Raças de cães da Inglaterra

05 Abril, 2018

A Grã-Bretanha, em geral, é um dos territórios mais prolíficos em termos de criação de animais de estimação e trabalho. É por isso que não é surpreendente que haja quase 40 raças de cães da Inglaterra, e que muitos deles também sejam populares em todo o mundo. Nesse artigo, falaremos sobre os mais famosos.

Quais são as principais raças de cães da Inglaterra?

Poderíamos dizer que uma boa porcentagem das raças de cães da Inglaterra atravessaram fronteiras e continentes. Hoje, eles podem ser encontrados em todo o mundo, independentemente de nossa localização. Das quase 40 raças existentes, é um pouco difícil escolher algumas, mas nós contaremos sobre os mais populares ou reconhecidos:

O cão beagle

1. Beagle

De tamanho médio, é um cão usado para rastrear coelhos e lebres devido ao seu senso olfativo altamente desenvolvido. Eles se tornaram famosos na Era Elisabetana, já que a Rainha era uma fã da raça. Esses cães têm orelhas grandes, manto de até três cores (branco, preto e marrom) e nariz preto. Essa raça é muito calma, alegre, guardiã, inteligente, determinada e resoluta. Esse cão é propenso a epilepsia, hipotireoidismo e excesso de peso.

2. Bull Terrier

Pertence ao grupo dos Terrier e é um dos cães da Inglaterra por excelência. Uma das principais características é a cabeça em forma triangular e o focinho alongado. Ele é muito ativo, engraçado, carinhoso e, embora sejam principalmente brancos, alguns podem ser malhados. Os cuidados com esse cão são simples devido ao pelo curto. Além disso, ele requer bastante exercício para queimar energia.

3. Buldogue

Essa raça é um dos símbolos da Inglaterra e surgiu no século 17 para lutas (prática banida em 1835). É “gordinho” e tem várias dobras ou rugas no manto. Sua cabeça é grande em comparação com o corpo, tem pelo curto e liso em três cores (vermelho, branco e bege, também podem ser malhados). Os lábios ficam pendendo. Em relação à sua saúde, ele pode sofrer problemas respiratórios.

4. Cavalier King Charles Spaniel

Um cão da realeza com todas as letras. Desde o século 16, esse cão tem sido usado como um animal de companhia pela corte inglesa (como pode ser visto em várias pinturas da época). É pequeno, alegre, ativo e pertence ao grupo de cães de água. Ele toma emprestado o nome do rei Carlos II, um fanático da raça desde o início. Ele deve ser levado para passear em uma coleira porque, do contrário, ele irá querer seguir tudo o que vê no caminho.

5. Jack Russell Terrier

Outra das raças de cães da Inglaterra entre as mais conhecidas, mas que, no entanto, teve seu principal desenvolvimento na Austrália. Pequeno em tamanho e, predominantemente, de corpo branco (com algumas manchas marrons nas orelhas e rosto). Ele é um terrier alerta, independente, ágil, forte e resistente. É normal que lata para indicar a localização de uma presa ou queira cavar no chão.

6. Pointer Inglês

É uma raça de cães de caça cujo nome é devido à habilidade de “apontar” a localização de uma presa. As origens remontam ao século 17, quando a caça com espingarda era comum. É descendente do cão braco, mas ainda não se sabe se da variedade francesa, inglesa ou espanhola. Ele tem um sentido de olfato excepcional, nunca se cansa de procurar e pode correr grandes áreas sem problemas.

Pointer inglês

7. Setter inglês

Embora as origens da raça remontem à Idade Média, na França, vários espécimes foram levados para a Inglaterra e cruzaram com o pointer inglês. Em seguida, apareceram outros Setters (no País de Gales, Irlanda, etc.). A espécie atual nasceu no século 19, para trabalhar no campo, é um cão de tamanho médio com pelo preto e branco malhado (como um dálmata, mas com pelos longos).

Quanto a sua personalidade, é fácil de treinar, ativo, amigável, precisa de uma companhia contínua e não escolhe um único dono, mas se dá bem com toda a família e amigos íntimos. Essa raça precisa de um treinamento paciente devido à sua natureza um pouco “selvagem”.

8. Norwich Terrier

Ele foi criado para caçar pequenos roedores, tem uma personalidade amigável e é escolhido como um animal de companhia. O primeiro exemplar nasceu em East Anglia, no século 19, e é uma raça cada vez mais rara de encontrar fora do país.