Dicas para cuidar da pelagem dos cães

17 Setembro, 2020
A pelagem dos cães desempenha funções muito importantes para a sua saúde. A seguir, vamos mostrar algumas formas de cuidar dela.

Todo tutor sabe ​que, para o animal de estimação, a ida ao banho e tosa não é nada agradável. Para um cachorro, ficar quieto e ser manipulado por um estranho geralmente não é prazeroso. Mesmo assim, esse tipo de procedimento é necessário, não apenas por questões estéticas, mas também porque cuidar da pelagem dos cães é sinônimo de saúde.

Geralmente, nossos animais de estimação convivem conosco em vários espaços, incluindo o nosso quarto e às vezes até mesmo o sofá. Por isso, gostamos que estejam limpos e não tragam sujeira para dentro de casa.

A pelagem tem diversas funções essenciais

No entanto, cuidar da pelagem dos cães não se restringe apenas a beleza e limpeza: a pelagem é um complemento muito importante na vida dos cães.

Cada raça é fisiológica e morfologicamente adaptada à área em que vive. A pelagem dos cães é uma das adaptações mais importantes ao seu ambiente original.

Graças à sua pelagem, os cães ficam protegidos dos fatores ambientais, tais como temperaturas extremas ou umidade. Esse manto de estruturas queratinizadas cria uma barreira semelhante a uma câmara de ar, mantendo o calor do corpo em climas frios e criando uma pequena corrente de ar para ventilação em dias quentes.

Ao mesmo tempo, a pelagem também os protege do sol, evitando irritações e queimaduras na pele. Dessa forma, podemos imaginar que a pelagem dos cães também protege a pele contra possíveis lesões que possam ocorrer durante as brincadeiras ou os passeios.

O brilho e a qualidade da pelagem dos cães são indicadores da saúde do animal, e ela varia de acordo com a raça, o sexo e a idade. A seguir, vamos apresentar uma série de fatores a serem levados em consideração em relação ao cuidado da pelagem dos cães.

Dicas para cuidar da pelagem dos cães

A pelagem dos mamíferos é a primeira barreira de defesa que eles apresentam contra patógenos e intempéries.

Dicas para cuidar da pelagem

  • Alimentação

Para ter uma pelagem saudável, forte e brilhante, a pele também deve estar saudável. E, para um cachorro ter uma pele saudável, é preciso dar atenção especial à alimentação.

A alimentação deve ser balanceada, com a quantidade adequada de proteínas, carboidratos e gorduras. As gorduras devem incluir ácidos graxos ômega 3, ômega 6 e antioxidantesEssas substâncias revestem os pelos, proporcionando o brilho e a proteção necessários.

Se a alimentação do animal não for boa o suficiente, todos os nutrientes fornecidos pela dieta serão utilizados para funções mais essenciais, tais como a renovação celular. Isso terá como resultado uma pelagem com uma qualidade inferior.

Antigamente, as pessoas adicionavam suplementos alimentares caseiros, tais como ovos, óleo de peixe ou manteiga. Atualmente, podemos encontrar no mercado diferentes opções de rações que incluem todos esses componentes para uma pele saudável e de uma forma verdadeiramente balanceada para as necessidades do nosso cachorro.

  • Banho

O banho é uma parte fundamental da higiene canina. Essa atividade mantém alérgenos, parasitas e bactérias longe do nosso amado peludo e do seu ambiente.

O banho é uma ação totalmente recomendável para manter a pelagem limpa e saudável. No entanto, também não podemos exagerar na quantidade de banhos por mês, já que iríamos alterar o pH da pele do nosso animal de vez em quando. Dependendo da atividade e da pelagem do cachorro, o banho é recomendado a cada 3 semanas ou uma vez por mês.

A escolha do xampu é um aspecto importante a ser levado em consideração. Dependendo do tipo de pele e pelagem, existem diferentes tipos de xampu. O veterinário sempre estará disponível para nos aconselhar sobre o mais adequado para o nosso cachorro. O melhor xampu será aquele que consiga nutrir, regenerar e fortalecer o pelo e a pele.

Também é altamente recomendável fazer uma massagem com o xampu durante o banho. Dessa forma, ativamos as glândulas sebáceas da pele, e o cachorro vai adorar. Experimente!

Também devemos prestar atenção à secagem da pelagem, que deve ser feita na mesma direção do crescimento dos pelos. Essa etapa é importante, pois manter a pelagem úmida por muito tempo pode causar desconforto ao animal.

Dicas para cuidar da pelagem dos cães

  • Escovação

Ao escovar a pelagem do cachorro periodicamente, removemos pelos mortos, sujeira e descamações da pele.

Através da escovação, também conseguimos estimular o bulbo e, na época da troca de pelos, há uma aceleração dessa troca.

Ao mesmo tempo, com essa atividade, conseguimos evitar a presença de elementos irritantes para a pele, os quais desequilibram a flora bacteriana e facilitam uma subsequente colonização por patógenos.

Podemos imaginar que, seguindo esse caminho, também vamos evitar o aparecimento de parasitas externos, como, por exemplo, as indesejadas pulgas e carrapatos. Para evitar a presença desses parasitas, também podemos aplicar produtos recomendados pelo veterinário.

Existem diferentes tipos de escovas ou luvas de acordo com o tipo de pele e de pelo de cada cachorro. É aconselhável escovar de forma constante 1 a 2 vezes por semana, sempre dependendo do tipo de pelo do animal.

Tipos de pelagem dos cães

Dependendo da raça do cachorro, sua pelagem será diferente e, portanto, a forma de cuidar dela também.

Os principais tipos de pelagem dos cães e os cuidados recomendados são:

  • Pelo curto: escovar 1-2 vezes por semana e dar banho uma vez por mês ou a cada mês e meio.
  • Pelo comprido: escovar diariamente e dar banho uma vez por mês.
  • Pelo duro: escovar diariamente e dar banho 3-4 vezes por mês.
  • Pelo encaracolado: escovar diariamente e dar banho a cada 20 dias aproximadamente.

Além disso, em raças de pelo comprido e encaracolado, a escovação mais cuidadosa também vai ajudar a eliminar os nós, que são muito incômodos para o animal.

Seguindo essas dicas, a pelagem do nosso animal de estimação ficará saudável e bonita, o que ele certamente vai adorar a longo prazo.

Piel, Dialnet. Recogido a 8 de Mayo en https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4943892

Aceite de pescado, Dialnet. Recogido a 8 de Mayo en https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6627207