Os crocodilos são agressivos?

27 Julho, 2020
O crocodilo é o maior réptil de toda a fauna. Embora aparentemente não seja um animal agressivo, as precauções são essenciais para as pessoas que os abordam.
 

Esses grandes répteis semiaquáticos atacam principalmente devido à fome, para defender seus filhotes ou quando se sentem ameaçados e encurralados. Na maioria dos casos, as pessoas, seja por curiosidade ou porque estão fazendo turismo, tendem a transgredir os limites lógicos permitidos para contemplar esses grandes crocodilos.

Os crocodilos são predadores naturais cujo habitat foi gradualmente invadido pela presença dos seres humanos. Eles costumam ir embora se as pessoas se aproximam, mas podem ser agressivos se forem incomodados.

Esses animais têm mandíbulas fortes, dentes afiados e atingem até cinco metros de comprimento. Eles reagem violentamente ao seu principal predador, que é o ser humano.

Senso comum?

É relativamente comum casos de imprudência de homens e mulheres que querem se aproximar para tirar uma selfie, colocando o rosto ao lado das mandíbulas dessas máquinas trituradoras, confiantes de que na maioria vezes o animal reage de forma lenta e preguiçosa por sua corpulência.

A realidade desses grandes animais é que eles têm movimentos ágeis e precisos. Outros acidentes que ocorrem com alguma frequência estão relacionados a turistas aventureiros.

Alguns até tentam colocar carne, frango ou peixe dentro de suas grandes mandíbulas, sem qualquer precaução. O que acontece é que os crocodilos confundem o alvo e atacam essas pessoas que não tomam o cuidado necessário.

 

Por que os crocodilos são agressivos?

Os crocodilos costumam se alimentar de quase tudo. Eles são oportunistas: tiram vantagem de tudo que estiver ao seu alcance. Em alguns lugares, isso se torna um problema, porque associam a presença dos seres humanos à comida.

Existe uma falsa percepção de que apenas os maiores exemplares devem ser temidos. A realidade é que os crocodilos são agressivos, tanto os maiores quanto os menores. Devemos ter cuidado com todas as espécies e não considerar nenhuma delas inofensiva. Até as menores mordidas costumam ser muito dolorosas.

Tipos de crocodilos

Existem 23 espécies identificadas de crocodilos, tanto de água doce quanto de água salgada. Eles pertencem à ordem Crocodylia, a mesma família dos jacarés, mas com muitas diferenças.

Os crocodilos mais conhecidos por seus ataques aos seres humanos são o crocodilo-do-nilo e o crocodilo-marinho. Outras espécies são o jacaré-norte-americano, o crocodilo-cubano, o jacaré-açu e o gavial.

Esses animais são ótimos nadadores, capazes de desenvolver velocidades em torno de 32 km/h. Eles também têm a capacidade de respirar debaixo d’água, para que possam permanecer submersos por um longo tempo sem grandes problemas.

Na prática, muitos desses animais permanecem imóveis nas profundezas dos rios, incapazes de se mover quando estão fazendo digestão.

Tipos de crocodilos
 

Curiosidades

Os crocodilos não têm o costume de se alimentar diariamente, e sim a cada sete dias. Eles não saem para caçar, mas esperam que suas presas apareçam. Como na maioria das vezes estão dentro da água, podem ter acesso a quase todos os animais que vão se hidratar nas margens de rios ou lagoas. Por isso, não têm a necessidade de procurar por alimento.

Dentre suas presas, não é frequente que se alimentem de seres humanos. Mas, como são caçadores oportunistas, se estiverem com fome e as pessoas estiverem ao seu alcance, não deixarão passar a oportunidade.

Os crocodilos não se movem rápido em terra. Suas patas são bastante curtas em comparação com o tamanho do corpo e, ao mesmo tempo, são muito pesados. Portanto, eles perdem a habilidade e a elegância, mas, acima de tudo, a velocidade que demonstram ter na água.

Seus dois principais objetivos quando se trata de sair para as superfícies secas é tomar sol e pôr seus ovos: as fêmeas podem botar até 100 ovos de uma única vez. Sua pele texturizada e escamosa permite que eles aproveitem os benefícios do sol sem prejuízos.

De forma contraditória, essa é a mesma pele que os protege na vida selvagem e que significa muito dinheiro para seus predadores humanos. Na maioria das vezes na forma de botas, carteiras ou similares, o que ameaça seriamente a continuidade das espécies.