Lúpus em cães: causas e sintomas

01 Novembro, 2020
O lúpus em cães pertence a um grupo de doenças causadas pela ativação anormal do sistema imunológico. Descubra como essa doença é caracterizada.

Quando ouvimos que o lúpus em cães corresponde a uma doença autoimune, o último termo pode parecer confuso. Nesse caso, devemos lembrar que o corpo canino (assim como o corpo humano) possui um sistema imunológico que o protege de invasores externos que podem causar doenças e infecções.

No caso do aparecimento de uma doença autoimune, o sistema imunológico ataca erroneamente o próprio corpo, causando no cão uma patologia grave. Isso acontece quando as células imunes não conseguem distinguir entre as células saudáveis ​​normais do corpo e as células estranhas. Como resultado, elas tentam destruir os tecidos normais.

Possíveis causas das doenças autoimunes e do lúpus em cães

No momento, as causas desse erro ainda não são conhecidas, embora existam teorias sobre a influência de fatores genéticos, dietéticos ou de poluentes ambientais. Na verdade, acredita-se que a exposição aos raios ultravioleta seja uma causa predisponente ou desencadeadora de doenças de pele autoimunes em alguns cães.

O que se sabe é que as doenças autoimunes podem afetar um único sistema ou vários sistemas do corpo. Portanto, elas podem afetar a pele, os tecidos conjuntivos, os nervos, os músculos, o sistema endócrino (sistema que controla os hormônios e outras substâncias químicas), os glóbulos vermelhos ou o sistema digestivo.

As doenças autoimunes constituem todo um espectro de condições, cuja marca é a inflamação ou o acúmulo de anticorpos. O lúpus é apenas uma das muitas doenças autoimunes, as quais incluem a esclerose múltipla, a doença inflamatória intestinal e outras doenças do tecido conjuntivo, como a artrite.

Em uma doença autoimune, como o lúpus em cães, o sistema imunológico ataca por engano e causa uma doença grave.

Possíveis causas das doenças autoimunes

Lúpus eritematoso sistêmico

O exemplo clássico de doença autoimune que afeta múltiplos sistemas é o lúpus eritematoso sistêmico (LES), comumente conhecido como lúpus. O lúpus costuma ser chamado de grande imitador, porque pode imitar quase qualquer outra doença. Por esse motivo, você precisará consultar um veterinário para um diagnóstico e tratamento adequados.

A doença LES pode afetar quase qualquer parte do corpo e os sintomas variam de acordo com os órgãos afetados, podendo ser fatal.

Os sinais de LES podem ser agudos (início súbito) ou crônicos, geralmente aumentando e diminuindo. Em seu início crônico, o lúpus em cães se apresenta com períodos alternados de remissão e recaída.

A febre flutuante que não responde aos antibióticos é um dos sinais clínicos clássicos do LES. Rigidez nas patas ou claudicação variável também são frequentemente relatadas.

Outros sinais clínicos podem incluir anormalidades sanguíneas, como anemia hemolítica, trombocitopenia (baixo número de plaquetas) e/ou leucopenia (contagem baixa de glóbulos brancos) ou dermatite. O LES é considerado a causa mais comum de doença de pele autoimune em cães, mas é rara em gatos . Cães ou gatos com LES não devem ser vacinados.

Lúpus eritematoso discóide

O lúpus eritematoso discóide (LED) é outra doença cutânea autoimune observada em cães e raramente em gatos. Outro nome comum para essa condição é “nariz de collie“, embora possa aparecer em muitas raças. O LED é mais comumente visto em collies, pastor-de-shetland, pastor-alemão, husky siberiano e spaniel bretão.

A exposição à luz solar (radiação UV) é considerada uma causa ou gatilho potencial. Na maioria dos casos, os cães afetados perdem a pigmentação ao redor do nariz, embora a pele ao redor dos lábios, olhos, orelhas e órgãos genitais também possa ser afetada.

Essa doença pode transformar a superfície do nariz, com sua textura normal de “paralelepípedo”, em uma aparência lisa, plana e brilhante. Também podem ocorrer feridas ulceradas.

Alguns cães consideram a doença irritante, enquanto outros parecem não ser afetados por ela. Acredita-se que o LED possa ser uma variante menos grave do lúpus eritematoso, uma vez que não se torna sistêmico. É considerada uma doença de pele autoimune relativamente benigna.

Onicodistrofia lupóide

Se o seu cão apresentar continuamente problemas nas patas e nas unhas, ele pode ter uma condição conhecida como onicomodistrofia lupóide. É uma condição imunomediada que afeta as unhas e as patas dos cães. Além disso, é considerada um tipo de lúpus, portanto, não pode ser transmitida a outros animais ou humanos.

Embora não haja cura, há tratamento. Em alguns casos, os sintomas desaparecem com a suplementação adequada com pouca ou nenhuma recaída. Outros casos são mais crônicos e precisarão de tratamentos para o resto da vida.

Os sintomas do onicodistrofia lupóide podem incluir queda progressiva das unhas durante várias semanas ou até meses. Também há uma dor constante associada a esse problema.

Pode haver inchaço da lâmina ungueal, inflamação na base das unhas, dor, claudicação e sangramento dos dedos afetados. Na maioria dos casos, mais de uma unha ou pata é afetada.

Onicodistrofia lupóide

Raças com predisposição ao lúpus em cães

Alguns cães correm maior risco de desenvolver o LES. A doença tende a aparecer com mais frequência em fêmeas de meia-idade. As raças mais afetadas incluem o galgo afegão, o beagle, o pastor-alemão, o setter irlandes, o pastor-inglês, o poodles, cães pastores de shetland e collies.

O reconhecimento precoce do lúpus em cães é extremamente importante. Se não forem tratadas, as complicações da doença autoimune podem ser graves. Além disso, é comum que afete o corpo todo. Essas características podem tornar o diagnóstico e o tratamento muito desafiadores e complicados.

  • Hahn, B. H., & Kono, D. H. (2019). Animal Models in Lupus. In Dubois’ Lupus Erythematosus and Related Syndromes-E-Book, (pp. 164-215).
  • Nuttall, T., Eisenschenk, M., Heinrich, N. A., & Harvey, R. G. (2018). Skin diseases of the dog and cat. CRC Press.
  • Bryden SL., White SD., Dunston SM et al. (2005). Clinical, histopathological and immunological characteristics of exfoliative cutaneous lupus erythematosus in 25 German short-haired pointers. Vet Dermatol 16: 239-
  • Olivry T., Rossi MA., Banovic E., Linder KE. (2015). Mucocutaneous lupus erythematosus in dogs (21 cases). Vet Dermatol 26 (4): 256-e55.
  • Jackson HA., (2006). Vesicular cutaneous lupus. Vet Clinics North Am Small Anim Pract 36 (1): 251-
  • Banovic F., Olivry T., Linder KE. (2014). Ciclosporin therapy for canine generalized discoid lupus erythematosus refractory to doxycycline and niacinamide. Vet Dermatol 25: 483-e79.