Como reconhecer o mosquito-tigre-asiático?

17 Outubro, 2020
Nos últimos anos, a rápida proliferação do mosquito-tigre-asiático, principalmente na França, tornou-se uma ameaça alarmante para a saúde pública. Por que ele é tão prejudicial?

O mosquito-tigre-asiático é uma espécie de mosquito denominado Aedes albopictus, que pertence à família CulicidaeApesar de ser originário da Ásia, conseguiu se espalhar para praticamente todos os continentes. Quais são as características desse inseto?

Como reconhecer o mosquito-tigre-asiático?

A tentativa de reconhecer o mosquito-tigre-asiático a olho nu costuma ser bastante difícil, pois é um inseto pequeno que mede apenas 5 ou 10 milímetros. Além disso, a melhor chance de diferenciá-lo de outras espécies é observar seu padrão corporal.

Essa espécie de mosquito é caracterizada pela coloração preta predominante, com uma ornamentação branca típica no abdômen e tórax. Além disso, pode ser observada uma linha branca longitudinal que cruza sua cabeça e tórax.

Suas pernas também se distinguem pelas faixas pretas e brancas que as compõem. Embora essa característica possa confundi-los com outro mosquito muito conhecido e igualmente perigoso, o Aedes aegypti.

Como em outras espécies de mosquitos, as fêmeas são as únicas que picam para extrair sangue e obter proteínas para desenvolver seus ovos. Portanto, é possível diferenciá-las pela probóscide, uma espécie de tubo alongado e fino que as permite que penetrar a pele e sugar o sangue.

Origem e distribuição do Aedes albopictus

O mosquito-tigre-asiático é uma espécie nativa do sudeste da Ásia. A partir do final dos anos 70, Aedes albopictus rompe as barreiras de sua localização nativa e começa a se espalhar para outros continentes.

Origem e distribuição do Aedes albopictus

Em menos de 50 anos, o mosquito-tigre-asiático conseguiu se espalhar por todos os continentes do planeta, com exceção lógica da Antártica. Não é possível especificar como esses insetos conseguiram se espalhar de forma tão rápida e abrupta, mas esse fenômeno provavelmente está relacionado ao transporte intercontinental de pessoas, plantas e diversos bens.

Em meados da década de 1980, o mosquito-tigre-asiático já havia chegado ao continente americano: foi detectado no Brasil, nos Estados Unidos e no México. Alguns anos depois, conseguiu penetrar na América Central e também no Caribe. Já no final da década de 90, o inseto também foi identificado na Argentina e na Colômbia.

Especificamente na Europa, o mosquito-tigre-asiático foi avistado pela primeira vez durante os anos 2000. E em meados de 2006, o inseto já havia se espalhado por Bélgica, Espanha, França, Grécia, Holanda, Itália, Suíça, entre outros países europeus.

A preocupação com a sua presença na Europa aumentou após um surto de artrite epidêmica de chikungunya ocorrido na Itália em 2007. Até esse ano, a doença havia sido diagnosticada apenas em países tropicais, por isso ficou claro o fenômeno da globalização das doenças infecciosas.

Por que o mosquito-tigre-asiático é tão prejudicial?

Atualmente, o mosquito-tigre-asiático é classificado como uma das 100 espécies exóticas invasoras mais nocivas do mundo, de acordo com a lista da União Internacional para a Conservação da Natureza. Sua expansão foi rápida e agressiva, o que trouxe consigo um aumento das patologias tropicais no continente europeu e outras regiões anômalas.

Por que o mosquito-tigre-asiático é tão prejudicial?

O principal motivo pelo qual é considerada uma ameaça à saúde pública reside no fato de atuar como vetor de inúmeras doenças infecciosas. O mosquito-tigre-asiático pode ser o veículo de transmissão de doenças virais como dengue, febre amarela, chikungunya e, em menor escala, o vírus do Nilo Ocidental.

Também é importante mencionar que é uma espécie muito resistente e com grande capacidade de adaptação, o que explica por que tem conseguido sobreviver e se reproduzir em diferentes ecossistemas.

Os ovos desses insetos são capazes de resistir à dessecação e permanecer em um estado latente por um longo período de tempo. Quando em contato com a água, os ovos secos eclodem e dão origem a um grande número de larvas.

Combate e prevenção

A erradicação do mosquito-tigre-asiático é cara e muito complexa devido à sua incrível velocidade de reprodução e à resistência de seus ovos. Portanto, a estratégia mais eficaz e viável para controlar sua disseminação é investir em medidas preventivas.

Campanhas de conscientização pública sobre medidas preventivas simples e diárias, como evitar o acúmulo de água parada, vêm dando bons resultados, mas precisam ser intensificadas.