Os gatos têm ansiedade?

10 Outubro, 2020
A ansiedade é uma sensação muito desagradável conhecida por todos, mas será que o seu gato também pode sofrer com ela?

A ansiedade é, infelizmente, uma patologia cada vez mais diagnosticada na população em geral. Muitos de nós conhecemos os seus sintomas: sudorese, dores no peito, falta de concentração e cansaço excessivo são alguns deles. Nessa sociedade de contínuos estímulos e responsabilidades, o nervosismo crônico está na ordem do dia.

Ainda que possa não parecer, mesmo que a capacidade emocional de animais não humanos seja frequentemente questionada, os animais de estimação também podem sentir ansiedade. Afinal, essa sensação coloca o corpo em alerta e o prepara para situações perigosas, algo essencial para a sobrevivência na natureza.

A seguir, vamos mostrar como identificar os transtornos de ansiedade em gatos, suas possíveis causas e algumas dicas gerais para resolvê-los.

Cada animal tem a sua própria percepção

Em primeiro lugar, deve ficar claro que a ansiedade depende de duas coisas, principalmente:

  • A natureza do estímulo que causa essa sensação.
  • A predisposição do animal para experimentá-la.

Não se deve esquecer que, assim como as pessoas, os animais são indivíduos com histórico prévio e personalidades diferentes. Portanto, há gatos mais nervosos e outros mais calmos, e o que gera indiferença em um pode desencadear um quadro de ansiedade em outro.

Cada tutor conhece o seu animal de estimação melhor do que ninguém, e observar o animal para decifrar suas características emocionais será essencial para o diagnóstico. Ainda assim, existem dois fatores ambientais gerais que podem causar ansiedade em gatos.

gatos com ansiedade

Ambiente físico

Alguns desses fatores físicos promovem a ansiedade felina:

  • Ausência de locais que permitam o uso tridimensional do espaço, tais como arranhadores, torres ou móveis que possam ser escalados.
  • Falta de espaço individual, ou seja, um local onde o gato possa se isolar de pessoas e outros animais.
  • Fornecimento inadequado ou insuficiente de pratos de comida e água, especialmente quando vários gatos vivem na mesma casa, pois podem ocorrer conflitos.
  • Mudanças no ambiente físico: mudar de casa, mudar de lugar as estruturas de brincadeiras e alimentação do gato continuamente, etc.
  • Um ambiente muito monótono: uma coisa é respeitar os espaços do animal e outra é nunca proporcionar novos estímulos. Os felinos são naturalmente curiosos, e novos brinquedos e desafios são necessários para a sua ativação mental.

Ambiente social

Existem também vários fatores sociais que podem nos fazer suspeitar que o animal esteja sofrendo de ansiedade:

  • Convivência ruim com outros animais que compartilham a casa com o gato, sejam eles da mesma espécie ou de espécies diferentes.
  • Manuseio incorreto do animal pelos tutores: demasiada manipulação e contato, punição física, gritos, ruídos estridentes, etc.
  • Chegada de uma nova pessoa à casa, principalmente se for uma criança ou um recém-nascido que cause escândalos de forma usual.

Como identificar a ansiedade em um gato?

Assim como ocorre com as pessoas, os transtornos de ansiedade podem se manifestar de inúmeras maneiras e incluem sintomas tanto comportamentais quanto físicos.

A lista de sinais é praticamente infinita, mas estas são algumas mudanças no felino que devem fazer os alarmes de qualquer tutor disparar:

gatos com ansiedade

Como tratar a ansiedade em gatos?

A ansiedade pode ter diversas causas e, de acordo com elas, o tratamento será mais ou menos complexo.

Afinal, não é a mesma coisa tratar um gato com ansiedade devido a uma fobia ou experiência passada comparado a outro que sofre com falta de estímulos em casa.

Por isso, é sempre importante conhecer o histórico do animal antes da sua chegada em casa e consultar o veterinário diante de qualquer mudança no seu comportamento.

Em geral, aumentar os estímulos geralmente funciona para os transtornos de ansiedade generalizados (sem motivo específico), pois isso mantém o animal ocupado e reduz o estresse por meio dos exercícios físicos. Arranhadores, brinquedos novos ou a interação com o tutor são boas opções. Em suma, o enriquecimento ambiental é essencial.

No entanto, se essas alterações não surtirem efeito, existe uma série de medicamentos ansiolíticos que podem ser administrados aos gatos, sempre com a prescrição e supervisão de um veterinário.

  • Ansiedad felina, gattos.net. Recogido a 10 de junio en https://www.gattos.net/images/Publicaciones/Vanesa/ARTICULOANSIEDADFELINA.pdf