A importância do pH no aquário

08 Setembro, 2020
O pH é um fator muito importante no aquário, pois mudanças bruscas podem prejudicar seriamente a saúde das plantas e dos animais presentes nele.

Para garantir o bem-estar dos peixes do aquário, é necessário realizar uma boa manutenção. Para isso, muitos fatores diferentes devem ser levados em consideração, como temperatura, salinidade, dureza da água ou pH. Neste artigo, vamos mostrar a importância do pH no aquário, esses pequenos ecossistemas domésticos.

O que é o pH da água?

O pH é uma variável que mede o nível de acidez de uma solução e está ligada à concentração de íons de hidrogênio (H+). Existe uma escala de pH que varia de 0 a 14. O valor de pH 7 corresponde a substâncias neutras, como a água pura.

As substâncias ácidas são aquelas com pH menor que 7, e as substâncias básicas maiores que 7.

A água está em torno de valores neutros, mas, por menor que possa parecer uma diferença de décimos, os efeitos que uma mudança de pH tem sobre plantas e animais de um aquário podem ser significativos.

Como medir o pH no aquário?

Aqui, vamos mostrar os métodos comerciais mais eficazes para medir o pH do aquário:

Qual é o pH ideal para o aquário?

O pH ideal varia de acordo com as espécies que compõem o aquário. Não existe um nível padrão para todos os peixes, embora a maioria possa ser mantida entre 5,5 e 8,0.

  • A medida de pH recomendada para espécies continentais está entre 6,5 e 8,5.
  • Para espécies amazônicas como o Barrigudinho e o Betta, o ideal está entre 6 e 7.
  • Para peixes da África Oriental, como os ciclídeos africanos, o ideal está entre 7,5 e 8.
  • O peixe dourado, a espécie de peixe mais conhecida do mundo, prefere águas neutras com pH entre 7 e 7,5.

Há também um pH ideal para plantas de aquário. Por exemplo, o Ceratophyllum demersum, um espécime amplamente utilizado em aquários, vive em condições de pH que variam de 6,5 a 7, enquanto o Musgo de Java prefere águas ácidas abaixo de 7, embora sobreviva em um intervalo de pH amplo, variando de 5 a 8.

O pH não é um parâmetro fixo, pois pode variar de acordo com o tipo de substrato, os restos de comida, a decomposição das plantas, os resíduos orgânicos dos peixes, a temperatura, o nível de CO2… Por sua vez, uma variação de pH pode influenciar outros parâmetros, como a dureza da água.

Qual é o pH ideal para o aquário?

Como o pH afeta os peixes?

Os peixes têm mecanismos fisiológicos para se adaptar às mudanças de pH (dentro de um pequeno intervalo). Quando introduzimos um novo peixe no aquário, ele precisa passar por um processo anterior de aclimatação.

A enzima anidrase carbônica contribui para a regulação do pH do meio interno. Se o sangue estiver muito ácido, por exemplo, devido a um excesso de CO2 no meio, a taxa de íons bicarbonato no plasma aumenta para compensar o desequilíbrio do pH.

Ao contrário, a assimilação de CO2 e a eliminação de íons de bicarbonato contribuem para diminuir o pH do sangue.

Como o pH afeta os peixes?

Essa capacidade de autorregulação é muito mais desenvolvida em espécies que vivem nos extremos dos níveis de pH. No entanto, os peixes marinhos tropicais são adaptados a uma maior estabilidade do pH pela ação dos recifes, portanto, variações mínimas nesse parâmetro (até 0,1) podem causar sintomas de acidose ou alcalose:

  • AlcaloseÉ menos comum, mas é típica quando os animais chegam em casa através de um serviço de transporte, pois a bolsa que os contém, depois de horas, pode facilmente se tornar alcalina. Nesse caso, também podemos ver sintomas respiratórios, natação inconsistente e cor pálida.

Como vimos, o pH da água é essencial para a sobrevivência e o bem-estar dos peixes de aquário. A realização de testes semanais desse parâmetro será essencial para ter um ecossistema aquático equilibrado.

  • Cultura científica. ¿Qué es el pH?,2019.
  • Peces de acuario.net
  • Acuarema.com
  • La guía del acuario
  • Richar W Hill. Fisiología animal comparada.