Nutracêuticos para animais de estimação: para que servem?

27 Setembro, 2020
Os nutracêuticos são suplementos muito utilizados na medicina veterinária para melhorar o estado geral dos animais de estimação.

É cada vez mais fácil encontrar produtos que melhorem a saúde e a qualidade de vida dos animais de estimação. Além disso, também há uma tendência clara para o consumo de suplementos de origem natural, como os nutracêuticos, tanto para humanos como para animais de estimação.

O que são nutracêuticos para animais de estimação?

Um nutracêutico é uma substância alimentar que, além de seu valor nutricional, oferece benefícios à saúde, como prevenção de doenças ou controle de comportamento.

Atualmente, seu uso na medicina veterinária está aumentando e muitos profissionais os prescrevem para aliviar sintomas. Além disso, muitos tutores que relutam em dar medicamentos optam por nutracêuticos.

É importante estarmos cientes de que o veterinário é o profissional de saúde e quem possui os conhecimentos e as ferramentas para confirmar e tratar uma doença, por isso antes de medicar um animal de estimação devemos consultá-lo. Ele é quem pode nos orientar quanto ao uso mais adequado dos nutracêuticos.


Usos dos nutracêuticos

A grande variedade de nutracêuticos nos dá uma ideia da quantidade de diferentes usos aos quais podem servir.

Melhoria do estado geral

Minerais vitaminas, ácidos graxos e outros macroelementos influenciam em muitos sistemas do organismo. Por exemplo, é típico o consumo de ácidos graxos para melhorar a aparência da pele e do pelo para fortalecer o sistema imunológico. Um suplemento vitamínico é útil quando há um déficit nutricional e também é benéfico para animais imunodeprimidos.

Dermatológicos

Esses produtos melhoram a aparência da pele e do pelo em animais saudáveis ​​ou com alguma patologia. São indicados em casos de atopia, alergias ou dermatites, pois ajudam a melhorar as diferentes camadas da pele e protegem a derme. São comercializados em xaropes, doces, xampus, pipetas…

Condroprotetores

Seu uso é tão popular quanto o de nutracêuticos dermatológicos. Eles ajudam a revitalizar a superfície articular e o líquido sinovial encontrado nas articulações. São compostos principalmente por ácido hialurônico ou sulfato de condroitina.

Os consumidores mais frequentes são animais idosos com problemas de osteoartrite, mas também são recomendados para cães jovens de raças grandes ou gigantes como prevenção contra esse tipo de problema.

Protetores do sistema digestivo

Sua função é melhorar a digestão dos alimentos regulando a flora bacteriana. Também ajudam a regular o fluxo de água intestinal, controlando problemas de diarreia e constipação. Nesse grupo podem ser incluídos os maltes, que reduzem os problemas derivados da ingestão de pelos em gatos.

Problemas de comportamento

Existem ansiolíticos naturais que ajudam a tratar problemas de comportamento, como ansiedade de separação, agressão ou medo. Veterinários e etologistas caninos são boas fontes de informação sobre esse tipo de ansiolítico, que normalmente deve ser acompanhado de uma terapia destinada a resolver os comportamentos disruptivos.

Os nutracêuticos para tratamento de problemas de comportamento atuam no sistema nervoso do animal. O neurotransmissor GABA é um componente-chave desses suplementos, pois é o principal neurotransmissor inibidor do sistema nervoso central e atua limitando a atividade das células nervosas em áreas do cérebro associadas à ansiedade.

Outras funções

Existem nutracêuticos destinados a aliviar os sintomas em um sistema ou órgão específico, por exemplo, enzimas pancreáticas para tratar a insuficiência pancreática, quelantes e citoprotetores para tratar doenças renais, suplementos para a saúde ocular, etc.

Nutracêuticos para animais de estimação.

O mercado de nutracêuticos está se expandindo amplamente entre o setor veterinário e de tutores de animais. E seu uso como complemento às terapias ou medicamentos naturais é potencializado por sua eficácia. Assim, a variedade que podemos encontrar no mercado é cada vez maior.

  • Revista acofar. Nutriacéuticos en medicina veterinaria, 2018.
  • Vetplus global