Como reagir ao risco de asfixia em cães?

30 Agosto, 2020
A asfixia em cães é algo comum. Objetos presos na garganta podem induzir a asfixia e exigir cuidados veterinários de emergência.

O instinto do seu cão pode trabalhar contra ele. Pense, por exemplo, no hábito que ele tem de pegar e morder objetos atraentes, tipo um osso pequeno ou um brinquedo infantil. A ingestão de tais itens pode levar à asfixia em cães e exigir tratamento veterinário de emergência.

É altamente recomendável que, como donos de animais de estimação, conheçamos os primeiros socorros que devem ser aplicados antes de levá-lo à clínica veterinária mais próxima.

O que é a asfixia em cães?

A asfixia é o que acontece quando o corpo não está recebendo oxigênio suficienteEssa deficiência de oxigênio é clinicamente conhecida como hipóxia. Você deve ter em mente que as causas mais comuns de asfixia em um cão são: presença de um corpo estranho na garganta, afogamento ou inalação de substâncias tóxicas.

Quais são os sinais da asfixia em cães?

O primeiro sinal de asfixia é uma ansiedade extrema. O cão se mostra ofegante ou parece fazer força para respirar, com a cabeça e o pescoço esticados. Se a falta de oxigênio se estender ao longo do tempo, o cão perderá a consciência.

À medida que a asfixia persiste, é possível observar um estado de cianose, cujo sinal mais notável é o tom azulado da língua e das mucosas.

Como saber se um cachorro está com algo preso na garganta?

Geralmente, a suspeita de asfixia vem dos sons que o cão faz. Os cães podem tossir por vários motivos, mas um dos mais comuns é estar com algo preso na garganta.

Quais são os sinais da asfixia em cães?

Um aspecto que é importante ao determinar se há algo preso na garganta do seu cão é a raça. Algumas raças são naturalmente gulosas, como o Labrador, o Golden Retriever ou o Beagle, e podem ter mais chances de comer algo impróprio.

Outras raças podem estar sujeitas a asfixia e são conhecidas como cães braquicefálicos. É o caso dos Pugs, Bulldogs e algumas raças de cães mastim.

O que fazer se o meu cachorro engolir algo que causa asfixia?

Antes de correr para o veterinário, se o seu cão estiver com algo preso na garganta, você pode tentar as seguintes dicas:

  • Abra o focinho dele imediatamente para dar uma olhada em toda a cavidade oral e ver se você consegue remover o objeto com a mão. Não é recomendável remover objetos com pontas ou arestas cortantes, como ossos lascados, agulhas, tesouras, etc.
  • Se o seu animal de estimação for um cão pequeno, você pode inclinar a cabeça dele para baixo enquanto tenta remover o objeto. No caso de cães grandes, levantar as patas traseiras pode ser útil.
  • Execute a manobra de Heimlich: uma técnica comprovadamente eficaz para salvar vidas em caso de asfixia. Fique atrás do cão, em pé ou ajoelhado. Envolva seus braços em volta dele e apoie as pernas dele com as suas próprias pernas. A partir dessa posição, aplique pressão atrás das costelas, para dentro e para cima, para fazer o animal tossir ou vomitar. Quanto mais o cão salivar, melhor será, pois isso vai facilitar a expulsão do objeto.
O que fazer se eu meu cachorro engolir algo que lhe causa asfixia?

Mesmo depois de remover o objeto com sucesso por qualquer uma dessas técnicas, você deve levar o animal ao veterinário para que ele avalie as lesões e os possíveis tratamentos.

Tratamento médico para remover objetos presos na garganta

Primeiro, o médico vai tentará localizar o corpo estranho. Isso é feito com um raio X o mais rápido possível.

Outros tratamentos serão aplicados a critério do profissional veterinário responsável pela emergência. Estes são alguns dos tratamentos mais comuns para remover objetos presos na garganta:

  • Se tiver passado menos de 48 horas, poderá ser removido com sedação e endoscopia. Esse procedimento envolve a inserção de um tubo com uma câmera e uma pinça usada para remover o objeto. O veterinário também pode usar a aplicação oral de vaselina se achar que é mais acessível.
  • Se já tiver se passado 48 horas, o veterinário vai avaliar a necessidade da realização de uma cirurgia para remover o corpo estranho. Parte do problema é que já haverá aderências no trato digestivo.

Não ceda à tentação de automedicar o animal

É muito importante consultar o veterinário e não medicar seu animal de estimação com antidiarreicos, antieméticos ou analgésicos, pois tudo o que farão é camuflar os sintomas e piorar a solução.

“Um cão asfixiado pode ser salvo com ajuda e tratamento imediatos.”

Por fim, é importante enfatizar a prevenção. Não deixe objetos perigosos ao alcance do seu cão, principalmente em locais onde ele fica sem supervisão. Também tenha cuidado com o que você alimenta seu cão: ossos cozidos podem ser muito perigosos, pois quebram e lascam facilmente, podendo ficar presos na garganta.

  • Antoine, M. (2017). Peligros del mentol en el niño, su inocuidez en el perro. Revista de la Facultad de Agronomía, La Plata, 10(1), 131-134.
  • Ordoñez, J. H. (1939). Modificaciones del electrocardiograma del perro según el grado de la anoxemia. Revista de la Facultad de Medicina, 7(7), 347-352.
  • Fernández San Millán, R. (2016). Estudio crítico de la maniobra de Heimlich en la asfixia por atragantamiento.