelados que crescem para cima e se enrolam formando uma espiral, uma característica única dessa espécie.

O adax
 

Habitat e adaptação do adax

Esses animais habitam zonas áridas, rochosas e secas no noroeste da África. Portanto, estamos falando de uma espécie que é fortemente adaptada a esse tipo de terreno difícil.

Para começar, o formato dos seus cascos é adaptado para caminhar em solo arenoso ou macio e, assim, evita que afundem.

Além disso, sua maneira de se adaptar ao calor extremo e evitar a desidratação consiste em evitar a transpiração até atingir uma temperatura corporal de 45 graus centígrados. Outro mecanismo se baseia na escassez de água, pois podem sobreviver sem hidratação durante longos períodos.

O seu período de atividade se reduz à noite e ao amanhecer, quando as temperaturas são mais suportáveis. Para se alimentar, geralmente faz grandes deslocamentos em busca da escassa vegetação existente, da qual também extrai água. Esses deslocamentos geralmente estão ligados às estações das chuvas.

O adax

Conservação e estado atual

É válido destacar que o adax não se caracteriza por sua velocidade. Portanto, é uma presa fácil para predadores rápidos, tais como leões ou leopardos, e também para os seres humanos. Sua baixa velocidade faz dele um alvo para os caçadores, que podem reduzir ou até mesmo eliminar populações inteiras desses animais.

 

A redução do seu habitat, a seca e a perseguição humana estão ameaçando o adax seriamente. A UICN lista essa espécie na categoria de ‘perigo crítico’Alguns países e organizações já estão tomando medidas para sua conservação.

Entre eles, destaca-se o Parque Nacional de Souss-Massa, no Marrocos. Nesse recinto, vários espécimes estão sendo criados e aclimatados, para serem posteriormente reintroduzidos na natureza a fim de garantir sua sobrevivência. Outros espécimes podem ser vistos em cativeiro no Parque de la Naturaleza de Cabárceno, Espanha.

 
  • Hummel, J., Steuer, P., Südekum, K. H., Hammer, S., Hammer, C., Streich, W. J., & Clauss, M. (2008). Fluid and particle retention in the digestive tract of the addax antelope (Addax nasomaculatus)—adaptations of a grazing desert ruminant. Comparative Biochemistry and Physiology Part A: Molecular & Integrative Physiology149(2), 142-149.

 

  • SPEVAK, E. M., BLUMER, E. S., & CORRELL, T. L. (1993). Species survival plan contributions to research and reintroduction of addax Addax nasomaculatus. International Zoo Yearbook32(1), 91-98.