Adestramento da raça basenji: como começar?

24 Outubro, 2020
Os cães da raça basenji são caracterizados pelo seu temperamento animado e espírito livre. Esses cães querem independência e têm instintos de caça. Por isso, é preciso adestrá-los para que vivam felizes em casa.

A raça basenji é considerada uma das difíceis de treinar. Por essa razão, é importante mencionar que o adestramento de basenjis requer muito amor e paciência.

Devemos ter em mente que o basenji só pode ser educado dentro dos seus próprios limites. Por quê? Bem, porque os basenjis viveram durante séculos em sua terra natal africana, cumprindo suas funções de caça de forma independente. Portanto, o instinto da raça basenji é caçar presas. Se forem punidos por isso, eles vão guardar rancor, porque esse era o seu trabalho na África.

Por essa razão, os cães dessa raça decidem por conta própria o que fazer. Assim, não devemos tentar dominá-los, e sim imprimir uma ordem hierárquica.

De qualquer forma, os donos de basenjis aprendem rapidamente que esses cães não podem ser forçados a fazer algo. É preciso convencê-los, porque eles entendem imediatamente o que queremos.

Um basenji obedece muito bem se for educado adequadamente. Eles consideram e decidem seguir ou não o comando diretamente. Se você estiver preparado para respeitar essas qualidades, você e o seu basenji serão grandes amigos.

Tenho um cachorro da raça basenji: por onde começar?

A educação inicial dos basenjis vem diretamente dos pais, e esse é um requisito indispensável. Os pais e os irmãos da ninhada detêm instantaneamente as tentativas ocasionais do filhote de mudar a ordem hierárquica.

Mais tarde, é muito importante que os novos tutores mantenham a autoridade tão claramente quanto os pais caninos. No entanto, não é necessário demonstrar a posição de liderança incessantemente.

O filhote deve ser repreendido, mas não punido. Ensinar o seu basenji com punições não é aceitável: se ele te entender, ele vai reagir de forma positiva imediatamente.

Adestramento da raça basenji

Estabelecer uma rotina diária

Um dos aspectos mais importantes para o adestramento da raça basenji é a perseverança e a consistência. É muito importante estabelecer uma rotina diária, com a alimentação em horários regulares, assim como as horas rotineiras ao ar livre.

Estabeleça um regime que você considere adequado para conviver com os seus cães durante muito tempo, pois essa raça geralmente pode viver entre 12 e 18 anos. Seja fiel às regras que você estabeleceu.

Quando existem regras claras e inequívocas para o cachorro, e você é fiel a elas, o filhote encontra facilmente o seu lugar na família e na nova ordem hierárquica. Considere a capacidade do filhote de ficar sozinho e pratique com ele os períodos em que ficará sozinho em casa.

Normas de segurança

É especialmente importante ensinar um comando para passar por portas abertas, sejam elas de um carro ou de uma casa. Isso impedirá o basenji de escapar repentinamente, pois ele já estará acostumado a não sair a menos que receba um comando para isso.

Treine o seu basenji para voltar com um comando e correr livremente sem coleira. Por favor, seja especialmente consistente no início do adestramento do seu filhote. Lembre-se de não agir de forma autoritária, mas firme.

Convivência com a raça basenji

Os basenjis são cães ativos, atenciosos e confiáveis. Quando estamos de bom humor, eles também estão, mas o oposto também é verdadeiro. Por esse motivo, pare para reconhecer o seu próprio estado de espírito antes de reagir ao seu cachorro. Isso vai poupar muita frustração mais tarde.

Adestramento da raça basenji

Seus instintos para o ambiente natural, selvagem por natureza, são bem desenvolvidos. No entanto, não são tão bem desenvolvidos assim para a nossa civilização moderna e urbana.

No nosso mundo civilizado, isso pode significar problemas, tais como a destruição de móveis e objetos em casa. Além disso, seu comportamento pode ser perigoso até mesmo para o próprio cachorro, por exemplo, ao morder fios elétricos. Cuide dos seus cães, especialmente enquanto forem filhotes.

Eles ouvem e veem perfeitamente e têm um olfato bem desenvolvido. Registram uma situação benéfica rapidamente para, por exemplo, escapar através de uma porta aberta no carro ou no jardim.

Planeje as atividades do seu cachorro

Os cães precisam de uma vida cotidiana estruturada, com horários fixos para as atividades. A raça basenji, assim como muitos outros animais, age de acordo com hábitos. É importante se lembrar disso, porque os basenjis que não têm atividades planejadas vão procurar fazer as coisas por conta própria.

Estabelecendo a ordem hierárquica e a obediência em situações cotidianas

É altamente recomendável forjar a obediência estrita ao comando ‘fica’ ou ‘quieto’ sempre que uma porta for aberta. Isso é especialmente importante ao abrir as portas do carro. Muitos cães morrem pulando de carros para atravessar o trânsito.

Os basenjis não reconhecem que carros, bondes ou trens são um perigo para eles. Em vez disso, os consideram presas a serem caçadas. Devido a esse instinto de caça, os basenjis usar coleira na rua. Não confie na sua obediência ao deixá-los correr livremente.

Desde o início, trabalhe em um adestramento que reforce de forma positiva quando o seu basenji voltar para o seu lado ao receber o seu comando. O seu basenji deve aprender a não se afastar muito para não ficar fora do alcance da sua voz.

Com a raça basenji, recompensar com um petisco pode fazer maravilhas. Em muitos casos, a gula vai superar o instinto de liberdade. No entanto, tome cuidado para não exagerar: petiscos em excesso podem treinar o seu cachorro a ser um ‘pedinte’.

Use os petiscos apenas com comandos que precisem ser aprendidos, mas que não são óbvios para os basenjis com uma mentalidade independente. Entre esses comandos está o de não perseguir objetos em movimento, um comando que vai contra o seu instinto de caça.

É mais saudável que o seu cachorro obedeça porque entende o que está sendo pedido, porque quer te agradar e receber elogios. A raça basenji pode viver uma vida feliz se receber carinhos e palavras de amor como recompensa.

  • Johannes, J. E. (2006). Basenji Origin and Migration: Into the Heart of Africa. The Official Bulletin of the Basenji Club of America.
  • Stanley, W. C., & Elliot, O. (1962). Differential human handling as reinforcing events and as treatments influencing later social behavior in basenji puppies. Psychological Reports, 10(3), 775-788.
  • Johannes, J. E. (2003). Basenji Origin and Migration: Domestication and Genetic History. The Official Bulletin of the Basenji Club of America, 37, 20-23
  • MacLachlan, N. J., Breitschwerdt, E. B., Chambers, J. M., Argenzio, R. A., & De Buysscher, E. V. (1988). Gastroenteritis of Basenji dogs. Veterinary pathology, 25(1), 36-41.