Hematoma na orelha em cães e gatos

08 Julho, 2020
Se você tem um cachorro com orelhas compridas ou um gato que não foi castrado, tenha cuidado, pois eles estão propensos a sofrer dos chamados hematomas na orelha... que podem causar sérias consequências para a saúde!
 

Você sabia que seu gato ou cachorro pode ter um hematoma na orelha? Neste artigo, vamos falar um pouco mais sobre esse problema, que é mais comum do que imaginamos… e que pode ser evitado!

O que é um hematoma na orelha?

Antes de falar sobre o hematoma na orelha, precisamos aprender um pouco sobre a estrutura auditiva dos animais. Assim como acontece com as pessoas, as orelhas de gatos e cães têm pequenos vasos sanguíneos, que podem se romper por causa de um traumatismo, movimento repentino ou infecção.

Quando isso acontece, o sangramento pode ‘ficar’ embaixo da pele e formar uma pequena bolsa, onde se acumulam pus e sangue. Essas bolsas de líquidos que se formam dentro das orelhas de cães ou gatos também são conhecidas como otohematomas.

Quando há um hematoma no orelha, o animal sacode muito mais a cabeça e isso pode causar sangramento ou fazer com que outros líquidos sejam expelidos (pus, por exemplo). Um otohematoma pode ser tão grande a ponto de até mesmo bloquear a entrada do canal auditivo.

São mais propensos ao hematoma na orelha os cães com orelhas compridas que caem para os lados da cabeça, tais como o cocker spaniel, o beagle, o bloodhound ou o cavalier King Charles spaniel.

Hematoma na orelha em cães e gatos
 

Quanto aos gatos, os machos não castrados também podem ser mais vulneráveis. As brigas entre congêneres por uma fêmea no cio podem causar lesões no corpo inteiro, incluindo as orelhas.

Causas e sintomas do hematoma na orelha

O risco de ter um otohematoma aumenta nos cães que, por hábito ou costume, movem a cabeça para os lados. Inclusive, pode acontecer quando, após a entrada de água nos ouvidos, eles sacodem as orelhas com força.

Por esse motivo, dizem que existem certas condições relacionadas ao hematoma na orelha, tais como alergias e infecções por fungos ou parasitas. Esse problema também pode ocorrer quando o animal está com pulgas ou carrapatos e, ao tentar se coçar, acaba machucando os vasos sanguíneos dentro da orelha.

Outras causas do hematoma na orelha em cães e gatos são as infecções, a presença de um objeto estranho ou o desenvolvimento de certos parasitas, tais como os ácaros. Entre os principais sintomas do otohematoma, podemos encontrar:

  • Inflamação dolorosa com líquido nos ouvidos.
  • Coceira nos ouvidos.
  • Lesões na pele das orelhas e dos ouvidos.
  • Vermelhidão.
  • Alopecia ou partes da orelha sem pelo.
  • Choro ao tocar a orelha do cachorro.
Hematoma na orelha em cães e gatos
 

Como evitar ou tratar

É importante não permitir que o hematoma se torne um grande nódulo na orelha. Primeiramente, porque isso é incômodo para o animal e, em segundo lugar, porque pode estourar a qualquer momento e sujar tudo com sangue e pus.

Os hematomas na orelha são bastante evidentes: em casos leves, trata-se de um pequeno nódulo que, quando pressionado levemente, revela a presença de líquido e, em situações mais graves – acompanhado de orelha quente ou avermelhada – o nódulo é mais firme. Nesse último caso, é importante levar o animal ao veterinário imediatamente.

O profissional vai perfurar a área com uma seringa para extrair os líquidos. Mas essa não é a solução final, pois essa bolsa vazia voltaria a ficar cheia de líquidos em pouco tempo. Por isso, o tratamento recomendado é a cirurgia, que cauteriza (fecha) o duto da bolsa para que não haja problemas futuros.

Para evitar todo esse sofrimento para o nosso animal de estimação, é muito importante evitar que tal nódulo ou bolsa de sangue e pus se forme. Por isso, preste muita atenção às mudanças de comportamento: se o animal não deixar que sua cabeça seja tocada, se ele balançar as orelhas o tempo todo e se ele chorar enquanto dorme.

Sem dúvida, a prevenção também consiste em secar bem as orelhas em dias chuvosos ou após o banho, verificar se não há ferimentos causados por outros animais e eliminar as pulgas e carrapatos através do uso de pipetas ou outros tratamentos. Dessa forma, poderemos reduzir ao máximo o aparecimento e as consequências do hematoma na orelha.

 
  • Castro, L. P., & Ribeiro, R. S. (2016). OTOHEMATOMA EM CÃES. Anais Do Simpósio de Trabalho de Conclusão de Curso.