As aranhas Sicarius e sua verdadeira letalidade

14 Setembro, 2020
O veneno das aranhas Sicarius tem potencial para produzir lesões necróticas, mas é fato que a letalidade da sua picada é baixa.

Essas aranhas compõem o gênero Sicarius, que juntas são mais conhecidas como “aranhas da areia”, “aranhas de seis olhos” ou “aranhas assassinas”. Na verdade, seu nome científico Sicarius vem do latim que significa assassino. Essas aranhas habitam os desertos da África e áreas áridas da América do Sul e da América Central.

Atualmente, são conhecidas 124 espécies da família Sicariidae, distribuídas em dois gêneros: Loxosceles, com 103 espécies e Sicarius, com 21.

Todas essas espécies são consideradas de importância médica, pois apresentam em seu veneno um agente indutor de necrose cutânea. Entre os dois gêneros, o veneno das aranhas Sicarius é relatado como o mais tóxico.

Quais são as características importantes de se saber sobre as aranhas Sicarius?

Aqui estão algumas características que definem esse invertebrado:

  • São de natureza tímida e muito pouco agressivas. As aranhas do gênero Sicarius não fazem teias: passam a vida se enterrando na areia ou na terra, escondidas sob as pedras ou em uma toca. Assim, é comum que seus corpos fiquem cobertos por partículas de areia.
  • Devido aos seus hábitos de vida, são endêmicas de áreas desérticas e terras áridas.
  • Em termos de tamanho, o gênero das aranhas Sicarius é o maior: seu corpo chega a 1,5 centímetros e, somando o comprimento das patas, chega a 5 ou 6 centímetros no total.
  • A cutícula externa do animal é densamente coberta por pequenos espinhos semelhantes a pelos.
  • Quanto à cor, podem ser amareladas ou castanho-avermelhadas.
  • Têm 6 olhos pequenos separados e dispostos em uma fileira recurva em forma de U.
  • Essas aranhas vivem pelo menos 12 anos.
Quais são as características importantes de se saber sobre a aranha sicário?

O que essas aranhas comem?

Todas as aranhas Sicarius conhecidas são carnívoras, embora os dados sobre as presas comuns dessas aranhas sejam limitados.

Porém, há evidências de que as espécies capturadas, tanto na África quanto na América, comam baratas, formigas, grilos, escorpiões e outras aranhas no ambiente natural. Não há evidências de que elas cacem ou comam vertebrados.

Elas merecem a reputação de assassinas?

Em primeiro lugar, é conveniente esclarecer que a gravidade da picada das aranhas Sicarius vai depender de vários fatores:

É comum essa aranha habitar o ambiente humano?

Para este artigo, não encontramos relatos de capturas de aranhas Sicarius em ambientes urbanos. No caso das aranhas do gênero Loxoceles, da mesma família Sicariidae, há relatos:

  • Em 1970, estudos mencionam a coleta de 5.449 Loxoceles laeta em 645 domicílios chilenos, porém, nenhum envenenamento foi registrado.
  • Da mesma forma, em uma casa no Kansas, Estados Unidos, 2.055 Loxoceles reclusa foram coletadas em um período de 6 meses. Apesar do número impressionante, ninguém na família de quatro pessoas havia sofrido uma intoxicação perceptível em seis anos de ocupação da casa.

Portanto, há evidências de que o risco de levar uma picada de aranhas dessa família é pequeno até mesmo em locais fortemente infestados.

É comum essa aranha habitar o ambiente humano?

O que esperar se ocorrer uma picada de aranhas Sicarius?

É importante saber que existem várias categorias de picadas dessas aranhas:

  • Não é notável: isto é, causa muito pouco dano e progride para a autocura.
  • Reação leve: cursa com vermelhidão e coceira. É uma lesão leve, mas normalmente progride para a autocura.
  • Dermonecrose: ocorre lesão cutânea necrótica, considerada por muitos a reação típica. O estudo do veneno dessas aranhas identificou um componente do veneno como responsável por essa lesão: as esfingomielinases D (SMases D). São uma gama de enzimas que catalisam a hidrólise ou a quebra da membrana lipídica das células.
  • Sistêmica ou viscerocutânea: afeta o sistema vascular, é muito rara e potencialmente fatal.

Além dos venenos da aranha, essas enzimas também foram isoladas de bactérias e fungos.

As toxinas dermonecróticas apresentam várias atividades patológicas, incluindo agregação plaquetária, hemólise, aumento da resposta inflamatória, nefrotoxicidade, edema, atividades neurotóxicas e inseticidas.

Em uma região não endêmica da aranhas sicário, o que pode causar a dermonecrose?

São muitas as doenças que se manifestam com lesões cutâneas necróticas, mas, infelizmente, ainda falta conhecimento sobre o assunto. Na verdade, os aracnologistas especialistas acham que o loxoscelismo cutâneo é diagnosticado com muito mais frequência do que deveria.

Por exemplo, alguns dos diagnósticos incorretos relatados incluem a doença de Lyme, queimadura química, antraz e infecção por Staphylococcus aureus resistente à meticilina, entre outros.