Qual é a causa da coccidiose nas galinhas?

29 Julho, 2020
Um dos desafios que os donos de galinhas enfrentam é a ameaça de uma doença comum e potencialmente devastadora chamada coccidiose. Mas depois de entender o que a causa e como ela se espalha, você poderá se sentir mais confiante em sua capacidade de limitar seu impacto.
 

A coccidiose nas galinhas é causada por um parasita microscópico chamado coccídio, que é transmitido através dos excrementos das aves infectadas. Em outras palavras, em qualquer lugar que houver um traço microscópico de cocô de ave – um comedouro, um bebedouro ou na cama – quase certamente os coccídios estarão presentes.

Os sintomas da coccidiose incluem perda de peso, palidez, penas enrugadas, depressão, aglomeração, falta de apetite e diarreia aquosa ou com sangue. Todas as aves correm risco, mas os exemplares em crescimento e os adultos jovens com três a cinco semanas de idade parecem ser mais suscetíveis.

Boa saúde

A boa notícia é que as galinhas e os frangos geralmente gozam de boa saúde e um sistema imunológico forte. Essas aves são ‘equipadas’ para se protegerem contra a coccidiose, desde que não se estressem ou sejam expostas a condições insalubres.

Um caso leve pode até passar despercebido. Uma vez que a ave tiver sobrevivido a um surto, ela ficará imune a esse organismo particular dos coccídios (existem nove espécies diferentes).

 

A outra boa notícia é que cada espécie de coccídeo é ‘específica do hospedeiro’. Isso significa que o tipo de coccídeo que pode infectar os perus não é o mesmo que pode infectar as galinhas (ou gansos ou codornas, etc.). Portanto, a coccidiose nas galinhas não pode ser transmitida a um ganso, podendo apenas ser transmitida de galinha para galinha.

Boa saúde

Quando a coccidiose nas galinhas consegue se proliferar incontrolavelmente, invade o revestimento do intestino, causando danos aos tecidos e interferindo na absorção de nutrientes. Isso pode ser devastador para uma ave.

Como prevenir a coccidiose nas galinhas

Uma das melhores maneiras de evitar um surto de coccidiose nas galinhas é realizar uma limpeza responsável e o gerenciamento adequado dos resíduos. Os coccídios prosperam em condições quentes e úmidas, tornando o lixo úmido ao redor do galinheiro um paraíso para esses e muitos outros parasitas.

 

Acredite ou não, quando as condições são adequadas, os coccídios podem sobreviver até quatro anos fora do corpo de uma ave. E esses pequenos organismos resistentes podem ser transmitidos através de botas, equipamentos, insetos e roedores. Portanto, você precisará de uma abordagem em vários níveis para minimizar a ameaça.

Sugestões

  • Mantenha as instalações o mais secas possível. Os coccídios adoram a umidade.
  • Nunca introduza novas aves adultas no galinheiro. Aves que parecem saudáveis ​​podem transportar uma série de doenças mortais. Deixe-as em quarentena primeiro.
  • Crie os filhotes isoladamente. Aves maduras podem transmitir doenças e parasitas a aves jovens e vulneráveis.
  • Limpe e desinfete completamente qualquer coisa com a qual os filhotes venham a entrar em contato. Quando estiver tudo seco, coloque de 4 a 15 cm de material de folhagem seco e fresco – aparas de madeira ou material de cama absorvente comercial – no chão.
  • Forneça água limpa em todos os momentos. Se possível, eleve o bebedouro levemente e limpe-o com bastante frequência. Se você mesmo não estiver disposto a beber essa água, ela não está suficientemente limpa.
 
  • Nunca deixe o bebedouro ficar seco, pois isso forçará as aves a procurarem água nas poças d’água, que quase certamente estão contaminadas.
  • Deixe a luz do sol fazer parte do trabalho. Esse parasita odeia a luz solar, e ela age como um desinfetante natural. Incorpore o máximo possível de luz solar natural ao seu criadouro.
  • Pergunte ao veterinário sobre a vacinação. Existe uma vacina comercial contra a coccidiose em galinhas, mas não é benéfica para todos tipos de ave.

Lembre-se: a exposição aos coccídios não é a ameaça, pois honestamente é inevitável. Até mesmo aves selvagens carregam os coccídios. A grave ameaça vem da superexposição prolongada aos coccídios em um ambiente estressante e insalubre, que pode sobrecarregar o sistema imunológico de uma ave.

 

Uma boa nutrição contra a coccidiose

Há outra arma importante que você pode utilizar como forma de defesa em múltiplos níveis contra a coccidiose nas galinhas: alimentos medicamentosos contendo um coccidiostato que controla o crescimento dos coccídios no trato digestivo.

Esses alimentos fornecem uma dieta completa e equilibrada para as aves para os quais foram criados. Nenhum outro suplemento alimentar é necessário.

Quando você considera que um forte sistema imunológico é a melhor defesa natural de uma ave contra os coccídios e outras doenças, investir em uma boa nutrição desde o início é uma maneira inteligente de garantir a saúde dos seus animais.