O que é a seleção genética em animais domésticos?

03 Novembro, 2020
Enquanto os cães nos oferecem seu amor e companheirismo altruísta, galinhas e vacas são criadas para consumo alimentício. A função de cada animal doméstico é o resultado da seleção genética.

Existem raças de cães às quais atribuímos alguns traços e características que os tornam únicos e facilmente reconhecíveis, como a velocidade dos galgos ou a inteligência dos poodles. O mesmo ocorre com outros animais, como animais de fazenda, destinados a atender necessidades específicas, por exemplo, a produção de leite, carne ou ovos. Tudo isso se deve a um processo denominado seleção genética. 

Continue lendo para descobrir em que consiste esse termo e como ele ocorre em animais de estimação.

Seleção genética: em busca das melhores qualidades

A seleção genética não ocorre apenas em cães, ocorre também em outros animais domésticos, como peixes, cavalos e até lagartixas. É um processo no qual dentro de uma população existem animais com aparência e comportamento que lhes permitem se reproduzir com mais frequência.

Devemos ter em mente que o comportamento, como todas as características dos animais, é uma combinação entre os genes e o ambiente. Por outro lado, a domesticação é uma forma de manipulação genética que os humanos têm usado há anos, tanto em plantas quanto na criação de animais, para moldar plantações e rebanhos de forma a atender suas necessidades.

Assim, a domesticação é a seleção de características comportamentais que melhoram as habilidades específicas dos animais. Por exemplo, na criação de frangos, os avicultores procuram os animais que lhes fornecem ovos, carne e filhotes. Portanto, eles vão fazer uma seleção e ficar com os seres que possuírem essas qualidades. É assim que as raças são criadas.

Em busca das melhores qualidades

Assim, podemos vemos como, desde que as pessoas começaram a domesticar, as espécies animais foram moldadas de acordo com seus propósitos e necessidades.

A seleção genética também tem sido usada para melhorar a saúde e o comportamento dos animais, por exemplo, eliminando comportamentos indesejados, como a agressividade em porcos. Dessa forma, a seleção genômica ajuda a reduzir os problemas de bem-estar animal.

Animais que foram submetidos à seleção genética

Nem tudo se reduz a galinhas e camundongos, já que a seleção genética é um mecanismo de modificação antrópica que tem causado mudanças em muitas espécies animais. Vamos mostrar alguns exemplos.

Cães

O cão foi a primeira espécie a ser domesticada, por isso hoje é muito diferente do seu ancestral selvagem. As raças de cães apresentam diferenças morfológicas muito variadas. É por isso que existe uma gama tão ampla de diversidade genética neles em comparação com outros animais.

Com o passar dos séculos, os humanos selecionaram características para tornar esses animais o que eles são hoje, companheiros fiéis e sociáveis.

Cavalos

No caso dos cavalos, mais e mais espécies têm sido usadas e criadas para eventos esportivos competitivos. Em um estudo publicado pela revista acadêmica PLoS ONE, quatro cavalos de sangue quente foram escolhidos nos quais foi demonstrado que os genes predominantes eram aqueles envolvidos no desenvolvimento muscular, no crescimento e na fertilidade.

Vacas leiteiras

Na pecuária leiteira, a seleção genética é uma ferramenta usada para melhorar a produção de leite, que foi aumentada em até três vezes com programas de melhoramento genético.

No entanto, não devemos focar esse processo apenas no consumo humano. A seleção genética também é usada para fornecer a esses animais uma vida saudável e sem doenças.

Peixes

O professor de genética Paulino Martínez já em 2016 alertava em entrevista sobre os benefícios que a seleção genética oferece na aquicultura, âmbito em que é aplicada à criação de peixes para que desenvolvam menos doenças ou, por exemplo, em casos de cultivo de mexilhões que retêm menos produtos tóxicos.

Outra forma de favorecer esse setor é controlando o sexo dos peixes:

“Ao falar sobre o sexo dos exemplares, ressalta que na criação de pregado e robalo é mais interessante obter fêmeas, pois elas crescem mais, enquanto nas fazendas de tilápia, pelo contrário, os machos são preferíveis.”

Lagartixas

As lagartixas-leopardo são mais comumente usadas como répteis de estimação devido à facilidade com que podem ser criadas e mantidas em cativeiro. A diversidade de cores e formas desses animais se deve ao número de cruzamentos que já sofreram ação de seleção genética pelos criadores.

Lagartixas

A favor ou contra a seleção genética?

Apesar dos benefícios que essa ferramenta genética proporciona, é apenas mais uma maneira dos seres humanos de manipular os animais para satisfazer suas necessidades. Essa seleção não ocorre apenas em animais, mas também em lavouras, onde as características mais desejadas, como sabor ou cor, são combinadas em uma única variedade.

Por isso, gostaríamos de perguntar a você, leitor, a título de debate, se concorda ou não com essa questão. Afinal, somos nós que tiramos proveito dessa situação.

  • Nolte, W., Thailer, G. and Kuehn, C. Selection signatures in four German warmblood horse breeds: tracing breeding history in the modern sport horse. PLoS ONE (2019) 14(4).
  • https://www.nature.com/scitable/topicpage/genetics-of-dog-breeding-434/
  • https://en.wikipedia.org/wiki/Selective_breeding
  • Malgorzata, P., Tadeusz, M. et al. Diversifying selection between pure-breed and free-breeding dogs inferred from genome-wide SNP analysis. Genetics Society of America. (2016) 6: 2285-2298.
  • Michael D. Breed and Janice Moore. Chapter 3- Behavioral Genetics. Animal Behavior (Second Edition) (2016) 71-107