Nutrição e ciclo de vida da estrela-do-mar

09 Abril, 2020
O termo estrela-do-mar abrange invertebrados marinhos da classe Asteroidea. Existem cerca de 1500 espécies diferentes.
 

A estrela-do-mar é, sem dúvida, um dos representantes mais conhecidos do mundo marinho. Sua forma característica e inconfundível lhe deu seu nome, mas, curiosamente, elas estão mais relacionadas aos ouriços-do-mar do que aos peixes. Neste artigo, explicaremos alguns detalhes sobre a alimentação e o ciclo de vida da estrela-do-mar.

O que é uma estrela-do-mar?

Hoje nos referimos a uma estrela-do-mar como membro da classe Asteroid, embora essa definição se estenda às espécies da classe Ophiuroidea.

Existem cerca de 1.600 espécies de estrelas-do-mar em todo o mundo, e todas essas espécies pertencem ao filo do Echinodermata. Esse filo também inclui ouriços-do-mar; portanto, a estrela-do-mar é taxonomicamente mais próxima destes do que dos peixes.

Geralmente, esses invertebrados têm uma aparência simétrica e pentarradial na forma adulta. Ou seja, seu corpo é formado por pelo menos cinco braços, que nascem de um disco central.

Existem grupos de estrelas-do-mar com 10 a 15 braços e até espécies como a Labidiaster annulatus, com até 50 braços. A superfície da estrela-do-mar é formada por placas de carbonato de cálcio, que formam o que é chamado de endosqueleto.

O que é uma estrela-do-mar?
 

Como elas se alimentam?

Um dos aspectos mais impressionantes da estrela-do-mar é a sua dieta. A maioria desses animais tem a capacidade de “eviscerar” o estômago através da abertura da boca.

Depois disso, elas secretam enzimas para quebrar os tecidos e absorver os nutrientes necessários. Esse recurso incrível permite que elas se alimentem de presas maiores do que elas.

A dieta da estrela-do-mar é carnívora, embora possa ser complementada com algas marinhas ou detritos marinhos. As presas mais comuns são amêijoas, ostras, peixes e moluscos gastrópodes.

Ciclo de vida da estrela-do-mar

Esses animais têm a capacidade de se reproduzir sexualmente e assexuadamente:

  • Reprodução sexual: neste caso, há um macho e uma fêmea. O esperma e o óvulo são liberados na água e o embrião resultante se torna parte do plâncton. Para garantir a fertilização, as estrelas-do-mar tendem a se reunir e sincronizar a desova. Também há espécies que são hermafroditas e produzem espermatozoides e óvulos ao mesmo tempo.
Ciclo de vida da estrela-do-mar

  • Reprodução assexuada: é aquela que ocorre quando o disco central ou um dos seus braços sofre o que é conhecido como excisão. Esse processo gera uma nova cópia completa. Entre as espécies com esse tipo de reprodução, há algumas capazes de fazê-lo a partir de fragmentos de apenas um centímetro de comprimento.
 

Distribuição e ameaças ao ciclo de vida da estrela-do-mar

A estrela-do-mar está distribuída por todos os oceanos do planeta e nunca é encontrada em água doce. A maior diversidade desses animais é encontrada na zona tropical do Indo-Pacífico.

Seu habitat mais comum é o fundo do mar, mas elas também podem ser vistas em recifes de coral e camas de ervas marinhas.

Esses animais são muito vulneráveis ​​à poluição da água. Portanto, catástrofes como derramamentos de óleo e outros são fatais para elas.

Outra ameaça comum acontece quando elas se aproximam demais da costa, pois ficam expostas. Se isso acontecer, não devemos tirá-las da água para tirar fotos, pois impediremos as trocas gasosas e elas poderão se afogar.

 
  • Ringvold, H., & Andersen, T. (2016). Starfish (Asteroidea, Echinodermata) from the Faroe Islands; spatial distribution and abundance. Deep Sea Research Part I: Oceanographic Research Papers107, 22-30.

 

  • Roque, M. E. (2018). Riqueza y tipos de hábitat de equinodermos en la Región Arequipa al 2017. Veritas19(1), 25-34.