Reservas marinhas e áreas protegidas da Espanha

21 Maio, 2020
A conservação dos ecossistemas marinhos é extremamente importante para o setor pesqueiro. E para isso, são criadas reservas marinhas.
 

As reservas marinhas foram criadas para realizar a exploração sustentável dos recursos pesqueiros. Essas áreas devem atender a certas características que permitam a reprodução de espécies de interesse pesqueiro e a sobrevivência das suas formas juvenis.

Como funcionam as reservas marinhas?

O efeito positivo de uma reserva marinha é manifestado pela recuperação significativa das áreas de pesca em que está inserida. Assim, consegue-se a regeneração dos recursos pesqueiros, protegendo a sua reprodução e dispersão.

Finalidade das reservas marinhas

São criadas para a proteção, regeneração e desenvolvimento de recursos de interesse da pesca. Dessa forma, são mantidas as pescarias artesanais da região, preservando o modo de vida tradicional.

Reservas marinhas na Espanha

Atualmente, na Espanha, existem 11 reservas marinhas.

Cabo de Gata

Está localizada na província de Almeria, no sopé da Serra de Cabo de Gata. Estende-se ao largo da costa, ocupando uma área de 4.613 hectares. Além disso, inclui as águas protegidas do Parque Natural Cabo de Gata, Níjar.

 

Os fundos alternam entre superfícies rochosas e arenosas. É o lar das pradarias mais ao sul da Posidonia oceanica.

Como funcionam as reservas marinhas?
Fonte: Fundacionaquae.org

Islas Hormigas

Possui 1.931 hectares que se estendem a Cabo de Palos, na costa de Múrcia. Alternam os fundos rochosos e arenosos e as pradarias de Posidonia oceanica.

Cabo Tiñoso

Situado na região de Múrcia, está localizado ao sul de Cartagena e possui uma área de 1.173,79 hectares. O ambiente de Cabo Tiñoso oferece grande potencial ecológico por ter prados marinhos, cavernas submersas ou recifes artificiais.

Cabo Tiñoso
 

Cala Ratjada

Está localizado ao norte da costa de Levante, na ilha de Maiorca, e nas águas externas da região.

Ilha de Alborão

Está localizada no sul do Mediterrâneo de Almeria, ocupando uma área de 1.650 hectares ao redor da ilha de Alborão. O fundo é variado e abrupto, e a partir de 60 metros de profundidade existem florestas de algas laminares marrons.

Reservas marinhas das Ilhas Columbretes

Localizada a cerca de 30 milhas náuticas de Grao de Castellón, é composta por quatro grupos de ilhotas e alguns recifes e baixos. A reserva marinha possui uma área de 5.543 hectares.

Reservas marinhas das Ilhas Columbretes

Ilha Graciosa

Essa reserva marinha se estende até o Atlântico, abrangendo o norte da ilha de Lanzarote, La Graciosa e outras ilhotas. Com essa reserva, a proteção que já existe na terra – Parque Natural do Arquipélago Chinijo – é estendida ao ambiente marinho.

 

Ilha Tabarca

Localizada em frente ao porto de Santa Pola, em Alicante. No total, possui uma área de 1.754 hectares.

Abriga pradarias de Posidonia oceanica em ótimo estado de conservação, o que favorece a regeneração dos recursos pesqueiros da região.

Reservas marinhas da Ilha de La Palma

Essa reserva marinha atinge 1.000 metros de profundidade e se estende por 3.455 hectares na costa sudoeste da ilha de La Palma. As autoridades consideraram a área idônea devido à sua biodiversidade, o estado dos estoques de interesse de pesca e a possibilidade de recuperá-los.

Mar de las Calmas

Essa reserva está localizada no Atlântico, na ponta sudoeste da ilha de El Hierro. Atinge grandes profundidades de mais de 300 metros, pois a ilha é de origem vulcânica. Possui uma área de 750 hectares.

 

Masia Blanca

Essa é uma pequena reserva marinha de 457 hectares, localizada na costa do Mediterrâneo, a cerca de 30 quilômetros ao norte de Tarragona. Essa reserva protege barras rochosas de alta biodiversidade e áreas de alevinos.

A Rede de Áreas Marinhas Protegidas da Espanha (RAMPE)

A figura de “área marinha protegida” foi criada pela Lei 42/2007 do Patrimônio Natural e Biodiversidade.

A Rede de Áreas Marinhas Protegidas da Espanha (RAMPE)

Em relação aos objetivos gerais da RAMPE, são os seguintes:

  • Garantir a conservação e a recuperação do patrimônio natural e da biodiversidade marinha.
  • Proteger e conservar as áreas que melhor representam as espécies, o habitat e os processos ecológicos nos mares.
  • Promover a conservação dos corredores ecológicos e a gestão dos elementos essenciais nas águas.
 

Reservas marinhas como parte da RAMPE

De acordo com a Lei 41/2010 da Proteção do Meio Marinho, todas as áreas protegidas localizadas em águas sob soberania espanhola serão integradas à RAMPE.

Isso inclui:

  • A Rede Natura 2000.
  • Outros espaços naturais protegidos.
  • As áreas protegidas por instrumentos internacionais.
  • E, por fim, as reservas marinhas.