Spitz de Norboten: características e cuidados necessários

10 Agosto, 2020
Robusto, elegante, resistente e bonito. Essas são as palavras que poderiam descrever perfeitamente o Spitz de Norboten, uma raça de origem sueca dedicada ao pastoreio e à caça.

De porte médio e bastante robusto, o Spitz de Norboten  é um cachorro originário da Suécia, conhecido por sua força, resistência e beleza. Saiba tudo sobre ele neste artigo.

História do Spitz de Norboten

As origens dessa raça remontam ao século XVII, no condado sueco de Norrbotten – daí seu nome. Embora os finlandeses também queiram se apropriar da criação dessa raça, que eles chamam de pohjanpystykorv, as associações de cães consideram que ele é nativo da Suécia. Mas, na verdade, ambos os países podem ser o lar do spitz, sem problemas.

A tarefa inicial dessa raça de cães era ajudar no pastoreio e na caça, até mesmo de grandes mamíferos, tais como o urso pardo e o alce. Mas também foi usado para capturar esquilos, puxar trenós e carroças pequenas, além de ser um animal de companhia e cão de guarda em granjas e fazendas.

Durante a Primeira Guerra Mundial, o Spitz de Norboten esteve à beira da extinção. No entanto, alguns espécimes foram conservados no norte da Suécia – em fazendas – e, graças a eles, a raça foi capaz de sobreviver. Entre 1950 e 1960, a população aumentou e foram estabelecidos vários programas de criação para evitar o desaparecimento do cão nacional. Em 1966, ele foi aceito pela Federação Cinológica Internacional.

Características do Spitz de Norboten

Spitz de Norboten é um cachorro pequeno, com corpo compacto e músculos fortes. Elegante e com uma postura decidida, possui costas largas e peito bem desenvolvido. Os machos têm 45 centímetros de altura e pesam até 15 quilos, enquanto as fêmeas têm 42 centímetros de altura e 12 quilos de peso.

Spitz de Norboten

O nariz e os olhos são pretos, as orelhas são eretas e pontiagudas e o focinho é pontudo. A cauda é de inserção alta, um pouco enrolada na ponta e sua amputação não é permitida. As patas são longas e musculosas.

Quanto à pelagem, ela é dura e curta, rente ao corpo, ligeiramente mais longa sob a cauda, ​​a nuca e as coxas. Pode ter cores muito variadas, embora geralmente seja branco com manchas avermelhadas ou marrons. As orelhas e as manchas ao redor dos olhos geralmente são da mesma cor.

Temperamento do Spitz de Norboten

Como é uma raça que foi projetada para a caça e o pastoreio, esse cão está sempre alerta. O Spitz de Norboten é um cachorro muito corajoso e ativo, autoconfiante, mas também delicado e sensível.

Spitz de Norboten

Totalmente fiel aos donos, o spitz sueco é perfeito para casas com crianças, mas também precisa de um certo espaço ao ar livre, onde possa se exercitar e, dessa forma, evitar comportamentos agressivos ou destrutivos.

Saúde e cuidados necessários

Não são conhecidas doenças hereditárias graves no Spitz de Norboten. Eles precisam se exercitar todos os dias, correr ao ar livre e brincar, mesmo quando não são mais filhotes.

Embora seu instinto indique que ele deva caçar, há outras maneiras de incentivar essa atividade morando na cidade. Existem muitos jogos nos quais o cachorro precisa detectar certos objetos, como se estivesse caçando. Compre alguns brinquedos em forma de esquilo ou de rato para tornar a experiência mais ‘real’. Além disso, ele também adora jogos de perseguição.

Para manter seu pelo em boas condições, recomenda-se a escovação com certa frequência. De um modo geral, é um cachorro bastante limpo.

Em relação à alimentação, você deve consultar um veterinário para saber a quantidade diária ideal de ração e também qual é o melhor tipo de alimento, de acordo com as necessidades específicas do animal.

Se você está procurando um cachorro para te acompanhar durante os exercícios ao ar livre, que seja um cão de guarda perfeito e que pegue roedores no jardim da sua casa, o Spitz de Norboten é ideal para você.

  • Stronen, A. V., Salmela, E., Baldursdottir, B. K., Berg, P., Espelien, I. S., Jarvi, K., … Pertoldi, C. (2017). Genetic rescue of an endangered domestic animal through outcrossing with closely related breeds: A case study of the Norwegian Lundehund. PLoS ONE. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0177429