Problemas respiratórios em gatos: causas e sintomas

14 Março, 2020
Os problemas respiratórios em gatos podem resultar de uma longa lista de condições. Portanto, é importante determinar a sua etiologia para estabelecer o tratamento adequado.
 

Os problemas respiratórios em gatos são casos comuns em serviços de emergência veterinária. A sua aparição pode ocorrer como um processo progressivo ou abruptamente com poucos sinais de alerta.

É importante entender que o desconforto respiratório pode ser muito angustiante para o seu animal de estimação e que ele corre o risco de piorar rapidamente, o que pode até levar a um risco de vida.

A partir dessa perspectiva, cada caso de animal com dificuldade respiratória deve ser tratado como uma emergência, avaliado de forma rápida e cuidadosa. Ao mesmo tempo em que o tratamento emergencial é oferecido, o veterinário vai fazer o diagnóstico.

Sintomas de problemas respiratórios em gatos

A dispneia ou dificuldade respiratória em gatos pode se manifestar de muitas maneiras diferentes. O paciente pode sofrer de tosse persistente, respiração ruidosa, alteração na voz ou menor capacidade de se exercitar. Os sinais mais graves de dificuldades respiratórias podem incluir o seguinte:

  • Além da dificuldade óbvia de inspirar e expirar, os gatos com dispneia geralmente apresentam uma variedade de sintomas clínicos associados. A sua frequência respiratória pode ser estranhamente rápida, por exemplo.
  • Ele também pode ofegar alto com a boca aberta e tossir com frequência. É comum ele adotar uma posição em que estica o corpo para a frente como se estivesse prestes a vomitar, enquanto abaixa a cabeça. Se a dificuldade respiratória for grave, o gato pode apresentar gengivas azuis – devido à falta de oxigenação – e desmaiar.
 
Sintomas de problemas respiratórios em gatos

O calicivírus felino e o herpesvírus felino são responsáveis ​​por 80% a 90% de todos os problemas respiratórios superiores contagiosos em gatos.

Causas comuns dos problemas respiratórios em gatos

O desconforto respiratório pode ocorrer por muitas razões diferentes. Algumas das causas comuns incluem:

  • Asma: nessa condição, as vias aéreas ficam inflamadas e têm espasmos. Como resultado, as vias se tornam mais estreitas e causam graves dificuldades respiratórias.
  • Pneumonia: refere-se a uma infecção dos pulmões. Pode ser causada por diferentes agentes infecciosos ou por broncoaspiração. Esta última pode ocorrer devido à inalação de alimentos ou líquidos, após vômitos ou regurgitação.
  • Insuficiência cardíaca congestiva: em caso de insuficiência cardíaca, pode ocorrer acúmulo de líquidos dentro e ao redor dos pulmões.
  • Derrame pleural: acúmulo de líquido no espaço ao redor dos pulmões que dificulta a expansão do tórax pelo gato. Pode estar associado a infecções e até ao câncer.
  • Paralisia da laringe: ocorre quando os músculos da garganta não funcionam adequadamente, o que significa que a laringe não se abre para permitir a entrada de ar suficiente.
 
  • Outras causas: presença de corpos estranhos nas narinas ou traqueia, além de lesões no peito.

Esta é apenas uma pequena seleção das muitas causas de dificuldades respiratórias que vemos nos gatos.

Radiografia de gato

Tratamento e prognóstico

Como você pode ver, os problemas respiratórios em gatos têm muitas causas diferentes e apresentam um nível de gravidade variável. Da mesma forma, seu tratamento e prognóstico podem variar bastante.

A maioria dos animais com dificuldades respiratórias se beneficia da suplementação de oxigênio. Esse tratamento pode ser administrado de várias maneiras, dependendo do tamanho do paciente e de quão instável estiver.

Em pacientes com muita agitação, a sedação pode ajudar a gerenciar o estresse. Se a situação do gato for grave e causar risco de vida, pode ser necessário realizar procedimentos ou tratamentos de emergência adicionais para ajudar a estabilizá-lo.

Entre esses procedimentos, pode-se listar a drenagem de fluidos ao redor dos pulmões e a toracocentese, bem como a abertura de um orifício nas vias aéreas superiores para permitir que eles respirem mesmo com a obstrução. A colocação de um ventilador também pode ser considerada para ajudá-los a respirar.

 

Exames para gatos com problemas respiratórios

Podem ser realizados exames de sangue, imagens de raios X, tomografia computadorizada ou ultrassom, além de outros procedimentos realizados sob anestesia geral, como a broncoscopia e a lavagem das vias aéreas.

  • Quimby, J., & Lappin, M. (2009). Feline focus: Update on feline upper respiratory diseases: introduction and diagnostics. Compendium (Yardley, PA), 31(12), E1-7.
  • Ward, J. L., Lisciandro, G. R., Keene, B. W., Tou, S. P., & DeFrancesco, T. C. (2017). Accuracy of point-of-care lung ultrasonography for the diagnosis of cardiogenic pulmonary edema in dogs and cats with acute dyspnea. Journal of the American Veterinary Medical Association, 250(6), 666-675.
  • Sleeper, M. M., Roland, R., & Drobatz, K. J. (2013). Use of the vertebral heart scale for differentiation of cardiac and noncardiac causes of respiratory distress in cats: 67 cases (2002–2003). Journal of the American Veterinary Medical Association, 242(3), 366-371.