Septicemia em cães: sintomas e tratamentos

02 Outubro, 2020
As bactérias às vezes podem vencer a batalha contra o corpo e causar uma infecção geral. Quando isso acontece, estabelecer um tratamento eficaz é essencial para a sobrevivência do animal.

No dia a dia, o organismo luta constantemente contra a invasão de bactérias e patógenos. Levando em consideração o número de batalhas travadas, podemos dizer que as surras que essas bactérias recebem são constantes.

No entanto, às vezes, quando as defesas do corpo baixam a guarda, as bactérias podem vencer a batalha. Quando isso acontece, a infecção se forma. Mas quando isso acontece de forma massiva, ocorre a septicemia. A seguir, vamos explicar as causas e o tratamento da septicemia em cães.

Definição de septicemia

Septicemia ou sepse é uma propagação transitória, intermitente ou contínua de bactérias ou outros organismos patogênicos na corrente sanguínea.

Quando isso acontece em indivíduos saudáveis ​​e normais, a infecção geralmente é leve e autolimitada. Ou seja, aquelas bactérias que venceram a primeira batalha e invadiram o território do corpo são efetivamente destruídas pelas defesas do organismo.

Por outro lado, em certas circunstâncias em que as defesas do animal não são capazes de responder adequadamente àquela primeira infecção, ocorre uma invasão massiva de bactérias com a consequente septicemia.

Definição de septicemia

Sintomas da septicemia em cães

Se o cão sofre de septicemia, pode apresentar uma sintomatologia variada, mas frequentemente de apresentação generalizada. Entre os sintomas mais típicos, encontramos o seguinte:

  • Febre.
  • Depressão geral, apatia.
  • Taquicardia.
  • Taquipneia, aumento da frequência respiratória acima dos limites normais.

Por outro lado, podemos encontrar outros sintomas menos específicos envolvidos nesse processo, embora às vezes possam não estar presentes se a doença estiver suficientemente avançada. Nesse sentido, podemos falar sobre:

  • Hipotermia: ocasionalmente, pode haver hipotermia causada por septicemia muito grave. Normalmente, a ordem usual passa por um período de hipertermia após o qual, na ausência de tratamento e progressão da doença, segue-se a hipotermia.
  • Redução da produção de urina: da mesma forma, em estágios avançados da doença, pode haver redução do volume urinário produzido.
  • Sintomas gastrointestinais: vômitos, diarreia e anorexia, ocorrem na septicemia avançada.

Tratamento para a septicemia em cães

De maneira geral, podemos afirmar que a eficácia do tratamento da septicemia sempre dependerá de um diagnóstico precoce. Essa condição é importante em qualquer processo patológico, mas ainda mais relevante nesse tipo de infecção.

Por outro lado, a identificação e eliminação de focos bacterianos e o suporte hemodinâmico (promovendo o correto funcionamento do aparelho circulatório) são igualmente essenciais. A seguir, vamos mostrar os tratamentos mais importantes nos processos de septicemia:

Cultura bacteriana

Embora não seja tecnicamente parte do tratamento, mencionamos como um teste essencial para a correta identificação do elemento patogênico. É sempre mais fácil derrotar o inimigo quando você conhece seus pontos fracos. Para conhecê-los, temos que saber contra o que estamos lutando.

As culturas bacterianas são realizadas profissionalmente a partir de amostras biológicas do animal (fezes e escarro, entre outras) e se baseiam na criação da bactéria patogênica em meio estéril para poder identificá-la.

Debridar e limpar feridas

Quando a septicemia é decorrente de uma ferida na pele, podemos considerá-la fonte de bactérias. Portanto, é essencial limpar e remover todo o tecido infectado para evitar mais disseminação de micro-organismos na corrente sanguínea.

Da mesma forma, se houver abscessos, eles devem ser drenados adequadamente.

Cirurgia

Ocasionalmente, a remoção do foco produtor de bactérias requer resolução cirúrgica. Processos como infecções uterinas, abscessos intraorgânicos ou perfurações gastrointestinais exigem esse tipo de intervenção para sua reparação ou eliminação.

Antibioterapia

Elemento-chave. Se as defesas do corpo do cão não são capazes de lidar com essas bactérias, é necessário dar uma certa vantagem às tropas amigas.

O tratamento antibiótico correto, com base nos resultados da cultura, pode significar a diferença entre o sucesso ou o fracasso. Quanto mais eficaz for o antibiótico contra o micro-organismo específico que causa a infecção, melhores serão as garantias de recuperação.

Suporte

Da mesma forma, o suporte nutricional adequado é sempre igualmente indicado. Manter o equilíbrio hemodinâmico e fornecer ao corpo os nutrientes necessários são processos que devem ser realizados desde o primeiro momento.

É preciso lembrar que, para o sistema fisiológico do animal, o combate à septicemia é um processo exaustivo. É por isso que nesses momentos uma boa dieta é mais importante do que nunca.

Suporte

Septicemia em cães: uma doença complicada

Concluindo, a septicemia em cães é um processo patológico de prognóstico reservado, em que a detecção e o diagnóstico precoces podem significar a diferença entre o sucesso ou o fracasso.

Diante do menor sintoma de doença no cão, devemos ir a um profissional para avaliar corretamente o animal e estabelecer, se necessário, o tratamento adequado.