Alerta para um novo surto de gripe aviária

16 Janeiro, 2020
De acordo com dados fornecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2011, a gripe aviária teria causado 310 mortes em 2003.
 

Também conhecida como influenza aviária, a gripe aviária é uma patologia viral, infecciosa e altamente contagiosa. Por isso, o alerta da ONU quanto à possibilidade de um novo surto de gripe aviária alarmou as autoridades sanitárias internacionais.

Quais animais podem ser afetados?

A gripe aviária pode afetar diversas espécies de aves e mamíferos, incluindo animais de estimação, animais de fazenda e seres humanos; também é altamente contagiosa.

O agente causador dessa doença são os subtipos H5 e H7 dos vírus Influenza pertencentes ao gênero A. Esses micro-organismos afetam as aves galináceas com especial facilidade; por isso, a gripe aviária também é conhecida como ‘gripe do frango’.

O primeiro relato oficial desta doença ocorreu na Itália em meados do século XX, e ela se expandiu rapidamente por todo o planeta. Devido à sua letalidade e alto risco de contaminação, ela é considerada uma zoonose alarmante pela Saúde Pública.

Como ocorre a propagação da gripe aviária?

A transmissão da gripe aviária é muito intensa em fazendas e granjas dedicadas à criação de aves. As aves infectadas eliminam o vírus através de seus fluidos respiratórios e também através de suas fezes.

Portanto, a principal forma de infecção ocorre através do contato direto com os excrementos e secreções de animais contaminados.

Influenza aviária

 

No entanto, esses patógenos também podem ser facilmente difundidos através do ar. Da mesma forma, o contato com objetos, alimentos ou líquidos contaminados também pode ser uma forma de propagação da gripe aviária.

Como a gripe aviária afeta os seres humanos?

Em teoria, a gripe aviária não deveria infectar os seres humanos. Os casos diagnosticados em pessoas ocorrem por mutações anômalas e imprevisíveis de alguns subtipos de vírus da família Influenza.

Os primeiros casos de gripe aviária em humanos foram diagnosticados em 1997, em Hong Kong. Naquele momento, a única maneira de controlar uma possível pandemia era sacrificar milhões de aves domésticas.

No entanto, essa medida foi urgente e paliativa, pois não é possível extinguir os patógenos ou controlar as suas mutações. Por esse motivo, as autoridades internacionais de saúde permanecem em alerta quanto à possibilidade de um novo surto de gripe aviária.

De acordo com dados fornecidos pela OMS em 2011, a gripe aviária já teria afetado mais de 560 pessoas desde 2003, e foram registradas aproximadamente 310 mortes.

Principais sintomas em seres humanos

Os primeiros sintomas da gripe aviária em humanos costumam ser semelhantes aos sinais clássicos de uma gripe simples, tais como:

  • Dores musculares
  • Febre
  • Tosse
  • Mal-estar, dor ou inflamação na garganta
  • Cansaço excessivo ou falta de energia

No entanto, quando a doença progride, surgem sintomas mais específicos e há um maior risco de desenvolver um problema respiratório grave, como uma pneumonia, por exemplo.

 
Novo surto de gripe aviária

Cabe destacar que os sintomas da gripe aviária progridem rapidamente, o que pode levar a um declínio geral na saúde do paciente em poucos dias. Por isso, é essencial ir a um hospital ou centro de saúde ao detectar quaisquer dos sintomas já mencionados.

Alerta da ONU sobre um novo surto de gripe aviária no mundo

Desde 2017, a Organização Mundial da Saúde (OMS) mantém um tipo de alerta preventivo para uma possível pandemia de gripe aviária. Isso pode acontecer devido aos riscos gerados pela alta migração dos sorotipos H5N1 do vírus Influenza para todos os continentes.

No entanto, um alerta recente da ONU sobre a possibilidade de um novo surto de gripe aviária deixou as autoridades internacionais alarmadas. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), uma variante altamente patogênica do vírus H5N1 está se proliferando rapidamente nos países asiáticos.

Atualmente, as autoridades sanitárias e os serviços veterinários do Vietnã estão em estado de alerta por causa dessa mutação anômala, que representa um “risco imprevisível para a saúde humana”, conforme declarado pela FAO.

 

Além de colocar a população local em risco, um novo surto de gripe aviária no Vietnã também afetaria rapidamente o Camboja, a Malásia e a Tailândia. Se a sua proliferação não for controlada, ela também poderá chegar à península da Coréia e do Japão.

A FAO também afirma que os países onde o vírus H5N1 já está firmemente estabelecido podem enfrentar consequências mais graves para a saúde da sua população. Este é o caso da China, da Índia, da Indonésia, do Vietnã e do Egito, que devem estar especialmente atentos a um novo surto de gripe aviária.