Toxicidade dos medicamentos em cães

12 Outubro, 2020
A toxicidade dos medicamentos humanos em cães pode ser muito grave, até mesmo fatal.

Se há algo que nunca vamos recomendar a um tutor é que medique o seu cachorro por conta própria. Em caso de suspeita ou indício de algum problema de saúde, a única opção é procurar um especialista. A toxicidade dos medicamentos humanos em cães pode ser muito grave e acabar custando muito mais caro do que uma consulta com o veterinário.

Embora os humanos também sejam mamíferos e os nossos organismos funcionem de maneira semelhante, cães e pessoas são diferentes, e os efeitos colaterais que um medicamento pode causar variam muito de uma espécie para a outra.

Toxicidade dos medicamentos anti-inflamatórios em cães

O ibuprofeno, a aspirina e o paracetamol são os medicamentos mais frequentemente encontrados em qualquer casa. Eles são usados ​​para reduzir os efeitos de dores leves ou moderadas. E o paracetamol também é antipirético, ou seja, reduz a febre.

Geralmente, são tomados quando temos alguma patologia leve, quando estamos com dor de cabeça, dores musculares ou quando estamos gripados. Esse tipo de medicamento de venda livre são os remédios dos quais mais abusamos.

Por causa do seu uso recorrente e da facilidade de tê-los à mão, é fácil pensar que esses medicamentos de uso diário em humanos seriam a solução para algum tipo de dor nos animais de estimação. No entanto, seu uso é muito perigoso para os animais e, nesse caso específico, tem efeitos letais para os cães.

Toxicidade dos medicamentos em cães

Os medicamentos humanos excedem a dose letal em cães

A quantidade terapêutica de paracetamol que um cachorro pode tomar é muito baixa (15 mg/kg) em comparação com os humanos, e a dose letal (150 mg/kg) também é baixa, considerando que os comprimidos para humanos são comercializados em unidades de 500 mg a 1 g de produto, bem acima da dose letal em cães.

Isso significa que se déssemos um desses comprimidos para um cachorro com cerca de cinco quilos, a dose letal terá sido ultrapassada. Assim, sem cuidados veterinários de emergência, o animal provavelmente vai morrer.

Como os medicamentos atuam no organismo?

A velocidade para o aparecimento dos primeiros sintomas depende de quanto tempo leva para que os medicamentos circulem através da corrente sanguínea até chegar ao órgão-alvo. Geralmente, o medicamento circula pelo sangue até ser metabolizado no fígado e filtrado pelos rins. O tempo que esses órgãos levam para metabolizá-lo depende, entre outros fatores, da concentração do produto.

A taxa de metabolismo dos medicamentos não é a mesma em todos os cães. Em alguns, o metabolismo pode ser tão rápido a ponto de impedir que sejam atingidos níveis tóxicos no sangue. Em outros, entretanto, pode ser muito lento, de modo que doses menores ou normais podem causar efeitos tóxicos.

As interações farmacológicas de outros medicamentos com os quais o animal pode estar sendo tratado, sua genética ou a presença de algum tipo de doença são os principais fatores que influenciam a velocidade de metabolismo dos medicamentos.

Toxicidade dos medicamentos em cães

Quais são os sintomas causados por uma intoxicação por medicamentos?

Alguns sintomas comuns produzidos pela toxicidade dos medicamentos em cães são:

  • Anorexia ou falta de apetite.
  • Vômitos.
  • Dor abdominal.
  • Letargia.
  • Desidratação.
  • Icterícia. A pele e as mucosas adquirem uma coloração amarelada devido ao mau funcionamento do fígado.
  • Inchaço das patas.
  • Hematomas. Também ocorre com a aspirina.
  • Aumento da temperatura. Sintoma típico de consumo de aspirina.
  • Cianose. Partes do corpo do animal ficam com uma cor azulada devido à falta de oxigenação do sangue.
  • Dificuldade para respirar ou dispneia. Os AINEs (anti-inflamatórios não esteroides) são medicamentos que impedem a oxigenação dos tecidos quando se unem às proteínas do sangue.
  • Taquicardia.
  • Coma.
  • Morte por insuficiência hepática e renal.

Os AINEs também danificam a mucosa gastrointestinaljá que inibem as prostaglandinas, moléculas responsáveis ​​por proteger o intestino para produzir o muco que lubrifica a superfície e reduz a secreção de ácido gástrico.

Além dos efeitos da toxicidade desses medicamentos em cães, o problema original apresentado pelo cachorro pode ser agravado com a ingestão do medicamento, dificultando, assim, o diagnóstico veterinário. Por tudo isso, a única opção viável para qualquer patologia do animal é ir o mais rápido possível a um centro especializado.

  • MSD manuals. Metabolismo de los fármacos.
  • Ortocanis. Efectos secundarios de los antiinflamatorios en perros y gatos.
  • Affinity. Intoxicación por AINEs.
  • PortalVeterinaria. Uso racional de AINE en el perro.