Macacos adotam um filhote ferido de outro grupo

18 Outubro, 2020
Os macacos adotam animais de outros grupos, abrindo espaço para a sua reabilitação.

Embora os virais da internet pareçam ilustrar que os macacos adotam outros animais com frequência, a verdade é que isso não é comum. Portanto, vale a pena observar o que aconteceu nas Montanhas Atlas no Marrocos.

Essa é a primeira vez que macacos adotam um jovem de outro grupo que encontraram ferido, o que alguns veem como uma oportunidade para a reabilitação do mamífero mais traficado da Europa.

Macacos adotam um macaco ferido de outro grupo

Assim, Liz Campbell e seus colegas da Universidade de Oxford conseguiram observar esse comportamento no Parque Nacional Ifrane, nas montanhas do Atlas, um dos últimos refúgios do macaco-de-gibraltar, único membro do gênero Macaca que pode ser encontrados fora da Ásia.

Assim começa a história de Pipo, um macaco-de-gibraltar de três anos que se feriu em um acidente de trânsito, algo infelizmente comum em Ifrane, devido ao turismo irresponsável que incentiva esses animais a serem alimentados pelas pessoas.

A adoção feita pelos macacos

Após o acidente, Pipo ficou sozinho por mais de dois dias, vagando ferido e chorando. O acidente tinha sido terrível e fez com que o resto do grupo fugisse, impedindo-os de se reunir com Pipo.

Mas a sorte desse macaquinho mudou quando ele encontrou outro grupo de macacos-berbere. Ao contrário de outras espécies nas quais jovens estranhos podem até ser perseguidos e atacados, esses macacos adotaram Pipo por quatro meses, durante os quais ele foi tratado por membros desse grupo.

Possibilidades para a reabilitação de primatas

Embora esse comportamento já tenha sido observado em outros casos, nunca tinha ocorrido com um animal com vários anos de idade, o que para os pesquisadores é especialmente interessante quando se pensa em reabilitar esses primatas.

O macaco-berbere é o mamífero mais traficado na Europa, e dezenas de espécimes aparecem no continente todos os anos. Acredita-se que a maioria  seja capturada em seu habitat, tanto para se tornar um animal de estimação como para tirar selfies, então impedir os caçadores furtivos pode permitir que alguns espécimes sejam reintroduzidos na natureza.

Possibilidades para a reabilitação de primatas

Normalmente, os macacos adotam animais que pertencem a parentes próximos do seu grupo, mas a adoção de um animal de fora do grupo também é especialmente notável. Tanto em cativeiro quanto na natureza, esses animais precisam viver em grupo. Parece que essa possibilidade poderia existir em ambos os casos.

Na verdade, a adoção é um recurso comum em centros de resgate de primatas, como AAP Primadomus, onde macacos de idade semelhante à de Pipo são resgatados, por isso não é uma novidade em cativeiro e permite unir animais jovens com grupos de maior tamanho.

Localizado na Espanha, porta de entrada para o tráfico ilegal de animais na Europaesse centro é um exemplo de como esses primatas recorrem a tais comportamentos apesar dos maus-tratos a que os humanos os têm submetido em cativeiro.