Coruja-orelhuda: a maior coruja da América do Sul

29 Janeiro, 2020
A coruja-orelhuda é uma das maiores da América do Sul. Trata-se de um pássaro carnívoro que está distribuído por todas as zonas temperadas do continente americano.

A coruja-orelhuda é uma espécie que pertence à ordem Strigiforme da família Strigidae. Seu nome científico é Bubo virginianus e possui pelo menos 16 subespécies.

O grande Bubo virginianus é a maior coruja na América do Sul. Seu nome Bubo deriva do latim e significa coruja. O epíteto virginianus refere-se ao estado da Virgínia, nos Estados Unidos.

Na esfera internacional, há uma leve preocupação em relação à sua preservação. Ela está incluída no Apêndice II da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagens (CITES).

Características da coruja-orelhuda

Os machos medem cerca de 51 centímetros e pesam de 680 gramas a 1,45kg. As fêmeas medem cerca de 60 centímetros e pesam entre 1 e 2,5kg.

Seu corpo é robusto, a cabeça arredondada, o bico curto e a cauda é relativamente pequena em comparação com as asas largas. Não possui orelhas salientes e, curiosamente, a sua orelha externa esquerda fica localizada um pouco abaixo da direita.

Embora em certas regiões seja chamada de coruja com chifres, ela não possui chifres. Esse nome deriva da presença de tufos de penas localizados em cada lado da cabeça, que se assemelham a chifres e orelhas compridas. As fêmeas têm um sistema de incubação na parte inferior do corpo.

Características da coruja-orelhuda

Penas marrons cobrem todo o corpo da coruja, das patas às garras. Essa coloração permite que a coruja se camufle entre as árvores. No rosto, há discos brancos com bordas pretas e plumas. Ela também tem uma garganta branca e um peito ocre com algumas listras pretas.

Os exemplares jovens são laranja-avermelhados, com a mancha branca da garganta menor e mais opaca, e as plumas dos ouvidos menores.

Distribuição e habitat da coruja-orelhuda

A coruja-orelhuda tem uma ampla distribuição, da região neoártica do Alasca ao centro-leste da Argentina. Portanto, é mais amplamente distribuída em áreas frias de terras altas e zonas temperadas. Em geral, tolera altitudes desde o nível do mar até 3.353 metros.

A coruja-orelhuda habita uma ampla variedade de tipos de vegetação, desde áreas arborizadas, manguezais, desertos, terrenos baldios, vegetação secundária, matagais associados a áreas arborizadas, plantações e savanas com árvores isoladas.

Portanto, está distribuída em quase todos os climascom exceção das áreas de tundra e chuvas tropicais, onde aparece esporadicamente.

Esta espécie está associada a paisagens fragmentadas e é considerada tolerante às atividades humanas. Pode ser observada ocasionalmente em parques, cidades e vilas.

Alimentação

A coruja-orelhuda é uma ave carnívora, e a sua visão eficaz lhe permite caçar desde pequenos insetos até vertebrados médios. É considerada uma caçadora oportunista, porque não é especializada em uma presa específica.

Alimentação da coruja-orelhuda

A alimentação diária dessa coruja depende da disponibilidade de presas, mas a maioria delas é de vertebrados terrestres. A sua dieta geralmente inclui gambás, camundongos, ratos, coelhos, lebres, porcos-espinhos, patos, gansos, outros pássaros, cobras e outros répteis, sapos, rãs, peixes, invertebrados como escorpiões, besouros, crustáceos e até animais de estimação.

Reprodução e comportamento

Ela pode fazer a sua casa em ninhos antigos de outros pássaros grandes, que geralmente são cavidades nos troncos de árvores robustas. Também nidifica em palmeiras altas, no galho principal de uma árvore, em cornijas e, às vezes, no chão.

Põe de um a seis ovos, que são incubados por 28 a 37 dias pela fêmea, que é alimentada pelo macho durante a noite. Os filhotes voam cerca de 10 a 12 semanas após a eclosão e permanecem sob os cuidados dos seus pais por mais cinco meses.

Seus hábitos são noturnos, embora realizem atividades ao entardecer e ao amanhecer, sozinhas ou em pares. Ela raramente caça durante o dia e, quando captura a sua presa, o faz no chão, realizando quedas acentuadas de grandes alturas. As presas pequenas são engolidas inteiras, enquanto as grandes são desmembradas.

Além de tudo isso, este é um pássaro extremamente territorial. A coruja-orelhuda luta para defender o seu território ou encontrar um parceiro. O som que sai da sua garganta soa como o típico “hoo-hoo, hoo-hoo” e é tão alto que pode ser ouvido a vários quilômetros de distância.

Hilty, S. L. y W. L. Brown (2001). Guía de las Aves de Colombia. Princetn. Univ. Press, Princeton, NJ.