5 dicas para manter vários animais de estimação em casa

19 Outubro, 2020
Casas com vários animais de estimação estão se tornando mais populares a cada dia.

Se ter um gato ou um cão já causa muitas dúvidas para uma pessoa, ter vários animais de estimação em casa pode ser um desafio. Muitos fatores devem ser levados em consideração, como a existência de espécies potencialmente incompatíveis, geralmente aquelas que na natureza possuem uma relação predador-presa.

Neste artigo, vamos oferecer 5 dicas para ter vários animais de estimação em casa e evitar muitos dos problemas decorrentes dessa situação.

Ter vários animais em casa… Quantos?

Diante dessa pergunta, poderíamos pensar “quantos quisermos”, mas não é assim. Em muitas localidades, existem regulamentações para o número de animais de estimação que uma pessoa pode ter em casa. Por isso, informe-se sobre isso antes de ampliar o número de bichinhos em casa.

Portanto, nosso primeiro conselho é não ter mais animais de estimação do que os permitidos pelo município em que você mora a fim de evitar problemas com vizinhos e autoridades.

Ter vários animais em casa... Quantos?

Tente escolher espécies compatíveis

Teoricamente, certas espécies não serão compatíveis com outras devido ao seu status de presas. É o caso de pássaros e roedores, que podem viver em estados de estresse crônico. No entanto, há evidências de que esses animais podem viver em harmonia com seus “predadores”, principalmente se foram criados juntos desde a infância.

Muitas pessoas pensam que cães e gatos não podem se dar bem, mas, na verdade, acontece o contrário. É mais fácil para um gato e um cachorro viverem felizes juntos do que para dois gatos. 

Isso acontece porque o significado territorial desses animais é diferente. Os cães vivem em grupos familiares e muitas vezes aceitam novos membros. Ao contrário, os gatos formam colônias matrilineares e não permitem a incorporação de outros gatos, principalmente se o gato que já mora na casa for uma fêmea.

Faça uma apresentação correta

É muito importante fazer uma apresentação correta de acordo com as espécies que queremos que vivam juntas. A coexistência futura dependerá muito de como o relacionamento começa.

  • Em cães, é desejável escolher um espaço neutro e silencioso com poucos estímulos. Os cães devem saber como conhecer outro cão. Contudo, nem todos os cães sabem fazer isso, o que pode ser um problema. Primeiro, devemos nos informar sobre os sinais de calma em cães e nos certificar de que nosso animal os execute corretamente.
  • A apresentação de dois gatos pode levar aproximadamente um mêsPortanto, devemos ser pacientes o suficiente e ter um espaço suficiente em casa para realizar essa apresentação.
  • Para que um cão e um gato vivam na mesma casa, só é necessário garantir que o cão não deseje comer o outro animal. É interessante que o cão tenha uma atitude curiosa em relação aos gatos. Assim, você percebe que ele não os procura para caçá-los, mas para descobrir o que são. O período de adaptação após a apresentação entre um cão adulto e um gato pode ser longo, mas eles acabarão se dando bem. Entre filhotes, eles provavelmente começarão a brincar quase imediatamente.
  • Não é recomendado que gatos e pássaros coexistam, devido ao instinto predatório dos primeiros. Além disso, não podemos condenar pássaros a viver em gaiolas. Eles precisam poder sair diariamente e se relacionar com o ambiente. Apesar disso, cada indivíduo, independentemente da espécie, tem a sua maneira de se comportar: é único, por isso haverá gatos que se relacionam perfeitamente bem com os pássaros, ainda mais se estes forem de tamanho médio, como alguns papagaios.
Faça uma apresentação correta

Enriquecimento ambiental adaptado a cada espécie

O enriquecimento é fundamental para a saúde psicológica dos nossos animais de estimação. Em muitos casos, esse enriquecimento tem a função de imitar o ambiente natural da espécie ou permitir ao indivíduo realizar os comportamentos inerentes à sua espécie.

Para os cães, o enriquecimento mais interessante é o olfativo. O trabalho com os cheiros vai exaurir mentalmente nossos cães, o que os deixará felizes e muito mais receptivos a viver com o resto dos animais de estimação na casa.

Os gatos devem ser exercitados. É realmente interessante que eles tenham lugares para se esconder quando não quiserem interagir com outros membros da casa. Além disso, se eles tiverem móveis altos para observar o ambiente, vão se sentir muito mais seguros.

Aves – principalmente papagaios – e roedores devem ter brinquedos e mordedores em suas gaiolas. No entanto, eles precisam da opção de poder sair todos os dias.

É muito importante que cada animal tenha seu enriquecimento. Se um dos animais de estimação começar a desenvolver comportamentos anormais, a coexistência pode não ser saudável e o equilíbrio criado na casa pode ser destruído.

Enriquecimento ambiental adaptado a cada espécie

Estabilidade econômica para ter vários animais

Ter vários animais de estimação em casa é uma despesa financeira elevada. Só as despesas veterinárias anuais de um animal saudável podem ultrapassar os 500 reais. Se, infelizmente, o animal ficar doente, essas despesas vão aumentar. Além disso, aves e roedores devem ser atendidos por veterinários especializados em fauna exótica, o que é um acréscimo na conta.

Para manter nossos animais de estimação saudáveis, a alimentação também deve ser de qualidade. Alimentos e snacks baratos tendem a causar problemas hepáticos e renais em todas as espécies, o que encurtará suas vidas.

Devemos avaliar muito bem a nossa situação financeira antes de ter animais de estimação, porque a vida deles depende de nós.