Tudo sobre o pelicano-branco

09 Setembro, 2020
O pelicano-branco é uma espécie do gênero Pelecanus, presente em vários países do Leste Europeu, Ásia e África. Sua principal característica é o formato do bico e do saco gular abaixo da mandíbula inferior.

Os pelicanos são aves aquáticas que pertencem à família Pelecanidae e que compõem o gênero Pelecanus. Uma das suas espécies representativas na Europa é o pelicano-branco ou Pelecanus onocrotalus.

Características do pelicano-branco

Os pelicanos têm um característico bico longo, reto e achatado. Sua mandíbula superior termina em um gancho que se curva para baixosobre a ponta da mandíbula inferior.

Abaixo da mandíbula inferior, há uma bolsa de pele nua, chamada saco gular, que se estende até a garganta e tem uma coloração rosada. A ave também possui uma língua curta e rudimentar.

Suas patas, que são curtas, têm quatro dedos palmados. Sua cauda, ​​por outro lado, tem uma forma arredondada.

Essas aves, cujo corpo é branco, podem atingir um peso de cerca de 20 quilos, enquanto em termos de tamanho podem medir nada menos do que dois metros.

É possível observar o dimorfismo sexual entre machos e fêmeas, pois os espécimes do sexo masculino são maiores do que as fêmeas, que possuem a região da face, incluindo os olhos, desprovida de penas, ficando com uma coloração rosada.

Além disso, é possível diferenciar entre exemplares adultos e jovens. Os segundos têm a parte dorsal marrom e as partes ventrais em branco sujo. Por outro lado, os adultos têm patas rosadas.

Uma das características que permite a sua diferenciação dos outros pelicanos é a coloração das suas asas. Ao voar, é possível observar padrões pretos sob a asa. Trata-se de linhas pretas que formam um padrão semelhante ao das cegonhas.

Alimentação

A dieta do pelicano é variada, embora as presas por excelência sejam as diferentes espécies de peixes de tamanho considerável. Por outro lado, também podem comer crustáceos ou girinos. Foi observado que eles podem se alimentar até mesmo de tartarugas.

Tudo sobre o pelicano-branco

A capacidade de armazenamento do saco gular tem diferentes funções. A principal função é transportar a comida para os filhotes que estão nos ninhos ou armazená-la para se alimentarem mais tarde.

Habitat e distribuição do pelicano-branco

O pelicano-branco vive em regiões de água doce, tais como áreas com grandes lagos, deltas, marismas inundados ou lagoas.

Além disso, foram relatados pelicanos em regiões de mares interiores ou fechados, com lagoas. Entre esses mares, estão, por exemplo, o Mar Negro ou o Mar de Aral.

Geograficamente, podem ser encontrados em diferentes países. Na Europa, especificamente, localizam-se nas regiões do sudeste (Romênia, entre outros países). Com relação à Ásia, sua presença foi registrada em diversas regiões, bem como na África, onde foi observado ao sul do Saara.

Estado de conservação

O pelicano-branco foi classificado como uma espécie pouco preocupante pela UICN. Atualmente, o número exato de exemplares existentes é desconhecido. Estima-se que, no total, existam cerca de 300.000 indivíduos.

No entanto, não é possível estimar se a população está severamente fragmentada ou se o número de indivíduos nas populações varia, nem se aumentam ou diminuem.

Tudo sobre o pelicano-branco

Existem diferentes ameaças que podem afetar as populações de pelicanos. Entre elas, podemos mencionar as seguintes:

Agricultura

A drenagem de áreas úmidas e o desvio dos rios para favorecer a chegada da água às lavouras afetaram as populações africanas, que viram uma redução no número de espécimes.

Essas aves também são afetadas pelos poluentes utilizados no setor agrícola que atingem as reservas de água doce. Nelas, os pelicanos se alimentam de peixes carregados de poluentes.

Turismo

O turismo ornitológico causou o abandono de algumas colônias. Assim, as perturbações sofridas pelas aves as forçaram a procurar novas colônias.

Poluição

A poluição é gerada por diferentes fontes e algumas delas afetam as populações de pelicanos seriamente. Por exemplo, na África, o DDT é usado para controlar os mosquitos transmissores da malária, pertencentes a algumas espécies do gênero Anopheles.

O DDT afeta o sucesso reprodutivo dos pelicanos indiretamente, pois causa o afinamento dos ovos.

Curiosidades sobre o pelicano-branco

Os ninhos são feitos em áreas de vegetação densa, como os juncais. Neles, essas aves formam grandes colônias de reprodução. As fêmeas geralmente põem um total de dois ovos em média.

Essa espécie pode atuar como uma ave migratória, dependendo do local em que estiver. Além disso, foi observado que as aves europeias migram para passar o inverno na África.

Por fim, vale destacar que o pelicano tem sido um símbolo representativo ao longo da história. Atualmente, o pelicano-branco foi estabelecido como a ave nacional da Romênia.