Como cuidar de um gato com uma pata amputada

09 Julho, 2020
Nesse tipo de situação, precisamos ter muita paciência com nosso bichinho... Quais são os cuidados necessários para um gato que teve uma pata amputada?
 

Um gato com uma pata amputada pode deixar os humanos que cuidam dele muito confusos. Embora seja um fato que causa tristeza, também é preciso dizer que, depois de um tempo, os gatos se adaptam perfeitamente à nova situação.

As razões pelas quais um felino pode passar pela amputação de uma pata podem ter a ver com fraturas nos ossos ou doenças malignas. Em relação aos problemas ósseos, trata-se de casos nos quais é impossível que os ossos se colem e permitam uma mobilidade aceitável ao animal.

Embora à primeira vista pareça uma medida drástica, na verdade, um gato com uma pata amputada evolui de forma muito mais favorável do que se estivesse com um osso mal colado.

Quais são os cuidados necessários para um gato com uma pata amputada?

O procedimento cirúrgico é relativamente simplesO veterinário ou veterinária administra analgésicos e anestésicos e, então, remove o membro. Os maiores cuidados começam em casa, pois é necessário que um gato com uma pata amputada permaneça em repouso e que a ferida não seja lambida.  

O felino voltará para casa com a área da ferida enfaixada. Então, será importante seguir os cuidados de acordo com as indicações médicas. Os curativos, geralmente, devem ser trocados diariamente. Os analgésicos, por sua vez, são essenciais, pois a dor pode ser bastante incômoda nos primeiros dias.

Como cuidar de um gato que tenha uma pata amputada
 

O colar elizabetano será inevitável para um gato que teve uma pata amputada. Até que a ferida esteja completamente cicatrizada, se o animal lamber ou morder a área para arrancar os pontos, poderá haver complicações.

É necessário lembrar que os cuidados em casa não são suficientes. Durante as primeiras semanas, o veterinário deverá monitorar a evolução da pata do animal.

Adaptação à nova vida

No começo, será um pouco difícil. O gato não vai entender o que aconteceu: ele vai tentar andar e não vai conseguir. Por isso, é normal que ele fique ansioso e até mesmo arranhe. O animal vai estranhar o fato de não conseguir pular de um móvel para outro da casa, como os felinos geralmente fazem.

Para facilitar esse processo de adaptação para o nosso amigo felino, podemos fornecer superfícies macias para que ele fique deitado durante mais tempo.

As rampas são um dos recursos para ajudar um gato com uma pata amputada, principalmente para que eles possam subir e descer de janelas e lugares que permitam o acesso ao exterior, caso existam na casa. É importante que o gato mantenha uma vida ativa e se recupere o mais rápido possível, principalmente se já tiver uma certa idade.

Como cuidar de um gato que tenha uma pata amputada
 

Caso seja um animal idoso, uma prótese para gatos com uma pata amputada pode ser muito útil, pelo menos até que se adapte à ausência do membro. Se ele permanecer muito inativo, será necessário pensar em uma dieta específica para que o animal não ganhe peso, pois isso somente teria como resultado uma maior imobilidade.

Quando o gato sentir confiança e tranquilidade, ele será capaz de se mover naturalmente, pouco a pouco. Se a amputação for de uma das patas traseiras, ele não terá dificuldade para se mover tão naturalmente quanto antes da operação.

Caso seja amputada uma pata dianteira do felino, a recuperação levará um pouco mais de tempo por causa da distribuição do peso própria dos quadrúpedes, entre outros fatores. O animal simplesmente vai precisar reaprender como apoiar seu peso corporal. Esse processo geralmente requer entre quatro e seis semanas.

Algumas dicas interessantes

A seguir, você encontra uma lista de dicas para ajudar um animal de estimação que teve uma pata amputada:

  • Fazer curativos na ferida e fornecer analgésicos durante a primeira semana após a operação. 
  • Fazer o devido acompanhamento com o veterinário.
  • Fornecer superfícies e rampas adequadas para que ele não force a nova mobilidade.
  • Oferecer uma dieta equilibrada para que ele não engorde.
  • Não forçar o animal a andar se ele não sentir vontade de fazer isso.
  • Incentivar o animal com os brinquedos e alimentos favoritos.
  • Adaptar comedouros e os locais onde o gato faz as necessidades.
  • Manter seus espaços e o pelo limpos.
 

Em conclusão, o amor recebido é o que mais vai trazer benefícios para um gato com uma pata amputada. O animal percebe a dedicação e a confiança, além dos cuidados para uma cicatrização adequada. A paciência é fundamental nessa nova etapa de sua vida.