Equoterapia: para que serve?

10 Junho, 2018

A Equoterapia consiste no uso de cavalos em atividades terapêuticas para seres humanos. Por isso, este tratamento foi considerado alternativo e questionado durante muitos anos. Felizmente, os avanços dos estudos médicos permitiram que os cientistas reconhecessem os benefícios da terapia equina para a saúde.

Atualmente, as atividades de terapia assistida com cavalos são amplamente recomendadas pela medicina. As indicações são diversas, bem como os tipos de exercícios e formas de contato com o cavalo.

Breve história de equoterapia

Nas últimas décadas, as indicações médicas para a terapia assistida com equinos cresceram significativamente. No entanto, as propriedades benéficas dos tratamentos com esses animais já eram conhecidas pelas civilizações clássicas.

Os primeiros registros conhecidos de receita médica para esse tratamento são provenientes da Grécia Antiga. Naquela época, os cavalos já eram usados ​​para prevenir e reabilitar múltiplas doenças físicas e psicológicas.

No século 17 a terapia com equinos recuperou importância em estudos médicos. A partir daí, também é incorporado como tratamento para os efeitos negativos da gota.

Benefícios da equoterapia para a saúde

O princípio terapêutico comum aos diferentes exercícios de terapia assistida com equinos é baseado na estimulação motora e cognitiva.

Equoterapia

Por um lado, o movimento tridimensional do cavalo é capaz de estimular os músculos e as articulações do corpo humano. Esta técnica de estimulação controlada é muito eficiente para melhorar a capacidade motora. Além disso, ajuda na reabilitação de acidentes e traumas.

Por outro lado, o cavalo é sensível, sociável e perspicaz. O contato com este animal permite desenvolver a capacidade de comunicação, integração e cognição de crianças e adultos, por isso é amplamente utilizado como terapia para doenças e distúrbios mentais ou neurológicos.

Indicações médicas de equoterapia

A equoterapia está ganhando espaço no tratamento de diversos distúrbios físicos e mentais. Tudo graças aos múltiplos benefícios nos sistemas motores e neurológicos de pacientes crônicos.

Atualmente, o cavalo é usado como uma ferramenta terapêutica para reabilitar crianças, adolescentes e adultos. Além disso, beneficia os níveis psicológico, neuromuscular, cognitivo e social.

Exemplos de terapia

Os casos onde a terapia assistida equestre é mais comumente recomendada são:

  • Lesões, derrames e paralisia cerebral
  • Síndromes ou lesões que afetam a medula espinhal
  • Ataxias
  • Asma
  • Parkinson
  • Distrofias musculares
  • Síndromes que afetam o crescimento
  • Distúrbios que dificultam habilidades de socialização
  • Fibromialgia
  • Síndrome de Down
  • Autismo
  • Esclerose múltipla
  • Traumas e várias dificuldades motoras
  • Reabilitação de acidentes
  • Doenças físicas e psicomotoras
  • Dificuldades de linguagem e comunicação
  • Distúrbios comportamentais

Modalidades de equoterapia

Existem diferentes modalidades de práticas terapêuticas com cavalos. Cada um é escolhido de acordo com o transtorno a ser tratado.

Equitação terapêutica

É considerada a base das atividades terapêuticas da equoterapia. Consiste em realizar exercícios físicos controlados ao andar de cavalo. É indicado para diversas reabilitações psicopedagógicas e fisioterapêuticas.

Hipoterapia

Consiste no tratamento neurofisiológico integral que é realizado na parte de trás do cavalo. As atividades são realizadas de acordo com orientação médica e sob supervisão de fisioterapeutas especializados em equoterapia.

Baseia-se em uma base terapêutica:

  • Transferência de calor para o paciente a partir da temperatura corporal do cavalo.
  • Os impulsos rítmicos do cavalo.
  • Os movimentos tridimensionais do animal.

Equitação psicopedagógica

Reúne um conjunto planejado de intervenções pedagógicas e psicológicas. Suas ferramentas de trabalho consistem no cavalo e seu ambiente. É principalmente indicado para melhorar a concentração e problemas de aprendizagem de crianças e adolescentes. Mas também para melhorar a independência e a adaptação das pessoas com deficiência.

Equoterapia

Equoterapia social

Tem a mesma base de ação da equitação psicopedagógica. Mas o foco é terapeuticamente usar a relação afetiva estabelecida entre o cavalo e o paciente.

É amplamente utilizado para melhorar a inserção social e a comunicação em casos de distúrbios do espectro do autismo. É também uma ferramenta na reabilitação de traumas psicológicos e/ou problemas de comportamento.

Equitação adaptada

Investe na adaptação da atividade equestre como esporte para pessoas com deficiência física.

Terapias ocupacionais com equinos

Nesta modalidade, a Equoterapia é utilizada como meio de inserção laboral, principalmente para deficientes. A terapia com equinos em todas as suas modalidades só pode ser realizada sob a orientação de profissionais especializados. Cada paciente deve receber cuidados e tratamento personalizados para escolher o cavalo, planejar os exercícios e a periodicidade das seções.