Tratamento da orquite em cães

15 Maio, 2020
Além da infecção ou inchaço dos órgãos genitais, a orquite em cães causa dor, podendo fazer com que os animais fiquem tristes ou se tornem agressivos

Muitos donos se assustam ao perceber que os seus cães estão com os testículos inchados e vermelhos. Esses sintomas nada agradáveis ​​geralmente indicam o avanço de um processo infeccioso chamado de orquite. A seguir, vamos explicar o que é a orquite em cães e como tratá-la para preservar a saúde do seu melhor amigo.

O que é a orquite em cães?

Os órgãos genitais dos cães são uma das regiões mais sensíveis e vulneráveis ​​do seu corpo, visto que podem entrar em contato com a sujeira e os patógenos diariamente. Como consequência, existe uma extensa lista de doenças e complicações que podem afetar a região genital dos cães.

A orquite em cães é um tipo de infecção que geralmente leva à inflamação dos testículos. Por esse motivo, um dos principais sintomas associados a essa doença são os testículos vermelhos, inchados e inflamados.

No entanto, nem todos os cães que apresentam testículos inflamados têm orquite. Existem muitas causas possíveis para a inflamação dos testículos, tais como a exposição a produtos químicos. Portanto, é essencial levar o seu animal de estimação ao veterinário para identificar a causa dessa anomalia nos seus órgãos genitais.

Como os cães desenvolvem a orquite?

Em geral, o processo infeccioso começa com uma lesão ou queimadura sofrida nos órgãos genitais, principalmente nos testículos ou no escroto. Por exemplo, se um cachorro se machuca durante uma briga ou sofre uma queimadura por congelamento durante o inverno.

Tratamento da orquite em cães

Se essa lesão entrar em contato com certas bactérias, um processo infeccioso pode ser iniciado. Dessa maneira, o ferimento atua como uma ‘porta de entrada’ para as bactérias entrarem no organismo do cachorro. Uma vez dentro do corpo, esses agentes podem se expandir e chegar aos ductos espermáticos.

No entanto, o desenvolvimento de um processo infeccioso geralmente também depende do estado do sistema imunológico de cada animal. Se o cachorro tiver um sistema imunológico forte, ele pode entrar em contato com patógenos e não desenvolver uma doença.

Sintomas da orquite em cães

Além dos testículos vermelhos e inchados, os cães que sofrem de orquite geralmente sentem dor. Como consequência, eles dificilmente vão permitir que essa região seja tocada ou examinada e podem até mesmo preferir se isolar para evitar que sejam tocados.   

A dor, especialmente se for intensa, também costuma ter um impacto negativo no comportamento do animal. Embora isso possa variar de acordo com cada indivíduo, muitos cães ficam mais tristes e alguns podem reagir de forma agressiva.

Além disso, podem ser observados os seguintes sintomas associados à orquite em cães:

  • Andar com as patas traseiras bem afastadas (para evitar o toque ou o atrito com os testículos inchados).
  • Presença de pus nos testículos.
  • Lamber os órgãos genitais com frequência, especialmente os testículos.
  • Endurecimento de um ou ambos os testículos.
  • Movimentos mais lentos.
  • Lentidão.
  • Letargia.
  • Febre.

Tratamento da orquite em cães

Tratamento da orquite em cães

Ao identificar quaisquer dos sintomas acima mencionados ou ao perceber que o seu cachorro está com os testículos inchados, é essencial levá-lo rapidamente ao centro veterinário. Somente um profissional capacitado poderá verificar as causas desse problema e recomendar um tratamento específico de acordo com as necessidades do paciente.

Em geral, são administrados antibióticos no tratamento da orquite para interromper o processo infeccioso e eliminar as bactérias patogênicasO veterinário também pode recomendar um anti-inflamatório para combater o inchaço nos testículos e aliviar o desconforto do animal.

Durante o tratamento, será essencial que o cachorro tenha um ambiente limpo, confortável e tranquilo para se recuperar mais rapidamente. A ausência de estresse traumático ajudará a acelerar a eficácia do tratamento.

Como prevenir a orquite em cães?

Primeiramente, devemos evitar ao máximo que os nossos cães sofram lesões em uma região tão sensível. Por exemplo, é necessário evitar que eles fujam e se envolvam em brigas de rua, ou evitar deixá-los expostos ao frio ou às mudanças extremas de clima no inverno.

Lembre-se também de que a higiene ideal é fundamental para impedir a proliferação de bactérias, fungos, parasitas e outros patógenos em casa. Portanto, não devemos negligenciar a limpeza e a desinfecção do ambiente e dos acessórios utilizados pelos nossos cães.

Por último, mas não menos importante, é essencial oferecer uma adequada assistência veterinária preventiva aos nossos animais de estimação durante toda a sua vida. Além disso, as consultas preventivas ao veterinário devem ser realizadas a cada seis meses, e sempre devemos manter as vacinas e a desparasitação em dia.