Como manter os animais de estimação mais velhos estimulados

26 Julho, 2020
Para evitar os sintomas da velhice e proporcionar uma melhor expectativa de vida aos nossos melhores amigos, é essencial manter os animais de estimação mais velhos estimulados. Você quer saber como fazer isso? Aqui estão algumas dicas de atividades e brincadeiras adequadas para os animais idosos

Ao adotar um animal de estimação, é preciso estar ciente de que suas necessidades vão mudar ao longo dos anos. O cuidado que um animal exige depende, em grande parte, da sua idade e estado de saúde. Na prática, animais de estimação mais velhos precisam de atenção reforçada e cuidados específicos, pois são especialmente vulneráveis.

Assim como os humanos, os animais experimentam inúmeras mudanças em seus corpos e mentes à medida que envelhecem. Essas mudanças são refletidas tanto na aparência quanto no comportamento do animal. Pouco a pouco, os sintomas da velhice chegam e, eventualmente, alguns problemas comportamentais também.

Por que é tão importante manter os animais de estimação mais velhos estimulados?

A estimulação física e mental deve ser uma parte essencial da rotina de qualquer animal de estimação. O corpo e a mente do animal precisam ser estimulados e exercitados para permitir que ele desenvolva completamente suas habilidades físicas, cognitivas, emocionais e sociais.

Erroneamente, ainda existe a crença de que os animais de estimação mais velhos precisam viver em estado de repouso. Mas, na verdade, a estimulação será crucial para impedir ou retardar o declínio do potencial físico, cognitivo e sensorial, inerente ao processo de envelhecimento.

Uma rotina de exercícios de baixo impacto, por exemplo, ajudará a prevenir a perda muscular e fortalecer os ossos, melhorando, assim, a resistência física e prevenindo fraquezas. Os jogos de inteligência ajudam a diminuir a perda de nitidez dos sentidos e a prevenir os sintomas de demência.

Logicamente, todas as atividades devem ser adaptadas às características e limitações de cada indivíduo. Em outras palavras, a estimulação física e mental deve levar em consideração a espécie, a idade, o estado de saúde e as necessidades do organismo de cada animal.

Por que é tão importante manter os animais de estimação mais velhos estimulados?

Por todas essas razões, é sempre aconselhável levar o animal a um veterinário especializado antes de incorporar qualquer nova atividade à sua rotina. Uma consulta especializada é essencial.

Como manter animais de estimação mais velhos estimulados?

Aqui estão algumas atividades abrangentes e de baixo impacto, ideais para manter os animais de estimação mais velhos estimulados.

Natação

A natação é uma das melhores e mais completas atividades para os animais de estimação mais velhos. Os exercícios aquáticos têm um baixo impacto nas articulações e são excelentes para fortalecer ossos e músculos. Além disso, a natação é relaxante, o que ajuda a aliviar a dor e a proporcionar uma sensação de bem-estar ao animal.

Naturalmente, a natação é recomendada apenas para animais de estimação que gostam de água. Lembre-se de nadar com seu parceiro apenas em águas calmas e que não tenham muita corrente.

Caminhadas diárias

Quando seu animal chegar à terceira idade, as caminhadas diárias vão continuar sendo benéficas à sua saúde e bem-estar. Elas também serão muito positivas para o tutor.

Quando um cão caminha, ele não apenas alivia e exercita seus músculos, mas também libera energia, explora novos estímulos e interage com outros indivíduos. Isso estimula seus sentidos, sua inteligência e suas habilidades sociais.

Caminhadas diárias

No entanto, é importante adaptar o ritmo da caminhada e sua duração às necessidades e limitações do seu animal de estimação. O ideal é fazer caminhadas mais curtas e frequentes, de cerca de 20 minutos, sempre com intervalos para descansar e desfrutar do ar livre.

Pratique ordens de obediência

A educação do seu animal de estimação deve ser um processo contínuo: você deve começar com a chegada ao novo lar e prolongar a educação por toda a vida. A prática de ordens de obediência estimula a memória e as habilidades cognitivas, além de exercitar o corpo.

Em animais de estimação mais velhos, essa interação com o tutor é essencial para impedir o desenvolvimento de sintomas de disfunção cognitiva, um processo semelhante ao Alzheimer em humanos. Lembre-se sempre de oferecer uma recompensa ao seu melhor amigo, reconhecendo seu esforço e determinação.

Brincadeiras e carinho

Os animais de estimação mais velhos também gostam de brincar e se divertir com seus donos. Além disso, eles têm uma demanda constante por carinho, pois se sentem vulneráveis ​​e podem ter medo de ficar sozinhos.

Durante a terceira idade do seu animal de estimação, será essencial redobrar a paciência e sempre reservar um horário especial do seu dia para compartilhar com seu companheiro.

Nesses momentos na companhia do seu animal de estimação, recomendamos que você apresente jogos simples de inteligência. Também funciona bem aplicar massagens relaxantes no seu amigo, o que o ajudará a combater a dor e fazê-lo se sentir mais seguro e confortável em casa.

  • JAUME CAMPS I RABADÀ. Veterinario-Nutrólogo. Alimentación y cuidados especiales en perros geriátricos. Extraído de: https://ddd.uab.cat/pub/jcamps/jcampsactpro/jcampsactpro_008.pdf
  • cuidadoconelperro.org. Manual de tenencia responsable de mascotas. Extraído de: http://www.cuidadoconelperro.cl/wp-content/uploads/2015/08/Manual-TRM-WEB.pdf