Doenças que causam dificuldade respiratória em cães

05 Novembro, 2020
A origem de uma respiração difícil e problemática em cães é bastante variada. Isso deixa os tutores e o veterinário frente a um verdadeiro desafio para evitar complicações.

Existem inúmeras patologias que desencadeiam dificuldade respiratória em cães. O histórico, os sintomas e o exame físico geralmente são suficientes para determinar quais áreas do sistema respiratório estão envolvidas. Dessa forma, o veterinário pode ser mais eficaz na determinação de um diagnóstico adequado.

Para isso, o trato respiratório é dividido em várias áreas: vias aéreas, parênquima pulmonar (tecido que compõe o órgão) e espaço pleural. Se você quiser saber mais sobre esse mundo de patologias caninas, continue lendo.

Doenças que causam dificuldade respiratória em cães

A seguir, vamos falar sobre uma série de patologias que afetam o sistema respiratório e que causam dificuldade para respirar.

Patologias das vias respiratórias superiores

Em primeiro lugar, as vias aéreas superiores são constituídas por narinas, boca, faringe, glote e epiglote. As patologias que afetam esses órgãos geralmente se apresentam com sons respiratórios anormais altos. É o que se conhece como estridor ou estertores e são audíveis sem a necessidade de um estetoscópio.

Como regra geral, o desconforto respiratório com origem nas vias aéreas superiores resulta de uma obstrução. Os sintomas pioram durante os exercícios ou quando o cão está agitado, porque aumenta o estreitamento das vias. No entanto, em repouso, os parâmetros respiratórios podem se tornar quase normais.

Esse retorno da função pulmonar ao normal quando em repouso é um dos principais sinais de obstrução das vias aéreas superiores.

Muitos pacientes com essas patologias procuram a clínica veterinária com episódios recorrentes de febre. Isso faz com que a termorregulação não seja eficaz porque, durante a respiração ofegante, o volume de ar que passa pela língua é insuficiente.

Além disso, o aumento da temperatura inicia um ciclo vicioso. Estimula o aumento da frequência respiratória e a respiração ofegante, estreitando ainda mais as vias aéreas.

Doenças que causam dificuldade respiratória em cães

Quais são as causas mais comuns de obstrução?

É importante observar que raças braquicefálicas (como buldogues ou pugs) são geneticamente predispostas a ter vias aéreas superiores bloqueadas. Algumas das causas mais comuns dessas obstruções são as seguintes:

  • Paralisia da laringe.
  • Colapso da traqueia.
  • Pólipos ou tumores no lúmen do trato respiratório superior.
  • Aspiração de corpos estranhos.

Patologias das vias respiratórias inferiores

Nesse caso, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos podem ser afetados. O mais comum é que sejam anormalidades dos brônquios e bronquíolos, de origem inflamatória, sendo a tosse o achado clínico mais comum. Geralmente é uma tosse forte e tende a exacerbar a inflamação, criando um novo ciclo vicioso.

Quais são as causas mais comuns da dificuldade respiratória?

O normal é que haja uma obstrução das vias mais próximas do pulmão devido ao aumento da produção de muco. Esse muco se acumula e enfraquece o restante do sistema respiratório. Por isso, é comum que o quadro se complique com uma broncopneumonia.

Entre as causas mais comuns dessas patologias estão:

  • Bronquite crônica canina.
  • Massas ou corpos estranhos no lúmen do trato respiratório inferior.

Patologias do parênquima pulmonar

Qualquer doença que afete o pulmão apresentará graus variados de hipóxia (falta de oxigênio no sangue) e, portanto, dificuldade respiratória. Isso se deve a um desequilíbrio na ventilação devido à inflamação ou ao fechamento dos alvéolos.

Na ausculta, é comum ouvir sons respiratórios anormais, como estalos. O coração do cão também precisa passar por exames cuidadosos a fim de detectar sinais de insuficiência cardíaca congestiva.

Se houver tosse, geralmente é produtiva. Ou seja, suave e úmida, para eliminar as secreções derivadas da inflamação pulmonar.

Quais são as causas mais comuns?

Apresentaremos as causas mais comuns de doenças do parênquima pulmonar:

  • Pneumonia, existindo vários tipos. Por exemplo, a pneumonia por aspiração após vômito.
  • Edema pulmonar e hemorragia, Em última análise, um acúmulo anormal de líquido no pulmão. Típico, por exemplo, de insuficiência cardíaca congestiva.
  • Doença tromboembólica pulmonar.
  • Tumores.

Patologias do espaço pleural

O espaço pleural é definido como a lacuna virtual entre a parede torácica e os órgãos torácicos. É virtual porque realmente só existe um espaço verdadeiro no caso da patologia, isto é, no caso de fluido ou ar se acumularem indevidamente em seu interior.

Isso levará a algum grau de disfunção pulmonar com aumento da frequência respiratória e dispneia. Além disso, ao ouvir o tórax, os sons do pulmão e do coração serão diminuídos ou abafados. Por quê? Porque há uma substância estranha ocupando esse espaço virtual e afastando os órgãos da parede torácica.

Os derrames pleurais são classificados de acordo com o tipo de fluido contido. Um dos mais comuns é o hemotórax (acúmulo de sangue) após um acidente, ou pneumotórax, por exemplo, quando uma costela se rompe e atravessa a parede torácica permitindo a entrada de ar.

Patologias do espaço pleural

Protegendo a respiração canina

Na verdade, o diagnóstico exato da causa desse problema é um verdadeiro desafio para o veterinário. As possibilidades são quase infinitas e muitas vezes várias coisas acontecem ao mesmo tempo, principalmente quando se trata de uma doença infecciosa.

Portanto, a realização de exames complementares, como análises ou radiografias, podem ser os melhores aliados de um profissional que deseja descobrir os motivos do desconforto respiratório em cães.