Lebre em perigo de extinção: saiba mais

09 Junho, 2018

Usadas ​​como isca em corridas de cães, esses mamíferos tão semelhantes aos coelhos estão ameaçados pela caça e alteração do habitat, entre outros motivos. Saiba mais sobre o perigo de extinção da lebre neste artigo.

A lebre é um mamífero da mesma família dos coelhos. Sua caça por esporte é popular em alguns lugares da Europa e da América do Sul. Essa prática é a principal razão para a lebre estar em perigo de extinção.

Apesar de sua reputação como grande reprodutora, as espécies de lebre estão diminuindo consideravelmente. Essa situação fez com que ambientalistas começassem a alertar sobre o resgate desses animais. Para isso, é importante tomar atitudes que diminuam o impacto ao habitat das lebres.

Características da lebre

Uma lebre pode pesar entre três e quatro quilos e seu tamanho varia de acordo com a espécie. O mesmo acontece com a cor e o tamanho da pelagem, que usam para se camuflar e fugir de possíveis predadores.

Existem cerca de 80 espécies de lagomorfos, nome dado a esse tipo de mamífero. Eles podem ser encontrados na América, Ásia e África, possuindo características específicas dependendo do local.

Ao contrário dos coelhos, a aparência das lebres é muito mais estilizada. Elas têm pernas mais longas e, portanto, são mais rápidas, assim como possuem orelhas maiores. Devido a essas características especiais, no passado, eram utilizadas como isca em corridas de cães.

Hábitos da lebre 

As lebres se alimentam exclusivamente de plantas e vegetais. O tipo de espécie também indica o local onde vivem. Algumas são encontradas em áreas arborizadas, vales e montanhas. Normalmente, as lebres vivem em grandes terrenos.

Você sabia que a lebre está em perigo de extinção?

São animais solitários que vivem em tocas subterrâneas e se agrupam apenas no período do cio. Embora possam ser rápidas, sua rotina de procura por alimento faz com que sejam presas fáceis de águias e linces. Também são o alimento favorito de lobos e raposas.

Outro hábito comum da lebre é se instalar em áreas agrícolas, onde são consideradas pragas por se alimentarem da colheita. Esse dano às colheitas faz com que muitos agricultores tomem medidas contra esses animais.

Por que a lebre está em perigo de extinção?

Podem-se listar muitas razões que fazem com que a lebre corra perigo de extinção. No entanto, a maioria tem a ver com a ação humana sobre o ecossistema. Os principais motivos são:

  • Caça. Representa o motivo principal para a lebre estar em perigo de extinção. Embora alguns países tenham tomado medidas para impedir essa prática, as lebres continuam sendo vítimas da caça indiscriminada.
  • Alteração de seu habitat. Como resultado da ampliação da agricultura e da pecuária em locais normalmente habitados por esses animais.
  • Ações como a preparação de terrenos e condução do gado têm obrigado as lebres a migrar para outras áreas, onde é mais difícil de sobreviver. O uso de pesticidas também as afeta.
  • Produtos químicos e armadilhas também contribuem para a extinção desses animais.
  • Medidas de extermínio. Em alguns países, os lagomorfos são considerados uma praga. Especialmente em áreas agrícolas. Isso leva o homem a utilizar medidas para acabar com a espécie que alteram o equilíbrio do ecossistema permanentemente.
Saiba mais sobre a lebre e os perigos que enfrenta

Como se pode evitar a extinção da lebre 

  • Controles estritos sobre a caça da lebre. Embora muitos países tenham regulamentos para a caça de animais, é importante garantir o cumprimento das normas.
  • Qualquer tipo de caça indiscriminada altera o ciclo natural do ecossistemaAo diminuir uma espécie de animais, mudam-se os hábitos alimentares de outros animais. Dessa forma, a caça indiscriminada coloca mais de uma espécie em risco de extinção.
  • Preservar o habitat. É importante delimitar os espaços destinados à agricultura, assim como ao pastoreio e à condução de gado. Também é fundamental delimitar o espaço para os controles sanitários dos rebanhos, evitando epidemias.
  • Um dos problemas causadores da extinção da lebre é que o gado também come arbustos. Sob este tipo de vegetação, as lebres buscam refúgio e abrigo contra o ataque de seus predadores. A exposição a outras espécies também faz com que a lebre tenha mais probabilidade de contrair doenças.
  • Contribuir para a reprodução do animal. A lebre pode gerar de três a nove filhotes em um parto e ter até quatro ninhadas em um único ano. O desenvolvimento de fazendas de criação de lebres ajudará, sem dúvida, a reduzir o perigo de extinção.