Picadas de insetos que podem afetar os cães

24 Abril, 2020
Conhecer as picadas de insetos que podem afetar os cães é uma tarefa importante para cuidar do seu amigo canino da melhor maneira.

As picadas de insetos que podem afetar os cães incluem as de mosquitos, pulgas, percevejos e carrapatos, bem como as de abelhas, marimbondos e vespas. Quando um inseto pica, inocula a sua saliva com componentes específicos que ajudam na sua alimentação.

A saliva contém um coquetel de substâncias, muito depuradas evolutivamente, que inclui princípios anticoagulantes e vasodilatadores e até mesmo substâncias anestésicasAlém de produzir reações alérgicas, os insetos também podem inocular os agentes causadores de várias doenças.

Reações alérgicas graves a picadas de insetos que podem afetar os cães

Alguns animais de estimação são particularmente sensíveis a certas picadas de insetos e podem reagir de forma exagerada. Em casos graves, pode ocorrer anafilaxia, também conhecida como choque anafilático. Isso acontece quando o sistema imunológico reage de forma excessiva às picadas de insetos.

Embora a anafilaxia após uma picada de inseto seja rara, devemos ficar atentos e verificar se há alterações comportamentais, dificuldade para respirar ou inchaço na pele. Diante desses sinais, você deve ir ao consultório veterinário rapidamente.

As picadas de mosquito e a doença do verme do coração

A doença do verme do coração é uma doença parasitária grave causada por um verme, Dirofilaria immitis, que vive nos vasos sanguíneos e no coração dos animais infectados. Infelizmente, não existem exames laboratoriais para diagnosticar a dirofilariose.

Picadas de insetos que podem afetar o seu cachorro

A doença é transmitida através de picadas de mosquitoQuando um mosquito pica um cachorro infectado, o sangue coletado contém o parasita em seu estágio pré-larval. Dentro do mosquito, o parasita se desenvolve até o estágio larval.

Quando o mosquito pica um segundo cachorro, ele transmite o parasita. Uma vez dentro do cachorro, cada verme do coração pode se tornar um parasita de até 30 centímetros de comprimento. O parasita pode causar danos aos pulmões, artérias e coração. Há um tratamento disponível para esta doença, mas a prevenção e o controle dos mosquitos são mais importantes.

Carrapatos e doença de Lyme

Se o seu cachorro foi picado por um carrapato, remova-o tão rápido quanto possível para reduzir o risco de contrair uma infecção transmitida por carrapatos: a doença de Lyme. Esta doença é causada pela bactéria Borrelia burgdorferi.

É necessário prevenir a doença com o controle dos carrapatos e, em caso de infestação, tratar o cachorro o mais rápido possível, uma vez que a possibilidade de contágio aumenta a partir de 48 horas de interação entre o carrapato e o cachorro.

Se não for tratada, os efeitos a longo prazo da doença de Lyme incluem problemas no sistema nervoso e articular.

Carrapatos e babesiose em cães

A babesiose é outra doença causada por parasitas protozoários (unicelulares) do gênero Babesia. A infecção em um cachorro pode ocorrer por meio da transmissão através de picadas de carrapatos.

Também há a transmissão direta por meio da transferência de sangue nas mordidas de cães, transfusões de sangue ou transmissão transplacentária. O período de incubação é de aproximadamente duas semanas, mas os sintomas podem permanecer leves e alguns casos não são diagnosticados durante meses ou anos.

Parasitas

As moscas causam a miíase em cães

As moscas são insetos que podem afetar o seu cachorro depositando os seus ovos na pele do animal, principalmente em feridas abertas. Em poucos dias, os ovos eclodem em larvas que se arrastam pela superfície ou penetram em camadas mais profundas da pele, causando inchaço e infecções secundárias.

Dependendo da área do corpo afetada, a miíase pode ser classificada como cutânea, oftalmológica, auricular e urogenital. Pode afetar qualquer animal vertebrado, incluindo seres humanos, e ocorre em todo o mundo, embora predomine nos meses mais chuvosos.

As moscas da areia transmitem a leishmaniose

Esta doença é causada por um parasita protozoário que infecta cães e certos roedores em muitas partes do mundo, mais comumente em áreas rurais. O parasita é transmitido através da picada de uma pequena mosca da areia.

Os seres humanos também podem contrair a leishmaniose. No entanto, é importante ter em mente que as pessoas não podem ser infectadas diretamente com a leishmaniose de seus cães. A leishmaniose é comum no Mediterrâneo e na América do Sul.

  • Escobar, A., Edmundo, F., & Arteaga Domínguez, C. E. (2009). Prevalencia de Leishmania spp. en cánidos domésticos de dos cantones del municipio de San Ildefonso, departamento de San Vicente, El Salvador (Doctoral dissertation, Universidad de El Salvador).
  • Camacho, A. T., Pallas, E., Gestal, J. J., Guitián, F. J., & Olmeda, A. S. (2003). Parasitación por Babesia canis en Galicia. Clínica veterinaria de pequeños animales, 23(1), 0050-53.
  • Kníght, D. H. (1987). Heartworm infection. Veterinary Clinics of North America: Small Animal Practice, 17(6), 1463-1518.