Tudo sobre o American Staffordshire Terrier

26 Julho, 2020
O American Staffordshire Terrier é um cão forte e ativo que ama o ar livre, sendo ótimo para famílias. Descubra o que o torna um companheiro ideal!

O American Staffordshire Terrier é uma raça leal e brincalhona de cães que gosta de passar seu tempo com a família. Os Staffordshire são cães com uma musculatura poderosa e devem ser adequadamente treinados.

Essa raça tem mandíbulas muito fortes, por isso destruirá qualquer coisa que começar a mastigar. Se não for educado e entretido, o American Staffordshire Terrier desenvolverá hábitos destrutivos.

Os Staffordshire Terrier gostam de praticar exercícios e circuitos de agilidade. No entanto, essa raça também gosta muito de afeto familiar.

Muitas vezes, os American Staffordshire Terriers ganham a função de vigilantes. No entanto, esse papel se deve mais às suas características físicas e à reputação de cão agressivo do que ao seu comportamento.

Ao crescer em um lar onde é bem tratado e educado, os Staffordshire Terriers raramente mostram sinais de comportamento agressivo inato. Em geral, são cães amigáveis ​​e adequados para famílias dispostas a treiná-los.

O Staffordshire compartilha muitas características com o American Pit Bull Terrier. Por esse motivo, os American Stafforshire Terriers têm sido usados ​​em lutas ilegais de cães há anos.

História da raça

O American Stafforshire Terrier é o resultado da mistura entre as raças Bulldog e Terrier. Claro, essa combinação aconteceu há muito tempo, quando as duas raças vieram da Inglaterra para o Novo Mundo.

História da raça

Os primeiros exemplares dessa raça eram conhecidos como Stafforshire Bull Terrier. Naquela época, eles eram usados ​​como cães de caça e como ajudantes nas fazendas.

Infelizmente, devido à sua construção muscular e resistência, o Stafforshire é usado ​​como cão de combate. Embora a luta seja ilegal, muitos cães ainda têm esse destino.

O Stafforshire não é uma raça agressiva, embora muitas pessoas pensem o contrário devido a esse uso sangrento. Na verdade, além do instinto animal de qualquer cão, não há nada em sua natureza que o predisponha à violência.

Características físicas do American Staffordshire Terrier

O American Stafforshire Terrier mede cerca de 50 centímetros de altura. No entanto, as fêmeas tendem a ser um pouco menores que os machos.

Um adulto de Staffordshire pesa entre 20 e 30 kg. Seu peso está relacionado à densidade dos seus ossos e à sua grande massa muscular, que salta aos olhos.

Em geral, os American Stafforshire Terriers têm excelente saúde. No entanto, existem certas doenças às quais são predispostos e devemos prestar atenção.

Essa raça é propensa a desenvolver doenças da pele, como alergias de contato e urticária causada por ácaro. Além disso, o Staffordshire pode sofrer de infecções do trato urinário com mais frequência do que outras raças.

Muitos Stafforshire desenvolvem osteoartrite na velhice ou outras condições autoimunes. Algumas das doenças que afetam o Stafforshire nos últimos anos de vida são a displasia de quadril, o hipotireoidismo e algumas doenças degenerativas.

Os American Stafforshire Terriers sofrem de mau hálito. É necessário escovar os dentes dele pelo menos uma vez por semana. Fazer isso pode impedir o acúmulo de alimentos.

Características físicas do American Staffordshire Terrier

Comportamento

Em geral, o Staffordshire Terrier adora ficar perto de sua família. Segundo cuidadores profissionais, essa raça se comporta significativamente melhor quando tem um tempo de qualidade junto com sua família humana.

O Staffordshire precisa de muito exercício físico para gastar energia. Além disso, esse exercício deve ser acompanhado de estímulos mentais. Caso contrário, um Staffordshire entediado pode se tornar um cão travesso e destrutivo.

São cães ideais para pessoas que gostam de fazer atividades ao ar livre – eles não são cães adequados para morar em apartamentos. Para morar dentro de um apartamento, ele precisa de ao menos três horas de exercícios físicos vigorosos diariamente.

Devido à sua força, os American Staffordshire Terriers precisam de um treinador assertivo que transmita confiança. Desde pequenos, esses cães precisam ser socializados com outros cães.

Embora sejam amigáveis ​​com o ser humano, muitos Staffordshire Terriers podem não saber como se comportar diante de outros animais. Isso geralmente acontece quando eles não são socializados adequadamente. Alguns Staffordshire latem constantemente quando estão nervosos.

O American Staffordshire Terrier em família

Os American Staffordshire Terriers são bons animais de estimação para uma família. Contudo, recomendamos que apenas famílias com crianças com mais de seis anos adotem um cão dessa raça. 

Essa raça de cachorro é muito forte, então os Staffordshire são companheiros de brincadeira bastante brutos. Além disso, as crianças pequenas geralmente gostam de algumas brincadeiras que podem não agradar a esse cão.

Mesmo que seu cão não queira intencionalmente machucar as crianças, ele pode não reagir bem se, por exemplo, alguma criança colocar um dedo em seus ouvidos.

Por esse motivo, é muito importante que os cães sejam ensinados a estar perto das crianças desde cedo. Da mesma forma, é vital que as crianças sejam ensinadas a serem gentis e delicadas com qualquer animal. E que os pais fiquem sempre vigilantes…

  • Olby, N., Blot, S., Thibaud, J. L., Phillips, J., O’Brien, D. P., Burr, J., … & Breen, M. (2004). Cerebellar cortical degeneration in adult American Staffordshire Terriers. Journal of veterinary internal medicine. Volumen 18, Numero 2. Pp. 201-208.
  • Lockwood, R., & Rindy, K. (1987). Are “pit bulls” different? An analysis of the pit bull terrier controversy. Anthrozoös. Volumen 1, Numero 1. pp. 2-8.
  • Pérez-Guisado, J., Muñoz-Serrano, A., & López-Rodríguez, R. Perros peligrosos, la agresividad por dominancia (parte2): factores asociados dependientes del perro (Dangerous dogs, dominance aggression (part 2): factors that depend on the dog).
  • Corbacho, J. M. R. (1996). Los animales como posibles sujetos de derecho penal. Algunas referencias sobre los artículos 631 (suelta de animales feroces o dañinos) y 632 (malos tratos crueles) del Código Penal español.