Clonagem de animais: é possível?

12 Setembro, 2020
Desde sempre, vivemos cercados por clones que existem na natureza. Isso levou os cientistas a pensar se era possível clonar artificialmente. Assim, anos depois, nasceu a clonagem de animais e, com ela, a ovelha Dolly.

Em 1996, o primeiro organismo foi criado como resultado da clonagem de animais: a ovelha Dolly. Desde então, os pesquisadores têm experimentado com o gado para fins reprodutivos e outras aplicações, como o uso terapêutico na biomedicina ou a conservação de animais.

Esse tópico tem sido objeto de debate na comunidade científica e em nossa sociedade, uma vez que a bioética está na ordem do dia. Se você quiser saber em que consiste a clonagem de animais, está no lugar certo!

Seres idênticos

Após a descoberta do DNA, os cientistas pensaram: e se usarmos essa molécula, que contém todas as informações sobre um organismo, para criar outra exatamente igual?

A clonagem de animais envolve a criação de cópias geneticamente idênticas de um ser vivo. Ou seja, a partir de um animal doador, obtém-se outro com a mesma sequência de DNA. Isso pode ser realizado a partir de uma célula ou de um organismo inteiro.

Pode parecer novo para nós, mas esse processo de reprodução assexuada (não há fusão de células sexuais) sempre existiu na natureza. Por exemplo:

A clonagem foi realizada em uma infinidade de seres, tanto nas espécies de bovinos, suínos, ovinos e caprinos, como em outros animais, como ratos, coelhos, cães e cavalos.

Devemos ter em mente que os animais clonados nascem da mesma forma como outros animais, ou melhor, é como se gêmeos idênticos nascessem em momentos diferentes. Assim como os gêmeos têm o mesmo DNA, os clones têm o mesmo material genético do organismo original.

Seres idênticos

Clonagem de animais: a ovelha Dolly

Em 1996, no Instituto Roslin (Escócia), nasceu Dolly a ovelha mais famosa do mundo e a mais importante no campo da biomedicina.

Sua clonagem foi realizada a partir do núcleo de uma célula da glândula mamária (célula adulta) de uma ovelha Finn Dorset de seis anos de idade. Esse núcleo foi introduzido em um óvulo não fertilizado e foi assim que nasceu o primeiro mamífero clonado, após muitas tentativas.

Durante sua existência, Dolly deu à luz seis filhotes, o que provou que os animais clonados podem se reproduzir naturalmente. Contudo, em 2003, ela precisou ser sacrificada, pois sofria de várias patologias, como artrite e tumores pulmonares.

Embora as ovelhas dessa raça vivam até os 12 anos de idade, não devemos nos surpreender que Dolly tenha vivido apenas seis anos e meio, pois ela se desenvolveu a partir de uma célula adulta de uma ovelha que já tinha seis anos.

Por que clonar?

Talvez essa seja a questão mais interessante sobre o assunto, pois possui várias considerações éticas.

A clonagem de Dolly foi feita para criar fármacos para o gado leiteiro e, desde então, os cientistas têm usado essa técnica em diferentes animais para o desenvolvimento de medicamentos e para o progresso na engenharia genética. No entanto, existem outros propósitos:

Por exemplo, durante o acasalamento ou o nascimento de animais pecuários, existe um alto risco de lesão sexual ou transmissão de doenças. Portanto, se o objetivo for obter muitos filhotes, o acasalamento natural não é o mais eficaz.

Portanto, a reprodução assistida está crescendo: é o método que a maioria dos criadores usa. Com o tempo, os fazendeiros selecionaram os animais com as qualidades mais desejadas ​​para passar para a prole e, assim, garantir que essas características sejam repetidas nas gerações seguintes.

Portanto, a clonagem permite que o criador controle essas características no gado. Abaixo, vamos trazer mais detalhes de outros benefícios oferecidos por esse procedimento na pecuária.

Clonagem de animais: saúde

Os pecuaristas não se interessam por animais que sofrem de patologias, não apenas pelo custo adicional de medicamentos e consultas veterinárias, mas porque isso afeta a produção da carne e do leite. É por isso que é mais rentável ter seres saudáveis ​​e resistentes a doenças em um rebanho.

Animais adaptados ao clima

A clonagem permite selecionar os animais que melhor se desenvolvem em locais onde a temperatura e a umidade são as mais adequadas. Dessa forma, eles crescerão no ambiente mais adequado ao seu bem-estar e onde também poderão produzir alimentos de alta qualidade.

Capacidades corporais e fertilidade

Obviamente, os criadores procuram as melhores qualidades, dependendo do animal. Por exemplo, as vacas devem ser grandes para que possam produzir uma maior quantidade de leite e sejam muito férteis, assim como os touros.

É seguro nos alimentarmos de clones?

Se você estiver se perguntando se pode comer carne de um organismo que foi clonado, a resposta é sim. A FDA, Food and Drug Administration, agência reguladora de medicamentos e alimentos do governo americano, garante que os produtos obtidos de animais clonados são tão saudáveis ​​e seguros quanto os de qualquer outro animal que consumimos.

Devemos ter em mente que o principal objetivo dos clones nesse setor é a reprodução.

É seguro nos alimentarmos de clones?

E você, o que acha da clonagem de animais?

Em relação ao título deste artigo, podemos confirmar que a clonagem de animais é possívelÉ verdade que esse procedimento, realizado com sucesso há anos não é apenas útil na pecuária, pois também proporciona inúmeros benefícios à saúde das pessoas no campo da medicina.

Ainda assim, justifica-se modificar a ordem natural das coisas para um benefício exclusivamente humano? O debate continua aberto.

  • https://www.fda.gov/animal-veterinary/animal-cloning/primer-cloning-and-its-use-livestock-operations
  • http://www.animalresearch.info/es/avances-medicos/linea-de-tiempo/la-clonacion-de-la-oveja-dolly/
  • Chuaire, L., Sánchez, M.C. and Franco, M.L. Clonación animal: avances y perspectivas. Colombia Médica. (2004) 35(2):101-111.