Centenas de elefantes mortos em Botsuana: qual é a causa?

20 Novembro, 2020
A morte em massa de elefantes não é totalmente rara nessa região do planeta. No entanto, as causas dos últimos achados ainda são desconhecidas.

Desde o início de maio, vem ocorrendo uma contagem constante de elefantes mortos em Botsuana. No início foram apenas 16 animais, pouco depois esse número chegou a 169 e, no início de julho, o número total de exemplares encontrados mortos podia ultrapassar 400 indivíduos.

Atualmente, a causa que levou esses animais à morte ainda permanece desconhecida. Apesar da insistência do centro de conservação que acompanha de perto os elefantes da região de Botsuana, National Park Rescue, o governo do país parece estar de ouvidos tampados. Continue lendo para descobrir tudo o que se sabe sobre o misterioso caso dos elefantes de Botsuana.

A grande incógnita que ronda os elefantes mortos em Botsuana

O fato de que até hoje ainda não sabemos o que aconteceu com os elefantes mortos em Botsuana pode ter uma explicação plausível. Estamos enfrentando uma situação de paralisia global.

O movimento de pessoas dentro do parque nacional é limitado. Além disso, coletar e enviar as amostras para laboratórios especializados é muito complicado. O Diretor de Vida Selvagem do Hospital Princess Marina, Dr. Cyril Taolo, disse ao jornal The Guardian que já haviam enviado amostras desde 1º de julho, mas não disseram para qual laboratório. Lembremos que as mortes vêm ocorrendo desde pelo menos meados de maio.

Botsuana é um país cujo produto interno bruto (PIB) é amplamente baseado no ecoturismo. Milhares de pessoas visitam os diferentes parques nacionais do país para observar a vida selvagem, como a migração em massa de gnus, por exemplo.

Devido à situação mundial atual, não há mais turistas em Botsuana e a prioridade ou necessidade de manter os animais é reduzida. É muito provável que muitas das pessoas que atualmente se sustentam graças aos animais do parque, agora precisem viver apesar deles. Isso se traduz em um possível aumento da caça furtiva.

Centenas de elefantes mortos em Botsuana

Possíveis causas da morte dos elefantes

Na área onde estão aparecendo os elefantes mortos, no norte de Botsuana, vivem cerca de 15.000 elefantes-africanos. Mortes em massa, como as que acabam de acontecer, ocorrem em raras ocasiões e sempre estão relacionadas a severos períodos de seca.

Por essa razão, os cientistas atualmente classificam o que aconteceu como um “desastre de conservação”. Até agora, foram analisadas diversas causas possíveis, de diferentes naturezas, para o aparecimento desses elefantes mortos, Vamos falar sobre elas a seguir.

Antraz, a primeira explicação para a morte em massa

Uma das primeiras teorias para explicar o aparecimento de tantos elefantes mortos em Botsuana foi uma possível proliferação de antraz. Essa primeira hipótese parecia factível porque essa foi a causa da morte de centenas de outros elefantes há cerca de um ano, na mesma região. Porém, essa doença infecciosa tem uma sintomatologia muito precisa e deixa claras sequelas no corpo, algo que não aparece nesses animais.

Um patógeno desconhecido como a causa dos elefantes mortos em Botsuana

Uma das hipóteses mais plausíveis é o surgimento de algum novo patógeno, vírus ou bactéria, que proliferou rapidamente e matou os animais.

Atualmente, como consequência da mudança climática, do derretimento do gelo, da poluição e da destruição de habitats ao redor do mundo, novos microrganismos altamente virulentos estão surgindo. Portanto, essa explicação pode não estar longe da verdade.

Envenenamento da água

A maioria dos elefantes encontrados mortos em Botsuana estava perto de corpos de água, de acordo com o que algumas pessoas informaram à mídia. Além disso, muitos deles foram vistos andando em círculos, o que indicaria algum tipo de afecção neuronal.

Os caçadores furtivos geralmente envenenam as águas com cianeto para, dessa forma, poder coletar o marfim posteriormente. A questão é que se os necrófagos se alimentarem da carne de um elefante morto pelo cianeto, eles também morrem, e não houve um aumento substancial de carcaças de outras espécies na área. Ainda assim, algum tipo de envenenamento não está descartado.

O marfim dos elefantes mortos em Botsuana

Outro fato que levou a descartar os caçadores furtivos como a causa das mortes é que todos os elefantes permaneceram com as suas presas. Além disso, os animais mortos pertencem a todas as faixas de idade e sexo e, portanto, nem todos têm presas para serem extraídas.

Ainda assim, as organizações conservacionistas internacionais instaram o governo de Botsuana a vigiar bem os cadáveres para evitar o roubo de marfim. Tendo em vista que o motivo das mortes é desconhecido e que há a possibilidade de um patógeno que possa afetar o homem, retirar partes dos animais sem nenhum tipo de controle pode ser muito perigoso para a população mundial.

Da mesma forma, os elefantes são protegidos pela convenção CITES que proíbe o tráfico, não só desses animais vivos, mas também de partes dos seus corpos.

Centenas de elefantes mortos em Botsuana

Esse tipo de lei protege não apenas os animais, mas também o seu habitat. O fato de ecossistemas inteiros permanecerem saudáveis ​​faz com que os seres humanos ​​também permaneçam saudáveis. Um exemplo dramático do que poderia acontecer está sendo visto atualmente, juntamente com as repercussões que os danos à natureza podem trazer.