Câncer de pele em gatos: causas e tratamento

30 Março, 2020
O câncer de pele em gatos afeta as áreas mais desprotegidas da pele, como orelhas, pálpebras, nariz e boca.

O câncer é uma proliferação anormal de células que podem invadir todos os tipos de tecidos e órgãos, como a pele. O carcinoma espinocelular é o câncer de pele mais comum em gatos.

Normalmente, aparece nas orelhas, nariz, lábios e pálpebras, ou seja, nas áreas menos protegidas da pele, embora os tumores dentro da boca também sejam comuns. Ocorre com maior frequência em gatos idosos, está relacionado à exposição ao sol e também é mais presente em gatos brancos.

Causas do câncer em gatos

Na grande maioria dos casos de câncer, a causa exata é desconhecida. No entanto, existem fatores que podem influenciar a aparição de um câncer, como:

  • Genética. Existem raças de gatos com maior predisposição genética para sofrer de câncer do que outras, e cada espécime também tem as suas suscetibilidades.
  • Alimentação. A alimentação é um fator de grande influência na saúde do animal. Certos alimentos previnem o câncer devido às suas propriedades físico-químicas. O excesso de alguns alimentos, no entanto, está associado a outros tipos de câncer.
  • Os fatores ambientais. Poluição, fumaça do cigarro, exposição ao sol… O câncer de pele em gatos está associado à exposição contínua ao sol. Assim como acontece com os humanos, a exposição excessiva ao sol pode causar lesões na pele e câncer, principalmente nas áreas mais desprotegidas.
Câncer de pele em gatos

Como o câncer de pele em gatos é detectado?

O carcinoma de células escamosas em gatos aparece na forma de lesões rosadas, áreas alopécicas e crostas na pele que, a princípio, podem ser confundidas com feridas. À medida que a doença piora, a pele adquire uma aparência mais avermelhada e podem surgir áreas ulceradas com bordas mais duras, como crostas.

Orelhas, nariz, lábios e boca são as áreas mais afetadas. Embora o tumor se espalhe localmente destruindo o tecido circundante, ele pode invadir outras partes do corpo, como o interior da cavidade oral, os gânglios e os pulmões.

Como sempre, um diagnóstico precoce é essencial para o tratamento da doença. Se você observar essas lesões, vá ao veterinário para confirmar ou descartar o diagnóstico. Um exame e uma biópsia – amostra de tecido – das áreas mais afetadas são necessários para confirmar o câncer.

A radiografia mais avançada e precisa, assim como a tomografia computadorizada, são ferramentas de diagnóstico que buscam massas carcinogênicas e a sua evolução. Elas são muito úteis quando essas massas estão dentro da cavidade oral, algo que ocorre com frequência nesse tipo de câncer.

Tratamentos

O sucesso do tratamento depende da gravidade da doença. Se as lesões forem muito pequenas, elas podem ser tratadas e até prevenidas, evitando a exposição nas horas de radiação solar máxima ou aplicando um fator de proteção nas áreas mais vulneráveis, embora, no caso dos gatos, essa tarefa não seja fácil.

Gato doente

Se as lesões forem graves e for um câncer de células escamosas, existem vários tratamentos possíveis:

  • Remoção cirúrgica do tumor. Quanto mais cedo essa técnica for realizada, melhor, pois impedirá que o tumor progrida para áreas saudáveis ​​da pele. Para fazer isso, todo o tecido cancerígeno e uma margem de tecido saudável ao redor devem ser removidos para evitar recorrências. Se apenas as orelhas forem afetadas, como costuma ocorrer, a remoção pode ser a melhor solução.
  • Terapia de radiação. O tratamento de radiação pode ser combinado com o método acima para assegurar a eliminação completa do câncer. Essa técnica geralmente é mais cara e só é encontrada em centros veterinários especializados.
  • Quimioterapia. O tratamento medicamentoso diminui as massas cancerígenas. O veterinário é quem vai determinar a duração do tratamento para que seja bem-sucedido.
  • AVEPA. Carcinoma de células escamosas en gatos.
  • AVEPA. Cáncer en gatos. ¿Que tratamientos hay al alcance de los gatos?.
  • Affinity-petcare. Carcinoma de células escamosas en gatos. TC y tiempo de supervivencia.
  • PortalVeterinaria. Tratamiento médico de un carcinoma de células escamosas oral maxilar.