Dicas para mudar a alimentação do seu cão

11 Maio, 2020
São vários os motivos para mudar a alimentação do seu cão. Se você estiver pensando em fazer isso, aqui vamos dar algumas dicas úteis.
 

Existem diversas etapas na vida de um cão e, portanto, sua dieta deve variar para se adaptar às diferentes mudanças. Mas, às vezes, estabelecer essas mudanças pode ser difícil para eles e para nós. Por isso, no artigo a seguir, vamos dar algumas dicas para mudar a alimentação do seu cão.

O cachorro e a alimentação

A hora das refeições é certamente um dos momentos mais desejados por um cão. Do ponto de vista evolutivo, os cães se adaptaram a não variar muito a dieta. O principal motivo está na flora intestinal, uma série de microrganismos benéficos que residem no sistema digestivo e que auxiliam nos processos relacionados à nutrição.

Essa flora intestinal nos cães é menos adaptada às mudanças se a compararmos, por exemplo, com a nossa. Isso significa que um cachorro deve sempre comer a mesma coisa? Sim e não. Mudar a alimentação do cão é algo que deve ser feito, mas seguindo alguns passos e respeitando um certo período de tempo.

As necessidades nutricionais de um cão variam ao longo de sua vida, por isso é importante saber quando e que tipo de alimento temos para dar ao nosso animal de estimação.

Dicas para mudar a alimentação do cão.
 

Mudar a dieta de acordo com a idade

Assim como ocorre conosco, a dieta do cão varia à medida que ele vai crescendo. Os filhotes começam se alimentando de leite materno ou de fórmulas veterinárias especiais, mas quando atingem as primeiras semanas de vida, é interessante que o filhote comece a comer alimentos sólidos.

Após os primeiros meses, nosso jovem cão precisará de uma contribuição nutricional diferente: um requerimento de energia cada vez menor, mas que inclua proteínas e carboidratos.

À medida que cresce, a dieta de manutenção vai se transformando gradualmente em uma dieta especialmente indicada para cães idosos, considerando uma contribuição de fibras e antioxidantes mais significativa.

Para garantir que essas alterações sejam feitas corretamente, é melhor contar com a ajuda de um veterinário ou um especialista em nutrição animal.

Certamente, uma das primeiras recomendações que vamos ouvir será realizar todas as mudanças na dieta de maneira gradual, pouco a pouco. Dessa forma, o impacto tanto para o cão como para sua flora intestinal será menor, já que o novo alimento pode ser adicionado gradualmente.

 

Truques para mudar a alimentação

Como dissemos, um dos truques que devem ser levados em consideração é o momento em que as alterações devem ser feitas. Um cão exigente notará menos a mudança em sua dieta se a fizermos pouco a pouco.

O mais comum é que, ao longo de uma semana, o recipiente de comida de nosso animal de estimação vá ganhando mais alimentos novos.

Um truque muito comum, e que geralmente funciona, é misturar os dois tipos de ração – ou os alimentos que estamos incluindo – no recipiente. Dessa forma, se nosso animal de estimação for muito “delicado”, será mais difícil para ele diferenciar entre os dois.

Evitar deixar a tigela de comida durante o dia todo também pode ajudar nosso cão a se acostumar com o novo tipo de dieta. Se o cão estiver acostumado a comer em uma determinada hora do dia, a mudança será menos difícil. Seja como for, sempre leve em consideração os conselhos do seu veterinário para realizar a alteração da melhor maneira possível.

 

Suchodolski, J. S. (2011). Intestinal microbiota of dogs and cats: a bigger world than we thought. Veterinary Clinics: Small Animal Practice41(2), 261-272.