Animais hematófagos: a questão é o sangue

12 Outubro, 2020
A hematofagia é uma prática alimentar relativamente comum em vários grupos de invertebrados. Aqui vamos falar mais sobre ela.

Todos nós conhecemos os mosquitos e seus hábitos de sugar sangue. A hematofagia, ou seja, a alimentação à base de sangue, é amplamente distribuída na natureza e na cultura popular humana, desde insetos incômodos até monstros aterrorizantes como o Drácula. Essa estratégia evolutiva desperta muito interesse, pois é totalmente contrária ao conceito de alimentação que as pessoas têm. A seguir, vamos mergulhar no mundo dos animais que se alimentam de sangue.

Classificação

Animais hematófagos são, por definição, parasitas, pois obtêm benefícios nutricionais a partir da diminuição da saúde do hospedeiro de que se beneficiam. Dependendo de sua localização, eles podem ser:

  • Ectoparasitas: a maioria dos animais hematófagos, sejam pontuais ou de longa duração no hospedeiro, se alimenta de sangue por meio do contato com a epiderme do animal. Alguns exemplos são os mosquitos, os morcegos ou os carrapatos.
  • Endoparasitas: também existem seres vivos que se alimentam de sangue ‘por dentro’. Um exemplo disso é a tênia, que se fixa aos tecidos internos do intestino do animal e pode obter fluido sanguíneo por meio deles.

Além disso, dependendo de qual porcentagem da dieta é baseada em sangue, os hematófagos diferem em:

  • Obrigatórios: alguns exemplos são os percevejos Cimex lectularius, que se alimentam unicamente de sangue ao longo de seu ciclo de vida adulto, ou os carrapatos.
  • Facultativos: pode parecer irônico, mas um exemplo de sugadores de sangue facultativos são muitos mosquitos. Por exemplo, a espécie Aedes aegypti se alimenta, quando adultos, com pólen e suco de frutas, mas as fêmeas precisam de sangue para colocar seus ovos, pois é um processo de alto gasto nutricional.

Só com esse sistema de classificação já quebramos muitos preconceitos, pois animais que estão culturalmente ligados ao fato de sugarem de sangue, como certos mosquitos, teoricamente podem passar a vida sem consumir sangue.

Hematofagia animal.

A evolução da hematofagia

Como prática alimentar, essa estratégia evoluiu de forma independente em vários anelídeos, nematoides, artrópodes e mamíferos. Por exemplo, a ordem dos dípteros apresenta 11 famílias com hábitos hematófagos.

Existem cerca de 14.000 espécies de artrópodes hematófagos, incluindo alguns insetos inimagináveis, como a mariposa Calyptra, que se alimenta de sangue de vertebrados.

Esses animais, independentemente de sua distância evolutiva, também costumam apresentar uma série de adaptações biológicas que facilitam a identificação do hospedeiro do qual se alimentam:

  • Como a maioria dos hematófagos se alimenta de sangue de mamíferos, eles se adaptaram à vida noturna: aproveitam para sugar enquanto estes dormem.
  • São detectores ambulantes de emissões de CO2, componentes químicos do suor ou do calor e movimento. Todos esses parâmetros indicam que um ser vivo de sangue quente está próximo.
  • Geralmente, são animais pequenos, silenciosos e rápidos, pois não têm interesse em serem detectados antes de realizar a picada.

Além disso, os hematófagos desenvolveram várias estruturas pontiagudas para ultrapassar facilmente a epiderme e, assim, acessar os capilares sanguíneos. Probóscides pontiagudas, mandíbulas e presas afiadas são exemplos disso.

Alguns artrópodes, como os carrapatos, produzem anticoagulantes salivares que impedem o fechamento da ferida e, portanto, podem continuar a sugar sangue indefinidamente. Essa é a máxima expressão de uma adaptação evolutiva, uma vez que a maioria dos sistemas do animal são subjugados para maximizar o tempo de contato com o hospedeiro do qual se alimenta.

Por que se alimentar de sangue?

A evolução é baseada, em parte, em uma corrida entre seres vivos para maximizar os benefícios da natureza e, assim, serem capazes de se reproduzir. A hematofagia é uma estratégia arriscada: o sangue é muito pobre em carboidratos e vitaminas, e acessá-lo é muito mais complexo do que, por exemplo, comer plantas.

Ainda assim, o segredo pode ser a exploração de novos nichos ecológicos:

  • Quanto mais difícil for obter um recurso, menos as espécies animais generalistas tenderão a procurá-lo.
  • Isso reduz bastante a competição por ele e permite que certas espécies especializadas adaptem toda a sua morfologia e comportamento em explorar esse recurso de difícil acesso.

Esse pode ser o caso da hematofagia. Enquanto a maioria dos invertebrados luta por presas e plantas, os sugadores de sangue se especializam em um estilo de vida muito pouco difundido.

  • Hematofagia, Qwe wiki. Recogido a 7 de junio en https://es.qwe.wiki/wiki/Hematophagy.