Peixe-tigre: titã africano de água doce

01 Outubro, 2020
O peixe-tigre é uma espécie icônica de água doce da África do Sul. Esse animal possui alto valor ecológico, econômico e social para os sul-africanos.

O peixe-tigre é o nome usado para se referir, em geral, a uma variedade de espécies de peixes de água doce do gênero Hydrocynus. Por sua ferocidade, o peixe-tigre é considerado o equivalente africano da piranha sul-americana.

As espécies do gênero Hydrocynus são caracterizadas por grandes dentes afiados, corpos musculosos e listras distintivas de “tigre”, pelas quais recebem seu nome. Frequentemente, esses predadores caçam em cardumes de vários indivíduos.

Espécie de peixe-tigre africano

O gênero de peixe Hydrocynus pertence à ordem dos Caraciformes e é endêmico da África. Até agora, seis espécies existentes são reconhecidas: H. brevis, H. forskahlii, H. somonorum, H. tanzaniae, H. goliath e H. vittatus.

Cada espécie varia no tamanho do peixe adulto. A menor espécie, H. tanzaniae, tem um tamanho máximo de cerca de 25 centímetros, enquanto na maior, a H. goliath, indivíduos de 133 centímetros foram relatados.

Por outro lado, a espécie mais difundida é a H. vittatus, que habita toda a África e todos os principais sistemas fluviais. Existem três outras espécies de peixes-tigre que prosperam no continente africano: Hydrocynus brevis (Sudão), Hydrocynus forskahlii (Norte da África) e Hydrocynus tanzaniae (Tanzânia).

Moradores próximos à bacia do rio Congo, o único lugar onde vive a maior espécie de peixe-tigre, H. goliath, chamam o gigante de M’Benga, que significa “o peixe perigoso” em um dialeto suaíli.

Espécie de peixe-tigre africano

Como reconhecer um peixe-tigre?

Sem dúvida, o peixe-tigre africano é o grupo de espécies mais carismático que habita os ecossistemas de água doce. São peixes com escamas grandes, com nadadeiras manchadas de amarelo a vermelho sangue com bordas de saída pretas e protuberâncias caudais profundas e conspícuas.

Entre suas características mais emblemáticas, estão os dentes grandes, salientes e pontiagudos. Além disso, todas as espécies têm dentes substitutos embutidos em cavidades dentro dos ossos maxilares.

Além disso, o peixe-tigre tem listras laterais escuras que vão da cabeça à cauda em seus corpos. Contudo, cada espécie possui algumas características que a caracterizam. A seguir, vamos mostrar as características dos dois mais notáveis.

1. A espécie mais amplamente distribuída e abundante é a H. vittatus

Essa é a espécie mais conhecida do gênero e a segunda em tamanho. Seu corpo é alongado, fino e com barbatana caudal profundamente bifurcada.

Além disso, suas escamas são grandes, iridescentes, prateadas e também parecem ter um toque dourado. Nessa espécie, as linhas escuras laterais são muito bem definidas. O número total de dentes, em geral, é oito.

Em termos de distribuição, são amplamente encontrados em toda a África nos rios Congo, Zambeze e Okavango, sistemas fluviais costeiros ao sul do Baixo Zambeze e no Lago Tanganica.

2. Hydrocynus goliath ou peixe-tigre-golias: a maior espécie do gênero

De acordo com relatórios, foram detectados espécimes de mais de 1,5 metros e peso de 50 a 70 kg. Seus dentes estão espaçados ao longo de suas mandíbulas. Em média, cada um deles pode crescer até 2,5 cm.

Quanto à coloração, costuma ser pálida em indivíduos jovens. Mesmo em adultos, as listras no corpo são muito sutis ou inexistentes, com um tom prateado. Além disso, suas nadadeiras são castanhas ou marrons. Em exemplares grandes, quando a barbatana caudal inferior ultrapassa 15 cm, é geralmente de cor vermelha.

Além do seu tamanho magnífico, distingue-se pelo perfil dorsal reto da cabeça. De acordo com seu tamanho, sua dentição: tem 12 – 20 dentes na mandíbula superior e 8 – 14 na mandíbula inferior. Essa espécie feroz é um dos peixes de caça mais procurados na África, pois é endêmico da bacia do rio Congo.

O peixe-tigre se destaca pelos dentes grandes e afiados, e por possuir na mandíbula uma série de dentes substitutos, destinados a substituir os que possam ser perdidos ou quebrados.

Dieta

O peixe-tigre é um predador feroz que não é exigente quando se trata de comer, pois ataca qualquer objeto em movimento menor do que ele. Na verdade, alguns acreditam que sua atividade pode ser responsável pelo atraso na especiação de peixes de água doce africanos.

É comum peixes-tigres de tamanhos semelhantes caçarem em cardumes, enquanto os maiores caçam sozinhos. Eles geralmente podem ser vistos em atividade frenética atacando espécies de peixes menores. Além disso, também demonstraram ser canibais.

Com base na análise do conteúdo estomacal, sabe-se que o peixe-tigre prefere presas menores ou iguais a 40% do tamanho do seu corpo, embora ocasionalmente tenha sido documentado que caçam presas maiores.

Dieta

Estado de conservação do peixe-tigre

O peixe-tigre é de grande importância ecológica e econômica para a região. A conservação do peixe-tigre em seus habitats fluviais africanos tem sido uma prioridade entre muitas autoridades marítimas.

Atualmente, as autoridades promovem a prática da pesca de captura e liberação para garantir a sobrevivência futura das populações de peixes-tigre.

De acordo com especialistas, os principais fatores que ameaçam o peixe-tigre são: degradação do habitat, superexploração devido à pesca e poluição ambiental.

O manejo bem-sucedido desse peixe depende do nosso conhecimento sobre essa espécie. Para isso, é necessário superar as dificuldades inerentes à coleta de dados em locais remotos.

  • Moelants, T. (2010) Hydrocynus goliath. The IUCN Red List of Threatened Species 2010: e.T182833A7980766. https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2010-3.RLTS.T182833A7980766.en. Downloaded on 09 July 2020.
  • Brewster, B. 1986. A review of the genus Hydrocynus Cuvier, 1819 (Teleostei, Characiformes). Bulletin of the British Museum (Natural History), Zoology 50:193–206
  • Gagiano, C. L., G. J. Steyn, and J. J. du Preez. 1996. Tooth replacement of tigerfish Hydrocynus vittatus from the Kruger National Park. Koedoe 39:117–122. https://agris.fao.org/agris-search/search.do?recordID=DJ2012083784
  • Gerber, R., N. J. Smit, G. M. Pieterse, and D. Durholtz. 2009. Age estimation, growth rate and size at sexual maturity of tigerfish Hydrocynus vittatus from the Okavango Delta, Botswana. African Journal of Aquatic Science 34:239–247.
  • Jacobs, F. J. (2017). The conservation ecology of the African tigerfish Hydrocynus vittatus in the Kavango River, Namibia (Doctoral dissertation). http://ukzn-dspace.ukzn.ac.za/bitstream/handle/10413/16279/Jacobs_Francois_Jakob_2017.pdf?sequence=1&isAllowed=y
  • Binohlan, C.B., FishBase, www.fishbase.org version [online]. Available from https://www.fishbase.de/Summary/SpeciesSummary.php?ID=4479&AT=tigerfish [accessed July 2020].