Infecções oculares em cães adultos: diferentes tratamentos

13 Maio, 2020
O tratamento de infecções oculares varia dependendo do agente causador. Por isso, o veterinário deve determinar o tratamento que deverá ser seguido.
 

Os olhos são um órgão essencial, mas altamente sensível, que pode sofrer danos de diferentes maneiras. Entre as diferentes patologias que podem afetar os olhos, estão as infecções oculares. Dependendo do tipo de infecção ocular em cães adultos, o tratamento irá variar.

O que é uma infecção ocular?

Uma infecção ocular é causada pela presença de agentes patógenos, que se multiplicam no local da infecção. Os patógenos mais frequentes são bactérias, vírus ou fungos. Pode ocorrer em diferentes partes do olho e afetar apenas um olho ou ambos.

Entre as infecções oculares mais comuns estão a conjuntivite ou o olho seco ou ceratoconjuntivite, causada por falta de hidratação na córnea. Mas, por outro lado, os cães podem apresentar outros problemas oculares, como as cataratas ou os glaucomas.

Fatores que influenciam a infecção ocular em cães adultos

A infecção ocular em cães adultos é influenciada por diferentes fatores, como a idade do cão ou outros. Tanto filhotes quanto cães adultos ou idosos podem sofrer infecções oculares.

Os olhos são um órgão essencial, mas consideravelmente delicado. A limpeza dos olhos é um fator relevante nos seus cuidados. Portanto, é necessário seguir uma série de recomendações para evitar ao máximo o aparecimento de infecções:

  • Limpar os olhos do cão regularmente. No mercado, podem ser encontrados diversos produtos especializados no cuidado dos olhos. No entanto, uma opção acessível é o uso de soro fisiológico, que permite remover possíveis sujeiras dos olhos.
 
  • Retirar o pelo dos olhos. É conveniente cortar ou aparar todos os pelos que dificultem a visão ou que possam causar problemas no futuro.
  • Cuidado com os cílios. Às vezes, os cílios são excessivamente longos, por isso é recomendável apará-los se você perceber que o animal não está confortável.

Outro fator a considerar é o lugar que a infecção ocorre. As infecções podem ser localizadas em diferentes regiões do olho:

  • Nas pálpebras. Diferentes infecções podem ser encontradas, como blefarite ou a distiquíase.
  • Na membrana conjuntiva. Nessa área pode aparecer a conjuntivite ou a ceratoconjuntivite.
  • Na córnea.

Tratamentos para tratar infecções oculares em cães adultos

Como já mencionado, os principais responsáveis ​​pelas infecções oculares são os patógenos, como bactérias, vírus, fungos ou parasitas. Dependendo da causa e do tipo de infecção, o tratamento irá variar. A seguir, serão discutidas duas patologias específicas com seus respectivos sintomas e tratamentos.

Conjuntivite

A conjuntivite é uma patologia caracterizada por inflamação da membrana conjuntiva do olho. Essa membrana transparente cobre as pálpebras de um lado e, do outro, a esclera do olho.

 

Os sintomas mais marcantes são a inflamação, que causa vermelhidão e secreção. A conjuntivite canina pode ser causada por um patógeno, um corpo estranho ou irritante. Dependendo do tipo de secreção, o diagnóstico vai mudar.

Acima de tudo, o tratamento vai depender do tipo de causa. No entanto, qualquer tratamento incluirá uma limpeza dos olhos com soro fisiológico e a eliminação de todo corpo ou substância estranha.

Erliquiose canina

Essa patologia infecciosa é normalmente causada por um membro da família bacteriana das rickettsiales, especificamente por Ehrlichia canis. Essa doença é grave e foi detectada em diferentes continentes do mundo, como África, América, Ásia e Europa.

Essa bactéria afeta não apenas os cães, mas também os seres humanos, os gatos e outros animais de grande porte. Como sintomas característicos leves da erliquiose canina, tem-se perda de apetite, respiração pesada, febre ou glândulas inchadas.

Se a doença não for diagnosticada, a piora dos sintomas inclui desde a alteração dos sentidos até a perda da coordenação e, inclusive, da consciência. Além disso, para poder curá-la completamente, é necessário obter um diagnóstico precoce.

O tratamento requer a administração de antibióticos por um período de tempo especificado, geralmente cerca de quatro semanas. Às vezes, transfusões de sangue podem ser necessárias se o cão tiver anemia.

Apesar da existência de um tratamento, a doença pode ser fatal se as meninges forem afetadas. Portanto, o melhor tratamento nesse caso é a prevenção.

 

Embora as diferentes infecções e tratamentos tenham sido mencionados, se forem observados sintomas ou comportamentos alarmantes, é aconselhável procurar um profissional. O veterinário será sempre o melhor conselheiro nesses casos.