Valor biológico das proteínas contidas nas rações para cães

22 Novembro, 2020
Você sabe qual é o melhor tipo de ração para o seu cachorro? Neste artigo, você vai encontrar diretrizes para verificar essa informação.

O que você avalia ao escolher uma ração para o seu animal de estimação? Você leva em consideração a origem das proteínas contidas nas rações? Atualmente, temos à nossa disposição uma grande quantidade de informações sobre a alimentação para cães.

Sabemos que existem certos produtos que acabam causando danos orgânicos aos cães ou deficiências nutricionais, algumas delas rapidamente detectáveis ​​porque o cachorro passa a comer produtos não comestíveis, tais como paredes, sapatos ou os próprios excrementos, sendo que nunca havia feito isso antes.

Em primeiro lugar, devemos saber como é o sistema digestivo dos cães e nos conscientizar de que eles não são animais onívoros, e sim carnívoros facultativos. Portanto, a principal fonte proteica para o nosso animal de estimação deve ser a carne, e não grãos de cereais. Qual é a origem da proteína que o seu animal de estimação ingere? Você já pensou no valor biológico das proteínas contidas nas rações? Vamos te contar!

O que é o valor biológico?

As proteínas se formam por meio da união de um tipo de ligação chamada peptídica, por aminoácidosCada proteína tem uma composição diferente de aminoácidos e, além disso, também existem aminoácidos essenciais que o corpo não é capaz de sintetizar e que só podem ser adquiridos por meio da dieta.

No cachorro, existem 12 aminoácidos essenciais, que são os seguintes: arginina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, treonina e valina.

O valor biológico das proteínas contidas nos alimentos é a capacidade de uma proteína existente na dieta de ser incorporada às proteínas do corpo. Isto é, o valor biológico da proteína é a sua disposição para ser absorvida e assimilada.

Valor biológico das proteínas contidas nas rações para cães

Rações para cães: como o valor biológico afeta as proteínas contidas nas rações?

Para aproveitar as proteínas contidas nas rações, devemos primeiramente olhar para a sua origem, além do tipo de processamento a que foram submetidas. Muitas das rações comercializadas atualmente têm como fonte de proteína a farinha de origem animal, principalmente a farinha de aves.

O problema dessa matéria-prima está na sua heterogeneidade e, além disso, após o processo de extrusão pelo qual a ração passa, há uma queda no valor proteico.

Quando damos esse tipo de ração para os nossos animais de estimação, não estamos fornecendo uma dieta de qualidade. Essas proteínas têm pouco valor biológico. Por isso, também são acrescentados cereais – tais como milho e arroz – e outras fontes de proteína à ração, a fim de aumentar o valor proteico.

Além disso, a extrusão das rações também diminui a qualidade dos ácidos graxos contidos nelas. Isso ocorre porque a quantidade de ácidos graxos insaturados é aumentada, desequilibrando a proporção.

Valor biológico das proteínas contidas nas rações para cães

Melhores rações para cães

Quando temos que escolher uma ração para o nosso animal de estimação, muitas dúvidas podem surgir sobre qual será a melhor e, como consequência, geralmente pensamos que a melhor ração é a mais cara. Contudo, isso não é inteiramente verdade.

Certas marcas de rações para cães são mais caras porque têm altos gastos com publicidade. Porém, as suas rações não são as melhores se olharmos apenas para a sua composição e para a origem dos seus ingredientes.

Valor biológico das proteínas contidas nas rações para cães

Se quisermos escolher uma boa ração para o nosso animal de estimação, devemos levar em consideração uma série de premissas:

  • Uma boa ração sempre mostra a origem exata dos seus ingredientes. Por exemplo, é melhor escolher uma ração que especifica que contém carne de javali do que outra que diga apenas ‘carne de aves’. Além disso, se não indicar a palavra ‘carne’, poderá incluir qualquer parte do animal, como, por exemplo, vísceras, tendões, pele, etc.
  • Existem rações que incluem carne hidrolisadaEsse processamento aumenta o valor biológico da proteína.
  • Assim que a origem for conhecida, devemos observar o tipo. A carne usada deve ser desidratada ou fresca. Se escolhermos uma ração feita com carne fresca, devemos subtrair da porcentagem de proteína a quantidade de água contida nessa carne. Portanto, uma ração com carne fresca não é melhor do que outra com carne desidratada.
  • Uma ração pode conter cereais. Não é que os cães não consigam obter nutrientes a partir desses ingredientes. O problema é que, às vezes, o arroz ou o milho são o segundo ou terceiro ingrediente da ração e isso significa que a ração não é de qualidade.
  • É melhor que a ração contenha leguminosas em vez de cereais.
  • A origem das gorduras adicionadas a uma ração também deve ser conhecida. Se forem usados óleos vegetais, devemos nos certificar de que eles não são refinados. Isso afeta de forma negativa a proporção ômega 6/ômega 3, que deve ser próxima a 1.
  • Por fim, muitas rações incluem vegetais entre os seus ingredientesIsso não é negativo porque eles fornecem fibras, muito necessárias para o trânsito intestinal, e vitaminas essenciais.

Em resumo

Agora você já sabe como conhecer o valor biológico das proteínas contidas nas rações para cães e como escolher a melhor dieta para eles. Lembre-se de que cuidar da alimentação do seu animal de estimação é sinônimo de saúde e felicidade para ele.

Calvo, E. P. (2011). Valor proteico y calidad de la grasa de harinas de origen animal utilizadas en piensos destinados a la alimentación de perros. Efecto de la extrusión (Doctoral dissertation, Universidad de Zaragoza).

Castro, T. (2012). Efectos benéficos de suplementos alimenticios utilizados en la dieta regular de los perros.

González-Torres, L., Téllez-Valencia, A., Sampedro, J. G., & Nájera, H. (2007). Las proteínas en la nutrición. Revista salud pública y nutrición, 8(2), 1-7.

Silva, W., Arbaiza, T., Carcelén, F., & Lucas, O. (2003). Evaluación biológica en ratas de laboratorio (Rattus norvegicus) de fuentes proteicas usadas en alimentos comerciales para perros. Revista de Investigaciones Veterinarias del Perú, 14(1), 18-23.